RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador tubarão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador tubarão. Mostrar todas as postagens

1/11/2019

Baleia se lança contra mulher, o motivo vai levar você a lágrimas

E tem gente que acha que os animais não raciocinam..... E uma droga a gente saber de tanta coisa e as pessoas não acreditarem....
--------------
Nan Hauser é uma bióloga marinha, que tem mergulhado junto de baleias por quase 30 anos. Recentemente, um acontecimento curioso aconteceu com ela. Uma baleia selvagem se lançou contra ela

8/11/2018

Polícia recupera tubarão roubado de aquário do Texas em carrinho de bebê

O importante é que ele está bem após este vai pra lá e pra cá.... coitadinho....
------------
Três ladrões foram flagrados por câmeras de segurança retirando o animal de uma piscina, em plena luz do dia. Um deles está preso

A polícia do Texas recuperou um pequeno tubarão roubado de um aquário em um

6/19/2018

TUBARÃO INTELIGENTE: Você já viu um tubarão com comportamento de cachorro?

Muito legal!!!! apesar de estar preso em um aquário, eu adoro ver as demonstrações de inteligência dos animais....
------------
As imagens foram registradas em aquário da Nova Caledônia.
Os tubarões dão medo em muita gente, pois o que geralmente já vem na memória são os filmes sobre tubarões brancos e incidentes nas praias no mundo a fora. Porém, esse vídeo pode te trazer uma percepção diferente desses peixes.

As imagens foram registradas no Aquarium des Lagons, localizado em Noumea, na Nova Caledônia, e elas mostram o funcionário do local trajado com roupas e equipamentos de mergulho limpando a parte interna de um tanque de vidro. O sujeito pode ser visto fazendo seu trabalho diligentemente e rodeado de pelos “moradores” do local, até que um tubarão-zebra aparece  tentando capturar a atenção do humano.

Comportamento
O comportamento do tubarão não lembra o de um cachorro? essa espécie é inofensiva, lenta e inclusive dócil, permitindo a aproximação de mergulhadores.  De acordo com informações disponíveis no site do Oceanário de Lisboa, que possui um desses animais em seus aquários, os tubarões-zebra podem ser encontrados na natureza no oceano Indo-Pacífico, do Mar Vermelho até a África do Sul, e também de Samoa, passando pelo Japão e Nova Gales do Sul. Porém,os tubarões zebra estão em perigo de extinção.

A espécie é usada para o consumo humano e sua carne pode ser utilizada tanto em sua forma fresca, como curada. Esses animais também são empregados na produção de farinha de peixe, e o fígado processado para a obtenção de vitaminas. Eis omotivo da espécie está ameaçada de extinção atualmente.


FONTE: meionorte

6/05/2018

HABITAT: Tubarão surpreende banhistas na praia de São Conrado, no RJ


Minha Nossa!!!! esta gente adora um trelelê.... Pombas,  dependendo da época, todo dia tem tubarões nas nossas praias..... só que eles não atacam.... a espécie é da paz!!!!!
--------------
O peixe ficou nadando por mais de duas horas, a cerca de 10 metros de distância da areia
Um tubarão surpreendeu banhistas na Praia de São Conrado, no Rio de Janeiro, durante a tarde deste sábado. Segundo o surfista Marcello Farias, um dos fundadores da associação Salvemos São Conrado, que filmou o animal na água, ele foi visto pela primeira vez por volta das 14h, na altura do antigo Hotel Nacional, e ficou nadando pela região até as 16h, a cerca de 10 metros de distância da areia.

- Todo mundo saiu da água na hora; as pessoas ficaram muito assustadas. Por mais que o mar seja o habitat dele, não estamos acostumados a ver um tubarão tão perto. Vou ficar um tempo sem pegar onda porque as aparições têm sido constantes, é arriscado. Acredito que o que filmei hoje é o mesmo que apareceu na Barra na quinta-feira, pois, pelo vídeo que vi, o estilo de nadar é o mesmo - afirma Marcello.

Na tarde desta quinta-feira, um tubarão foi visto na Barra da Tijuca, próximo ao Posto 3. O animal foi flagrado por um praticante de kite surfe num trecho distante da arrebentação. No início de maio, a etapa do Circuito Brasileiro de Surfe que foi realizada na Praia da Barra, entre os postos 5 e 6, foi paralisado por cerca de 20 minutos após dois tubarãoes terem sido avistados no local.

De acordo com o oceanógrafo e professor da Uerj David Zee, a região é favorável ao aparecimento de tubarões devido ao material orgânico que atrai os peixes, alimentos do animal.

- Existe uma suspeita de que a construção de estruturas costeiras tenha mudado a morfologia da praia e a oferta de alimentos. O resíduo orgânico descartado pelo homem alimenta crustáceos menores, que servem de comida para peixes, e assim segue a cadeia alimentar até chegar ao tubarão. É nomal haver tubarões dentro do mar e, em dias de praia cheia, há uma chance maior de os banhistas os avistarem. Não é comum eles atacarem seres humanos, a não ser que as pessoas cheguem perto. O ideal é que elas não se aproximem - alerta Zee.

O Corpo de Bombeiros afirma, em nota, que recomenda que os banhistas sempre procurem mergulhar em locais onde exista um posto de salvamento. Diz ainda que os guarda-vidas da corporação atuam na orla do Rio de forma preventiva, monitorando as praias por terra, em motos aquáticas e por ar, quando necessário. Em caso de avistamento de tubarão, o banhista deve sair do mar e acionar imediatamente o Corpo de Bombeiros, ligando 193 ou dirigindo-se ao posto de salvamento mais próximo.

CAMPEONATO DE SURFE
No início de maio, a etapa do Circuito Brasileiro de Surfe que foi realizada na Praia da Barra, entre os postos 5 e 6, foi paralisada por cerca de 20 minutos após dois tubarões terem sido avistados no local. Na ocasião, banhistas avistaram os animais na altura do Posto 5 e avisaram a uma equipe do Grupamento Marítimo, que alertou a organização do campeonato. A final feminina, que seria realizada naquele momento, foi paralisada e as atletas saíram da água. Um jet-ski patrulhou o local e os tubarões não foram mais avistados. O campeonato foi reiniciado, com a presença do jet-ski na água, próxima às atletas.

De acordo com o oceanógrafo e professor da Uerj, David Zee, a região é favorável ao aparecimento de tubarões devido ao material orgânico que atrai os peixes, alimentos de tubarões.

A região da Barra é um local adequado para esses animais porque é uma saída do canal da Joatinga, com uma enormidade de material orgânico que atrai os peixes e, consequentemente, tubarões. A proximidade das ilhas também influencia, porque tem muitos animais se desenvolvendo lá. As ilhas oferecem abrigo, alimentos e substratos para a proliferação da vida marinha ? explicou o oceanógrafo, recomendando aos banhistas que não se aproximem do animal. ? Em geral, eles (os tubarões) se aproximam apenas para observar, mas é bom não dar chance ao azar ? concluiu.

O esportista que registrou o tubarão disse que chegou a fazer vários contatos visuais com o animal, que, aparentemente, não esboçou reação.

Eu fiz uns três contatos visuais, mas só consegui registrar uma vez. Tentei uma nova aproximação com cautela, mas como o vento estava muito fraco próximo à praia, não quis arriscar cair na água por ali. O que percebi é que o tubarão estava bem tranquilo, eu é que fiquei bem tenso ? contou, rindo, Marcelo Alegria. ? Procurei banhistas na água para avisar, mas acho que já tinham visto ou foram avisados, pois não encontrei mais ninguém no mar.

FONTE: gazetaweb

4/30/2018

PRISIONEIROS: Tubarão-leopardo chega ao Aqua Rio para encontrar ‘namorada’

Pelo menos farão companhia um ao outro. Publicamos a respeito aqui... é só conferir.
-------------
Zeca e Ritinha esperam o fim da quarentena do macho para finalmente se encontrarem. Os nomes são uma homenagem aos casal da novela "A Força do Querer"

O tubarão-leopardo de um metro e meio Zeca chegou há 15 dias ao Aqua Rio, na Zona Portuária, onde vai conhecer sua nova namorada, a Ritinha. O nome dos animais é uma homenagem aos personagens da novela A força do querer, da TV Globo, que forma um par romântico. Um atriz Isis Valverde interpretou uma mocinha da trama gravou cenas da novela em um aquário local, junto a tubarões, raias e outros animais marinhos.

Antes de nos encontrarmos finalmente, o Zeca está em quarentena para se adaptar ao ambiente de trabalho e às agendas de alimentação, bem como as condições de saúde na Indonésia de onde foi trazido. O tubarão percorreu 16 mil quilômetros de avião em 24 horas.

Além disso, o aquário conta com um circuito de 28 aquários, com a costa brasileira, o Caribe e o Indo-Pacífico.

FONTE: vejario

4/03/2018

Novela com final feliz: Ritinha, tubarão leopardo fêmea do AquaRio, ganha companheiro em abril

Já que estão em cativeiro, ao menos que seja em boa companhia... Deus meu, e eu ainda acho o menos pior.... O pobre Zeca foi retirado da natureza? a matéria não especifica
-----------
Este mês, Zeca vai embarcar num avião especial da região oceânica do Indo Pacífico direto para o AquaRio, com a nobre missão de acabar com a solidão de Ritinha, como antecipou Jan Theophilo no Informe JB. 
Além de até hoje não ter um companheiro para chamar de seu, o tubarão leopardo (Stegostoma fasciatum) fêmea, além de suas modestas dimensões, ainda tem de conviver com a vistosa Margarida, tubarão da espécie mangona (Carcharias taurus), a estrela do tanque, com seus ostensivos 80 quilos e dois machos, Donald e Gastão.

A fêmea até então solitária e o triângulo amoroso habitam a principal atração do maior tanque do local, com 3,5 milhões de litros de água, em meio a 18 outros tubarões e arraias e  de 60 peixes de diversas espécies.

O tubarão leopardo recebe esse nome por conta das manchas em sua pele. Habita regiões tropicais dos oceanos Índico e Pacífico e gosta de viver perto de corais e sedimentos arenosos. A cópula do casal leva entre dois a cinco minutos. São tubarões ovíparos, e a fêmea coloca mais de 45 ovos durante 112 dias, que eclodem de quatro a seis meses em cativeiro, como será no caso de Ritinha. Com sorte, até o fim do ano os filhotes já estarão ajudando a povoar o tanque destinado aos bebês no AquaRio. Só em 2017, foram reproduzidos 700 filhotes na instituição.

Esse drama da vida real tem tudo a ver com “Força do querer”, novela de ficção da TV Globo protagonizada por Iris Valverde e Marcos Pigossi que, não por acaso, batizaram os tubarões. Como a atriz mergulhou de verdade durante as filmagens, o AquaRio resolveu homenageá-la.

Ritinha é novata entre os demais, porém esbanja carisma, segue nadando serena entre seus pares e não faz ideia do que a aguarda. Afinal, para um aquário que ostenta as certificações de Bem Estar concedidas pela Sociedade Brasileira de Zoológicos e Aquários e da tradicional inglesa Wild Wellfare, nada mais natural do que zelar pela felicidade de seus hóspedes.

A entrada no AquaRio, maior aquário da América do Sul, já impressiona, com a ossada de uma baleia Jubarte — de 13 metros de comprimento e 37 toneladas — suspensa no lobby do prédio, em plena praça da alimentação. Por mais de dois anos, a ossada do mamífero foi tratada até a finalização da osteomontagem, depois de encalhar na Praia da Macumba, no Zona Oeste do Rio, em 2014. Com instalações de Primeiro Mundo, são 26 mil metros quadrados de área construída e cinco andares no circuito com 28 tanques, onde estão peixes da costa brasileira, do Caribe e da região do Indo-Pacífico. São ao todo 4,5 milhões de litros de água salgada e cerca de oito mil animais de 400 espécies diferentes.

Equipamento de educação 
O AquaRio funciona como um equipamento de educação, pesquisa, conservação e lazer, com tecnologias inovadoras. Uma parceria do Centro de Pesquisas Científicas do AquaRio com o Departamento de Biologia Marinha da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) permitiu o desenvolvimento de estudos na área de reprodução em cativeiro de espécies ameaçadas e o gerenciamento educacional de alunos e estagiários no aquário, criando novas oportunidades de pesquisa da vida marinha.

Os preços, porém, são salgados como a água do mar — R$ 100, para estrangeiros; R$ 80, para brasileiros; R$ 60, para cariocas; e R$ 50, para crianças (em breve haverá uma promoção de R$ 39,90 para os pequenos). Em compensação, as escolas públicas entram de graça. Existe, inclusive, uma sala de realidade aumentada especialmente destinada a esse público, onde as crianças mexem em telas virtuais e têm uma bióloga à disposição para informar sobre todas as espécies que vivem no mar. Apesar de toda a crise, público é o que não falta: de novembro de 2016 ao mesmo mês de 2017 foram 1,4 milhão de visitantes. Aos domingos, a frequência chega a sete mil pessoas.

FONTE: jb

12/07/2017

Tubarão morre sufocado ao tentar engolir peixe porco-espinho

Coitado!!!!! dá uma pena, né? agora, a natureza é muito cruel.... é linda, mas, muito cruel..... 
------------
Imagem rara foi feita por bióloga marinha nas Ilhas Maldivas
A expressão "morrer pela boca" nunca foi tão literal. Um tubarão-limão foi encontrado morto sufocado ao tentar engolir um peixe porco-espinho, uma vez que o pequeno animal tem a capacidade de inchar seu corpo — repleto de
grossas farpas — quando se sente ameaçado. A cena foi fotografada pela bióloga marinha Lauren Arthur, que encontrou os animais na areia de uma praia das Ilhas Maldivas, banhadas pelo Oceano Índico. O peixe também não sobreviveu.

Lauren conta que tal peixe consegue aumentar tanto o seu próprio tamanho que foi capaz de bloquear as brânquias do predador, o que levou ao sufocamento. Após ambos morrerem, seus corpos acabaram sendo arrastados para a areia pelas ondas.

O encontro mortal aconteceu no dia 21 de abril deste ano, e a bióloga fez as fotos no mesmo dia, mas só agora as divulgou.

Jovens tubarões-limão — o nome se deve a uma leve cor amarelada em seu dorso — são comuns na Baa Atoll, uma divisão administrativa das Maldivas. O lugar é também lar de uma grande população de peixes porco-espinho, um tipo de peixe que guarda semelhanças com o baiacu, tão comum no Brasil, mas que tem a importante diferença de possuir fortes espinhos espalhados por seu corpo.

O peixe que foi presa do tubarão-limão tem a capacidade de inflar seu corpo, que é repleto de espinhos - Divulgação/Lauren Arthur
No entanto, embora sejam animais frequentemente encontrados naquela região, uma cena como essa — um tubaraão com um peixe desses agarrado na boca — nunca foi vista pela bióloga marinha, relatou ela por e-mail ao portal "Live Science".

Os tubarões são capazes de vomitar itens indigestos ou excesso de comida, como pesquisadores relataram em 2011 na revista "Florida Scientist". Em casos extremos, os tubarões podem até expulsar brevemente seus próprios estômagos, o que é conhecido como "eversão", de acordo com um estudo publicado em 2005 no "Journal of the Marine Biological Association of the United Kingdom". Os autores do estudo até mesmo capturaram a evidência desse comportamento em um vídeo, no qual o estômago de um tubarão sai da boca e depois volta para dentro novamente.

Entretanto, no incidente com o peixe porco-espinho, o mais provável que tenha acontecido é que, quando o tubarão tentou expulsar o peixe para fora, as farpas do animal — que a esta altura já estaria bem inflado — fincaram profundamente na boca do predador. E o corpo expandido do peixe bloqueou o fluxo de água das brânquias do tubarão, ocasionando o sufocamento.

Os tubarões de limão podem crescer mais 3 metros e pesar até 250 quilos, de acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza. Mas este, em particular, provavelmente era bem jovem, porque media apenas cerca de 1 metro de comprimento, observou Lauren.

A bióloga conta que, ao se deparar com a cena, não tinha em mãos qualquer equipamento para estudar o peixe, analisar o tubarão e remover os espinhos de sua boca.

— Não havia nada mais que pudesse ser feito para estudar os dois "combatentes" — disse ela. — Então enterramos o tubarão na ilha. 

FONTE: oglobo

11/01/2017

Leões, chimpanzés e tubarões ganham proteção adicional da ONU

Eu só queria ter a certeza que vai adiantar.... Agora, reparem qual o país que não quer participar do acordo.... só podia, né?
----------- 

Leões, chimpanzés, girafas, leopardos e uma ampla variedade de tubarões receberam proteção adicional em uma conferência de vida selvagem da ONU nas Filipinas, afirmaram os organizadores neste sábado (28).

Cerca de 34 espécies ameaçadas foram selecionadas para receber maiores esforços de proteção na convenção da Conservação de Espécies Migratórias (CMS, na sigla em inglês), que acabou neste sábado em Manila.

A proteção de espécies migratórias oferece dificuldades particulares, já que elas atravessam fronteiras, e podem eventualmente passar por países com sistemas de proteção à vida selvagem menos rigorosos, disse Bradnee Chambers, secretário-executivo do CMS. "Se as espécies estão se movendo entre todos esses países, todo mundo tem que participar", disse ele no fim da conferência, que durou a semana inteira.

Leões, leopardos e chimpanzés são os que mais precisam de esforços de conservação. O chimpanzé corre riscos particularmente elevados - dados indicam que sua população teve uma queda abrupta nos últimos anos, graças a perdas de habitat, segundo os organizadores.

A girafa, em declínio na África, com menos de 90 mil animais na natureza, também está na lista. Todos os quatro grandes mamíferos africanos foram aprovados por uma "maioria ampla" para receberem medidas de proteção adicionais, diz uma nota do CMS.

- Abutres e tubarões -
Animais menos populares também receberão a proteção adicional, inclusive dez espécies de abutres. Chambers disse que essas aves oferecem um serviço vital ao limpar as carcaças - prevenindo, assim, que doenças como antrax e raiva se espalhem.

Também aparece na lista o tubarão-baleia - o maior peixe do mundo. O anfitrião do evento fez uma forte campanha pelo animal, que se tornou uma importante atração turística filipina. Três outras espécies do bicho - squatina, tubarão-escuro e tubarão-azul - foram listadas, bem como três tipos de arraias, disseram os organizadores.

O grupo de caridade de ativistas Pew Charitable Trusts elogiou as ações do CMS, dizendo que foram cruciais para salvar os animais marinhos. "Em algumas regiões, as espécies recém-protegidas de tubarões tiveram declínios populacionais de 50%, ou mais", afirmou a especialista em conservação da Pew, KerriLynn Miller, em nota.

O urso Gobi, uma subespécie do urso-pardo que vive nas regiões selvagens compartilhadas entre Mongólia e China, também foi listado. Há apenas 45 espécimes dele na natureza, segundo os organizadores.

Um dos avanços do encontro foi a adoção de um "mecanismo de revisão de conformidade", para conferir se os países-membros respeitam as listas de proteção. O especialista de conservação da Pew, Max Bello, disse que mesmo que as listas do CMS não tenham sanções, muitos membros países ainda as cumprem.

"Funciona. Precisa de mais (autoridade), com certeza. Mas você pode usar ele. É uma ferramenta muito boa", disse à AFP. "Há um ou dois anos, estava ajudando alguns grupos no Peru, na costa sul do Pacífico, e usamos o CMS para convencer o governo do Peru a proteger as arraias gigantes que vêm do Equador todo ano", ele lembrou.

- China avança -
Mais de 120 países fazem parte do CMS, mas China e muitas nações asiáticas estão de fora. "Estamos tentando trabalhar para a China embarcar como membro da convenção. Estamos envolvendo eles, e eles realmente estão fazendo alguma coisa", disse Chambers à imprensa.

A China já tinha feito algum progresso, com a proibição de sopas de barbatanas de tubarão em banquetes oficiais e do marfim, a partir do fim de 2017, afirmou. "O que é preciso é envolvimento positivo com o país para ver como encontrar soluções, em vez de apenas bater no país e olhar para o lado negativo".

FONTE: EM

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪