RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

9/17/2019

Aumento de queimadas atinge animais do Pantanal

Gente, todos reconhecem que as queimadas são criminosas e estimuladas pelo atual governo, motivo que o mundo inteiro se rebelou contra. Enquanto o atual presidente diz que vai nomear um PGR que não seja "xiita" com a causa ambiental, os jornais publicam matérias deste tipo: Nenhum desmatador da Amazônia foi condenado nos últimos cinco anos . Em vez de consertar, o cara manda tocar horror!!!!
-----------------
A onça descansa na beira do rio. A imagem foi gravada por um pesquisador perto de uma área queimada no Pantanal de Mato Grosso do Sul. São muitos os flagrantes de animais em meio à destruição ou fugindo dos incêndios. O jabuti ganhou água na beira da estrada. Outros não conseguem escapar, como um jacaré.

Pelos últimos dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), de janeiro a agosto, o fogo consumiu mais 647 mil hectares de todo o bioma, o equivalente ao tamanho de cinco cidades do porte do Rio de Janeiro.

Corumbá, o maior município da região, está no topo do ranking nacional de focos de queimadas. Ainda segundo o Inpe, já foram mais de três mil de janeiro até setembro. Os especialistas tentam entender os motivos do aumento de 605% em relação ao mesmo período de 2018.

“Esse fogo é causa humana; 90% das causas de incêndios florestas são humanas. Então, todas as queimadas que estão ocorrendo são incêndios florestais criminosos”, explicou o tenente cel. Fábio Catarineli, coordenador de Defesa Civil do Mato Grosso do Sul.

Nas últimas semanas, brigadistas do Ibama encontraram pelo menos cinco animais mortos em cada ação de combate às chamas, e outros em fuga. Moradores e funcionários das fazendas também ajudam. Um jacaré foi encontrado com um ferimento grande.

“Se não fizer esse resgate, nós vamos ter muitos animais mortos. Por isso, a gente vai continuar aqui dia após dia, fazendo monitoramento e coletando eles todos para uma área livre. Vão para outra lagoa”, explicou Weber Girardi, gerente de produção.

As queimadas se propagam com maior facilidade por causa do período de estiagem. Segundo dados analisados pela Embrapa Pantanal, as chuvas em 2019 ficaram abaixo da média histórica em 30%, e a umidade do ar em 10%.

Outra dificuldade são as áreas alagadas. Os brigadistas não conseguem para entrar. A vegetação, mesmo com água por baixo, foi devastada pelo fogo.

Na Estrada Parque, um dos principais pontos turísticos do Pantanal, por onde passam milhares de visitantes todos os anos, várias espécies parecem desoladas diante de tanta secura e fumaça. “Imagina quantos outros animais que a gente não vê acabaram sendo destruídos pelo fogo e a gente não vai ter a oportunidade de ajudar”, lamentou Weber Girardi.

Um comentário:

  1. Os governadores dessas regiões, são cúmplices nesse incêndios. Não estou vendo ninguém citar o nome deles.

    ResponderExcluir

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪