RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador zooterapia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador zooterapia. Mostrar todas as postagens

11/15/2018

Veja como um animal de estimação pode prevenir problemas de saúde no ser humano

Gosto de publicar estas matérias para que tenhamos bastante material provando a superioridade dos animais, seres nativos deste planeta...... Nós somos os ET´s que viemos só para destruir a Terra....
-------------------
Ter um animal de estimação em casa pode ser uma boa companhia, principalmente, no desenvolvimento social

10/11/2018

Hospital Municipal recebe terapeutas de quatro patas no Dia das Crianças - PR

Muito legal!!!!! a zooterapia é algo milagroso..... não acho que seja exploração animal, mas, uma promoção da importância dos animais na sociedade....
-------------------------
Dia das Crianças será marcado por visita de cachorrinhos super heróis na ala da pediatria.
No dia 12 de outubro, as crianças internadas no Hospital Municipal Padre Germano Lauck receberão a visita

10/07/2018

Animais ‘terapeutas’ ajudam no tratamento de crianças e idosos no Rio

Sempre publico sobre a zooterapia porque acho que esta técnica promove muito os animais sem uma exploração cruel.
---------------------
Eles trazem para a benefícios na socialização, na autoestima e tratamento de pacientes. Projeto de lei autoriza a entrada de animais domésticos e de estimação nos hospitais municipais.

9/22/2018

Visita de cães ajuda no tratamento de pacientes internados em hospital de Palmas - TO

A zooterapia é algo que funciona demais.... sou adepta deste processo porque é uma maneira de esfregar na cara de humanos que são antropocêntricos e especistas... Né não?
-------------------
Há cerca de um ano, os Bombeiros usam cães para ajudar na recuperação de pacientes do Hospital de Geral de Palmas. O método é chamado de cinoterapia e cerca de 300 pessoas já foram atendidas. O contato dos internados com os cães é

9/06/2018

Médico prescreve um animal de estimação a senhor que sofreu dois AVC´s e o resultado é emocionante.

Animais são milagrosos e é uma pena que os tais "serumanos" não se deem conta disto...
-------------------
Há poucos dias, já mais adaptado às limitações decorrentes do AVC, o sr José Ribeiro surpreendeu a filha com uma carta escrita para sua gata Tica, provando que a indicação do médico e o laço de amor desenvolvido entre vovô Zé e sua gatinha foram um grande apoio no tratamento.

José Ribeiro da Silva sempre foi um

8/24/2018

Cachorros dormem fora de hospital por semanas para visitar paciente

É pra gente se desmanchar em lágrimas de tanta emoção!!!!! Axé para esta veterinária que foi sensível à história.... 
---------------
Uma história emocionante sobre fidelidade!
Dois cachorros passaram dias e noites acampados na porta de um hospital aguardando o momento que finalmente teriam permissão para ver o tutor de um

8/23/2018

Ana Furtado cita importância de cães em luta contra câncer: 'Melhoram astral'

Sou testemunha, suspeita até porque animais sempre me fizeram muito bem. Não existiria se não tivesse animais ao meu lado. Agora, estou enfrentando esta situação e são eles que me mantem em pé.....
----------------
Em tratamento contra câncer, a apresentadora esclareceu dúvida de fãs e disse que cachorros são importantes para os pacientes: 'Diversos estudos já constataram a importância desses bichinhos no auxílio da qualidade de vida de pacientes em tratamento oncológico. Melhoram nosso astral, autoestima e minimizam qualquer fator de estresse que possa vir à tona'

Em luta contra de câncer de mama, Ana Furtado passou recentemente pela quinta sessão de quimioterapia e destacou a importância dos animais de estimação durante o tratamento. Em seu

8/03/2018

Cães 'invadem' corredores de hospital para ajudar na recuperação de crianças internadas, em Goiânia

A zooterapia é uma técnica valiosa que pude constatar quando apliquei em um asilo aqui no Rio quando conveniada com a Prefeitura. Promovemos os animais que viviam dentro da instituição com banhos frequentes, alimentação, castração, consultas e adestramento. Foi maravilhoso!!!! Os animais antes enxotado pelos funcionários do asilo durante as festinhas que sempre

7/31/2018

Dia dos Avós (26): por que eles deveriam ter um animal de estimação?

Se na minha infância eu não vivia sem animais, imagina agora? kakakakaka... se tivesse grana para pagar empregados e tratadores, ia ter milhares como a Brigite Bardot...... 
-------------
Muitos estudos indicam que os animais de estimação podem trazer diversos benefícios para os humanos. Na terceira idade, porém, as vantagens de conviver com um pet são ainda maiores. A falta de uma ocupação diária e muitas vezes a

5/21/2018

PODER ANIMAL: Cãozinho promove melhora em garotinho com paralisia cerebral

Ai que sou chata demais, mas, acho que alguns dos meus leitores também! A mãe do garotinho falou que adotou outros cães, mas, que eles "arranhavam e fugiam"...... Minha Santa Amada, qual terá sido o final destes bichos? Droga, acho que sou chata demais.... Que Pipo seja cuidado o suficiente como ele merece....
---------------
Ligação de carinho entre cão indicado para tratamento de menino com paralisia viraliza na internet
Uma forte ligação de amor entre o pequeno Henrique, de seis anos, e o cãozinho de estimação dele, o Pipo, tem feito sucesso na internet. Em apenas dois dias, o vídeo postado pelo irmão de Henrique no Facebook teve 3,2 milhões de visualizações e 57 mil compartilhamentos.  

Henrique tem paralisia cerebral e todos os dias quando chega da escola é recebido com o maior carinho do mundo pelo seu melhor amigo - o Pipo. A intimidade é tanta que Pipo nem pensa duas vezes em pular no colo do amigo e ganhar aquela caroninha na cadeira de rodas do portão até dentro de casa. "Nunca na minha cabeça eu imaginei que iria expandir e viralizar tanto", contou o irmão Rodrigo Muraro.

A mãe, Marilaine Muraro, contou que os médicos recomendaram que o tratamento de Henrique poderia melhorar com a ajuda de um cão. Com a chegada do Pipo, garante Marilaine, o menino melhorou os movimentos dos braços, das pernas e soltou as primeiras palavras. Segundo a mãe, em seis meses na companhia do Pipo, Henrique melhorou 90%. "A única coisa que se resolveu para o Henrique foi o Pipo. Você não vê nas pessoas, o amor que existe entre os dois", ressaltou Marilaine.

A família agora está na luta para conseguir sessões de equoterapia, feita com cavalos. O objetivo é estimular os músculos e ossos do Henrique. "Há uma chance e uma possibilidade de ele estar andando. E é o que nós pais sonhamos", acrescentou, emocionada, a mãe.

Fonte: Gi Paraná

4/23/2018

Cães ajudam na educação de crianças dentro de salas de aula em Olinda - PE

Gente, já vi trabalhos excelentes com animais. Tem gente que acha que isto é exploração animal. Pensando bem, é. Mas, penso que a promoção do animal na sociedade provando que ele é infinitamente superior à espécie humana, vale a pena. Afinal, sabemos que tem animais e animais dispostos a provar isto, né mesmo?
----------------
Os cães receberam treinamento de seis meses para aprender a ajudar as pessoas. Primeiro, como cães doutores, visitando e alegrando pacientes em hospitais. Depois, revelaram potencial para se tornar professores.

Fonte: Bom dia Brasil

3/10/2018

Cachorro surpreende ao consolar homem em luto no aeroporto

Embora todos os animais tenham a mesma capacidade, não são todos que tem paciência com humanos.... Claro que entendemos, né mesmo?
------------
"Eu nunca tive dúvidas de que a Cora conseguiria perceber quem está magoado e quem precisa de companheirismo e amor", escreveu a dona da mascote no Facebook

A corgi Cora mora com a sua dona, Madison Palm, em Coeur d’Alene, em Idaho, nos Estados Unidos. A mascote está treinando para ser um cão de terapia. Há 15 dias, Cora e Madison estava no aeroporto a caminho do Alasca quando a dupla precisou fazer uma escala em Seattle. Foi então que a cadelinha se aproximou de um estranho e deitou ao lado dele.

Uma publicação compartilhada por Cora the Explorer 🌸🌎 (@the.corgi.cora) em

“A Cora se afastou de mim silenciosamente durante a nossa longa escala e deitou ao lado de um completo estranho. Ele fez carinho nela, disse o quão fofa ela era e fez uma foto com ela“, contou Madison em uma publicação no Facebook. O homem, então, revelou por que o encontro com a mascote era tão importante: “Ele também compartilhou com a gente que, na noite anterior ao encontro, ele tinha perdido seu querido cachorro de estimação“, revelou a mulher.

“Eu nunca tive dúvidas de que a Cora conseguiria sentir quem está magoado e quem precisa de companheirismo e amor. Ela nasceu para ser uma cachorra de terapia. Eu sou tão abençoada por chamá-la de meu cachorro“, escreveu Madison no Facebook. A parte mais adorável? O começo da vida da mascote não foi nada fácil: ela foi adotada quando tinha oito ou nove meses de vida. Antes de Madison, seu antigo dono a negligenciava, a deixava sempre do lado de fora de casa, a alimentava com sobras do jantar e nunca a havia levado ao veterinário. Mesmo assim, a cachorrinha não esqueceu como amar. Assista:


FONTE: vejasp

3/08/2018

Terapia com cães ajuda no tratamento de idosos em abrigo de Macapá

Olha, eu gosto muito de publicar sobre zooterapia, embora, muita gente ache que isto é exploração animal. Eu penso que há muita promoção da importância dos animais na vida social e no respeito que devemos ter por eles....
---------
Projeto social “Patas do Bem” usa ação para promover bem estar e qualidade de vida aos pacientes. Visita de animais ao abrigo São José ocorreu neste sábado (3).

Idosos atendidos no Abrigo São José, na Zona Sul de Macapá, receberam uma visita inusitada e divertida na manhã desde sábado (3). Além de levar alegria, voluntários e cerca de dez "cães terapeutas" foram ao local promover a cinoterapia, um tratamento que visa proporcionar bem-estar e qualidade de vida aos pacientes com a presença de animais.

A iniciativa foi bem aceita pelos idosos, que sorridentes, trocaram carinhos com os cães. As visitas acontecem sempre durante os fins de semana, e os animais ficam cerca de uma hora no local, ajudando a melhorar o humor dos moradores.

“Gostei muito do projeto, ficamos felizes em receber os animaizinhos, e recordei que tive uma cachorra, que se chamava Lessie. Isso me trouxe muitas lembranças boas e fico feliz em poder fazer novos amigos cães”, disse Valdir Maciel, de 60 anos.

Para José Neto, de 76 anos, a troca de afeto com os cães traz uma sensação de alegria para ele. “Nosso contato no abrigo é mais com os outros idosos e os cuidadores, e a vinda dos cachorrinhos é muito bom pra distrair nossa mente, pois eles são muito dóceis”, disse.

Ao todo, 54 idosos, com idades entre 65 e 100 anos, vivem na instituição e vão passar a receber mensalmente os animais do projeto social “Patas do Bem”, idealizado pelo casal de médicos veterinários Dênis e Sílvia Magalhães. O médico ressalta que este é um sonho antigo que pretendia realizar.

“Desde 2015 quis implantar esse projeto em Macapá, pois vi que é muito eficaz, pois dá ao idoso uma oportunidade de interagir com os cães. Essa é eficaz no combate à depressão e estresse, diminuindo a solidão e uso de medicamentos, e fortalecendo a autoconfiança e comunicação”, disse Dênis.

Para Sílvia, mais do que uma terapia, o trabalho é um ato de amor que envolveu voluntários donos de cães que frequentam a clínica onde atuam.

“Serão visitas constantes a esses idosos, que muitas vezes não tem mais família ou foram abandonados e necessitam de muita atenção, carinho e cuidado, que os animais podem oferecer. Dessa maneira vamos trabalhar para que as visitas sejam frequentes e trazer mais alegria a eles”, destacou.

A diretora do abrigo, Marlete Ferreira, avaliou que a parceria vai ajudar no atendimento dos idosos, especialmente os que foram diagnosticados com patologias graves.

“Vejo que o projeto dará muito certo, pois a aceitação foi imediata. É emocionante ver a troca de carinho do olhar do idoso com os cães”, destacou.

FONTE: G1

3/07/2018

Paciente com esclerose se emociona ao receber visita de cachorro de estimação em hospital de RR


Mais um caso para a gente registrar em nosso blog.... Animais promovem milagres.... pena que a maioria de humanos não pensem assim....
----------------
Márcio Pereira, 52, recebeu a visita do vira-lata Barney nessa sexta-feira (2) e chorou de felicidade ao reencontrar o 'amigo'.


Internado no Hospital Geral de Roraima há três meses, o pedreiro Márcio Pereira, de 52 anos, recebeu nessa sexta-feira (2) a visita do cachorro de estimação, o vira-lata Barney. O paciente, que sofre com esclerose lateral amiotrófica, a ELA, não consegue se comunicar, chorou de felicidade ao reencontrar o companheiro.

A ELA é uma doença degenerativa que faz com que o paciente perca, aos poucos, os movimentos do corpo. Mas a mente continua ativa. É o caso do Márcio. Ele se comunica com a família somente piscando os olhos. A ideia de levar Barney os hospital surgiu quando Márcio indicou que queria saber sobre o cão.

"Um dia a gente percebeu que ele estava perguntando sobre alguém, mas a gente dizia vários nomes, mas ele dizia que não. Aí eu lembrei do Barney e era dele que ele queria saber", contou Francisca Silva, de 61 anos, esposa do paciente. Para ter certeza que era do cachorro que Márcio estava se referindo, a filha dele fez um vídeo do animal e eles mostraram o pedreiro. "Ele chorou quando viu o vídeo" e depois pediu para ver ele.


Depois do pedido, a equipe multidisciplinar do hospital, chamada de Multi-T, planejou o reencontro que ocorreu no jardim do hospital. O reação de Márcio ao ver Barney não poderia ter sido outra: ele chorava e sorria ao mesmo tempo.


"O choro foi de emoção, alegria", Carolina Scheffer, psicóloga
"Como a gente sabe que a limitação dele é permanente, precisamos ofertar a uma boa qualidade de vida, algo que garanta bem estar. Esse reencontro sem dúvida foi tudo isso. Notamos toda a satisfação dele em ver o cachorro", disse Carolina, que acompanhou a visita de Barney ao paciente no hospital.

A equipe Multi-T é formada por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogo, nutricionista, fonoaudiólogo e assistente social e foi criada para proporcionar atendimentos diferenciados aos pacientes. Antes de autorizar a entrada no cão, a equipe verificou todas as questões relacionadas a vacinação e higiene do hospital. Esta foi a primeira vez que um animal visitou alguém internado no HGR. O resultado foi tão positivo que a direção planeja usar como método de tratamento, conforme conta o médico Patrick Araújo, coordenador do Grande Trauma do hospital, setor onde Márcio está internado.

"Esse contato foi muito bom, ele ficou muito feliz. Existem estudos que mostram que tratamento com pets ajudam na autoestima e desenvolvimento do paciente, principalmente o neurológico. Vou sentar com a equipe Multi-T para vermos novas possibilidades e estudarmos um tratamento alternativo, mais humanizado", avaliou o médico

Araújo acompanha a rotina de Márcio no hospital. Segundo ele, é um paciente com quadro clínico quadro estável, sem infecção, pressão arterial normal, sem febre e não necessita do uso de antibióticos. Porém, depende do ventilador mecânico para respirar e por esse motivo, não pode deixar o hospital e isso fez com que ele também apresentasse início de depressão. "Ele ouve tudo, porém não se move, não interage, mas está acordado. Com esse quadro de depressão nós decidimos fazer alguma coisa pelo seu Márcio, o que resultou na vinda do animal", disse.


Relação de amizade

Márico foi diagnosticado com a doença há três anos. Na época ele e a família moravam em Amajarí, ao Norte do estado, mas conforme os sintomas foram avançando e o corpo dele começou a paralisar, eles tiveram de se mudar para Boa Vista.

"Ele começou a perder a força nas mãos. Me dizia que não aguentava mais dirigir a bicicleta e isso foi tomando conta do corpo dele inteiro. Ele ficou de cama por dois anos sem se movimentar. Só comia líquidos", lembrou a esposa, comentando que o quadro agravou em dezembro do ano passado, quando sofreu uma convulsão e foi para o hospital.

Ela contou que Márcio sempre gostou de animais e desde que Barney chegou a família, há um ano, o cão se tornou o 'xodó' do marido. "Meu marido é muito apegado ao cachorro. Minha filha ganhou ele quando era pequeno e nesse tempo todo ele fazia companhia para o meu esposo. Passava o dia na cama com ele, até dormiam juntos", lembra a esposa.

Para ela, que acompanhou o reencontro do esposo com o amigo pet no hospital, foi uma alegria para a família e momento de satisfação. "Estou feliz porque ele ficou feliz. Consegui ver pela feição dele. É um alívio para ele, o Barney era um companheiro", disse a esposa. É provável que em breve Braney faça uma nova visita a Márico no hospital.

“É muito importante trazer essa vivência que ele tinha em casa para dentro do hospital. Possibilitar esse reencontro contribuiu positivamente para o paciente e foi também uma forma de amenizar o sofrimento dele", resumiu a assistente social Maria Shirley Fernandes, que acompanha o tratamento do paciente no HGR.

FONTE: G1

2/16/2018

Universidade dos EUA aprova uso de cachorros em terapia intensiva

Olha, esta de enfiar bicho em UTI acho meio exagero.... já tive por 3 vezes nestes locais e não acho nada apropriado para os animais...
------------
Animal de estimação pode ajudar internados em UTIs a se tornarem ativos e a se comprometerem mais com a própria recuperação.

Introduzir cães adestrados com fins terapêuticos nas unidades de tratamento intensivo (UTIs) dos hospitais pode aliviar o dano físico e emocional dos pacientes de uma maneira substancial e segura, segundo especialistas médicos da Johns Hopkins University.

Em artigo publicado na revista "Critical Care", os especialistas defendem a conveniência do uso desses cachorros não somente para ajudar pacientes cujo estado não tem gravidade, à luz dos resultados de um programa piloto desenvolvido em 2017 na UTI do hospital da Johns Hopkins, em Baltimore (Maryland).

Também recomendam a outros hospitais testar estas "intervenções não farmacológicas".

Dale Needham, professor de Medicina e de Reabilitação e Medicina Física na Faculdade de Medicina da Johns Hopkins University, ressaltou que um animal de estimação pode ajudar pessoas internadas na UTI a se tornarem ativas e a se comprometerem com o objetivo de conseguir sua própria recuperação o mais rápido possível.

O especialista considera que para os pacientes da UTI seria preciso "dar-lhes menos remédios e confiar mais nas intervenções não farmacológicas, como a musicoterapia, o tratamento de relaxamento e o tratamento com animais".

Os respiradores, os tubos, cateteres e outros dispositivos tecnológicos que costumam ser colocados nos internados na UTI os "desumanizam" e "desmoralizam", e a isso se acrescenta o fato de que costumam estar sedados e prostrados na cama, o que lhes pode causar fraqueza muscular, confusão mental, depressão, ansiedade e estresse pós-traumático, afirmou Needham.

Os estudos mostram que até 80% dos pacientes de UTI sofre de delírios, confusão e às vezes alucinações enquanto estão internados e igualmente cada vez há mais evidências de que esses problemas se reduzem em pacientes mais ativos e menos medicados.

Por isso, depois de conhecer os resultados positivos conseguidos com a terapia canina na unidade de reabilitação do hospital, se decidiu adaptar o protocolo para testá-la na UTI.

Os dez pacientes da UTI que receberam visitas destes cães em 2017 tinham idades entre 20 e 80 anos e diagnósticos variados.

Cada um destes pacientes recebeu pelo menos uma visita de 20 a 30 minutos durante a sua permanência na unidade e em alguns casos essa visita incluiu a presença de um terapeuta físico ou ocupacional.

"Os dados mostram a partir de uma perspectiva psicológica que os cães podem ajudar os pacientes, por exemplo, dando-lhes um motivo para ser mais ativos", disse Megan Hosey, professora adjunta de reabilitação e medicina física.

O protocolo elaborado por Needham, Hosey e outros especialistas estabelece que, para poder receber as visitas dos cães, os pacientes devem estar conscientes e o suficientemente alertas para se relacionar com o animal, não ter risco de infecções e obviamente estar interessados nessa visita.

Quanto aos cães, devem estar registrados no programa Pet Partners, que assegura que tantos os animais como os que cuidam deles estão em dia na preparação necessária.

Tendo em vista a resposta positiva dos pacientes, a equipe planeja medir em futuras experiências se a terapia canina produz mudanças na dor, na capacidade respiratória e no estado de ânimo.

"Assim que um cachorro entra no quarto à espera de que lhe de uma palmadinha ou uma guloseima, é difícil o paciente não resistir e se envolver", contou Hosey.

Às vezes basta o cão se sentar perto da cama, porque constitui uma presença que acalma e carinhosa, aparecendo para melhorar o ânimo e aliviar a dor, acrescentou a professora.

Hosey disse que, à luz dos resultados na Johns Hopkins, outras unidades de tratamento intensivo e outros departamentos nos hospitais deveriam considerar as intervenções não farmacológicas e associar-se com organizações como Pet Partners e Assistance Dogs International que certificam os animais.

Também deveriam se centrar em pacientes com probabilidades de sucesso e melhoria, não nos que sofrem delírio ou doenças contagiosas.

A terapia com animais é "uma ferramenta num conjunto voltado a tratar a alma e não só o corpo do paciente", segundo o artigo assinado também por Janice Jaskulski e Stephen Wegener, da Johns Hopkins, e Linda Chlan, da Clínica Mayo.

FONTE: G1

2/10/2018

Doria aprova lei que autoriza visita de cães e gatos em hospitais

Eu não sei o que a galera de Sampa tem contra o Dória, mas, aqui no Rio temos tudo contra um incompetente chamado Crivella.....
-----------
Animais devem estar limpos, vacinados e usando guias com coleiras. Tempo e o local de permanência dos bichos será definido caso a caso

O prefeito João Doria (PSDB) aprovou a lei que libera a visita de animais de estimação a pacientes de hospitais públicos da capital. A decisão foi publicada nesta quarta (7) no Diário Oficial.

Cada hospital deve definir o tempo e o local de permanência dos animais. A visita terá de ser agendada previamente, sob autorização do médico responsável pelo paciente e da comissão de infectologia do lugar.

A lei estabelece algumas regras para visitação. O pet deve estar limpo e acompanhado de um laudo veterinário que confirme vacinação em dia. Cães e gatos precisam estar encoleirados e, se necessário, usando enforcador e focinheira. Além disso, os bichos deverão estar em recipiente ou caixa adequada.

O projeto do vereador Rinaldi Digilio (PRB) tramitava desde o ano passado. A proposta é levar “carinho e alegria” aos pacientes internados. “Conforme a psicóloga Karina Schutz, especialista em terapia cognitivo-comportamental e diretora da Pet Terapeuta, tratamentos que utilizam animais na recuperação de pacientes já vêm sendo aplicados em diversos países, contabilizando resultados de sucesso”, defende.

FONTE: vejasp

2/02/2018

Hospital abre as portas para animais de estimação visitar seus pacientes e os resultados são surpreendentes

O contato de animais de estimação com pessoas adoecidas oferece benefícios psicológicos, emocionais e físicos já comprovados pela ciência.

Pesquisas confirmaram que a presença de animais de estimação contribui para melhorar a pressão sanguínea, para aumentar a imunidade, para reduzir a ansiedade e angústia, além de outros benefícios.

Uma pesquisa, publicada no “Journal of Allergy and Clinical Immunology”, acompanhou resultados clínicos de crianças alérgicas e aquelas que tinham um animal em casa apresentaram 33% de melhora nas alergias. Outra pesquisa, publicada no “Journal of Pediatrics” observou que crianças de até 4 anos que tinham os bichinhos de estimação mostraram menor taxa de inflamações na pele, coceiras e vermelhidões.

Animais igualmente demonstraram ajudar na qualidade de vida dos casais, porque contribuem com a redução do stress e estimulam mudanças de hábitos.

Observando os resultados surpreendentes na recuperação e até na melhor eficácia de tratamentos médicos oferecidos, alguns hospitais começaram a permitir a entrada de animais de estimação para ter contato com os pacientes.

No Canadá, um hospital chamado Juravinski, abriu as portas para que os doentes passassem a receber a visita de seus amigos do mundo animal. Essa decisão foi tomada depois que um paciente chamado Zachary Noble, que estava em seus últimos momentos de vida, fez seu último pedido: ver seu cão pela última vez.

Vendo esse episódio, uma profissional do hospital criou uma organização chamada Zachary’s Paws For Healing com objetivo de permitir que as pessoas tenham o direito de ter contato com seus animais de estimação em seu processo de recuperação e até mesmo nos últimos momentos de vida.

Para isso, criaram medidas de higiene porque concluíram que os benefícios seriam maiores do que os riscos.

Parece que o Brasil igualmente começa a dar alguns passos para isso. No final do ano passado, vereadores da câmara de São Paulo aprovaram uma lei que permite que os pacientes hospitalizados recebam a visita de seus animais. A lei além disso precisa ser sancionada.

Os brasileiros são comprovadamente apegados aos seus bichinhos de estimação. De acordo com uma pesquisa do IBG, 44% das famílias possuem pelo menos um animal de estimação.

FONTE: boainformacao

12/26/2017

Câmara de São Paulo aprova projeto que permite visita de pets em hospitais

Acho isto um avanço que deveria ser adotado em todos os hospitais do mundo...
-------------
Os vereadores de São Paulo aprovaram uma lei que permite que pacientes internados nos hospitais da cidade recebam a visita de animais de estimação. A lei, que ainda precisa ser sancionada, vale pra hospitais públicos do município, conforme mostrou reportagem do Jornal Hoje.

Muito lugar já faz isso. É preciso carteirinha de vacinação em ordem, atestado do veterinário, banho tomado e autorização do médico para garantir a segurança do ambiente e a saúde dos pacientes.

Scooby foi visitar a dona, Hode Karla, que está numa batalha contra o câncer há 10 anos e há 20 dias, internada. "Ela estava pedindo muito, estava com saudade dele. Tanto ele também tava. Tava chorando a noite inteira pra ver ela", contou Amanda, filha da paciente.


"Uma boa alegrada mesmo, pra seguir na batalha. Eu to com muita saudade de casa, aí ele vindo aqui parece que tá vindo a minha casa pra cá também. Veio completa, né", a paciente em tratamento.

"Os animais despertam lembranças boas, ativam áreas até do cérebro que estão relacionadas ao prazer e também a secreção de hormônios que trazem essa sensação de bem estar, de felicidade, de atenção", diz a médica Denise Tiemi.

O Brasil tem a quarta maior população mundial de animais de estimação. De acordo com o número mais recente do IBGE, 44% dos domicílios tem, pelo menos, um cachorrinho.

Fonte: G1 SP

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪