RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador ovos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ovos. Mostrar todas as postagens

8/25/2018

Carrefour anuncia fim dos ovos de galinhas confinadas até 2028

Juro que queria entender porque só daqui há 10 anos..... fala sério!!!!!!
--------------
Compromisso deve pressionar criadores a diminuir sofrimento animal e tornar alimento mais saudável
Maior rede de varejo do país, o Carrefour anunciou que vai se alinhar a uma tendência internacional de comercializar apenas ovos de galinhas criadas sem gaiolas até 2028, em todas as suas lojas.

6/07/2018

ATIVISMO: Multidão entra em granja de ovos e resgata 37 aves - EUA

Uma excepcional ação de ativistas......
----------------------
De arrepiar: multidão entra em granja de ovos e resgata 37 animais; 39 ativistas foram detidos 
Nesse fim de semana, um grupo gigantesco de ativistas invadiu calmamente uma granja de produção de ovos na Califórnia, nos Estados Unidos. O objetivo era entrar e sair com o maior número de animais possível.

À frente da multidão, um advogado que explicou para os proprietários do local que o grupo estava amparado por uma lei que permite que propriedades privadas sejam invadidas se o motivo for o salvamento de um animal em risco de morte.

Usando roupas especiais para não colocar em risco os animais dentro da granja, um pequeno grupo entrou nas instalações e resgatou 37 galinhas que estão agora sob o cuidado de voluntários, seguras.

Quando a polícia chegou, deu voz de prisão a quem ultrapassasse uma linha delimitada pelos soldados. Andando e com rosas nas mãos, os ativistas ultrapassaram a linha em um enorme grupo, tornando inviável a prisão de todos. Sem oferecer qualquer resistência, 39 ativistas foram detidos pela polícia.

A ação foi organizada e realizada pelo grupo Direct Action Everywhere – Ação Direta em Todos os Lugares. Tudo foi documentado com várias câmeras e um drone. O vídeo é emocionante, assista.

Assista ao vídeo
Fonte: Vista-se

3/24/2018

ONG faz manifestação contra empresa que garante que os ovos que vende são de galinhas livres

Sinceramente, o que fazer com uma empresa que vende os ovos com a tarja de "naturais" e daí vemos o absurdo das condições que os animais são mantidos...... Nem o primo do capeta ia aguentar isto!!!!! Vamos aguardar o julgamento da justiça e a posição do tal mercado depois da manifestação..... Enquanto isto, vamos assinar a PETIÇÃO DA ONG companheira que está lutando pela libertação destas aves.
---------------
Uma ousada ativista dos direitos dos animais estava em uma pilha de estrume do lado de fora de um San Francisco Trader Joe's para protestar contra as alegadas condições da fazenda. Cassie King, uma estudante da UC Berkeley, trabalhou com o grupo de direitos dos animais Direct Action Everywhere para realizar a tarefa na manhã de quarta-feira.

A organização liderou uma investigação que supostamente encontrou galinhas vivendo em condições hediondas em gaiolas de arame cobertas com seus próprios resíduos em uma fazenda em Michigan, de acordo com o SFGate . Cassie King, na foto acima, estava no chão e estava coberto de estrume animal em um protesto dramático na manhã de quarta-feira contra as fazendas de ovos do Trader Joe.

A demonstração durante o protesto foi usada para aumentar a conscientização sobre as terríveis condições. King estava deitada no chão em uma carga de esterco animal, normalmente usado como fertilizante, usando roupas rasgadas.

O estrume foi empilhado em cima de seu corpo, até mesmo seu rosto. O protesto aconteceu na porta da frente do Trader Joe's, localizado no bairro SoMa de São Francisco. "Os ovos supostamente" humanos "vendidos no Trader Joe vêm de aves que viveram suas vidas inteiras em pilhas de lixo", disse King à SFGate.

O protesto atraiu multidões e para a cena que viu Cassie coberta de restos de animais cercados com caixas de ovos vazias salpicadas com tinta vermelha. Manifestantes empilharam adubo animal na estudante da Universidade de Berkeley durante todo o dia
 
Multidões se reuniram em torno do espetáculo - e do cheiro forte - para aprender sobre a causa. Ela acrescentou que os rótulos "induzem os consumidores a pagar pela crueldade". Ela ficou lá por pelo menos uma hora para o protesto que atraiu multidões curiosas. 

"Cassie está atualmente deitada em uma pilha de esterco real para demonstrar o que acontece com os animais na indústria da pecuária e mostrar solidariedade com os animais que são forçados a deitar-se nestas condições por dias sem qualquer alimento ou água", disse um palestrante no jornal. o protesto disse em um vídeo ao vivo postado no Facebook. Multidões se reuniram com seus telefones para filmar o protesto. Ativistas aguardavam com imagens das galinhas na fazenda para mostrar suas condições de miséria.

King disse que se propôs a se deitar no lixo animal depois de aprender sobre as descobertas da investigação. "Eu não podia imaginar viver assim e ter alguém chamando isso de natural para viver a minha vida desse jeito", disse King. "Bem, eu vi as condições da investigação em que os animais estavam vivendo e quero que o público perceba que é uma mentira que está sendo vendida para eles e muitas pessoas estão recebendo essa mensagem hoje", acrescentou ela com um tom sombrio. cara perto de lágrimas.

Os ativistas argumentaram que a cadeia de supermercados rotulou seus ovos como naturais, mas dizem que "não há nada de natural nisso", dadas as condições de vida das aves. Trader Joe's ainda está para comentar sobre o protesto. 

Vejam o vídeo feito pela Direct Action Everywhere no local onde as aves são acomodadas


Fonte: Daily Mail

2/21/2018

França proíbe a partir de 2022 venda de ovos de galinhas criadas em gaiolas

Juro pelos calos do profeta que gostaria de entender porque só em 2022.... Será que os universitários podem responder?
----------
A partir dessa data só serão vendidos ovos de galinhas ao ar livre.

A venda de ovos frescos produzidos por galinhas em gaiolas vai ser proibida em França a partir de 2022, permitindo-se apenas a compra de ovos de animais criados ao ar livre, anunciou o Governo francês.

"Em 2022, os ovos frescos vendidos serão de galinhas criadas ao ar livre e não em gaiolas. Trata-se de um compromisso da nossa campanha eleitoral e vamos mantê-lo", afirmou o ministro da Agricultura francês, Stéphane Travert, numa entrevista aos meios de comunicação franceses Europe 1, CNews e Les Echos.

Algumas cadeias de supermercado em França adiantaram-se já à entrada em vigor desta proposta - que ainda está por aprovar - e apenas vendem ovos de galinhas criadas ao ar livre.

Ainda assim, a produção em massa dos criadores de gaiolas não vai parar em França, já que estes os ovos criados dessa forma continuaram a ser utilizados produtos processados à base de ovos.

De acordo com as organizações ambientais, os ovos provenientes de galinhas criadas em gaiolas são prejudiciais aos animais, pois vivem amontoados em espaços fechados sem luz natural, e para a saúde humana, pois as galinhas estão mais expostas a doenças.

FONTE: tsf.pt

1/22/2018

Uma melhora nas condições da exploração de galinhas

Fiz questão de publicar esta matéria porque acho que as coisas estão avançando enquanto a catequese vegana vai se expandindo.... Pelo menos as galinhas tem um período de vida em condições naturais.... Sei que isto é muito pouco, mas, para o mundo global considero algo que possa aumentar a consciência de todos....
------------
A Tapuio Agropecuária, localizada em Taipu, cidade a 65 quilômetros de Natal, adotou uma nova modalidade de controle de qualidade nos ovos produzidos na fazenda instalada no Rio Grande do Norte. Agora, as cascas trazem a identificação da marca e do lote de fabricação, assegurando a rastreabilidade, mesmo que a embalagem tenha sido descartada. Atualmente, a Tapuio produz quase dois milhões de ovos por mês, vendidos para supermercados, empórios, restaurantes e hotéis em todos os estados do Nordeste.

“Essa nova tecnologia é uma forma de ampliar o controle de qualidade dos ovos produzidos, aumentando a segurança alimentar para os consumidores”, explica o diretor executivo da Tapuio Agropecuária, Francisco Veloso. A tinta utilizada para a impressão é comestível e autorizada pelos órgãos competentes.

A fazenda conta com mais de 100 mil aves e é pioneira na produção de ovos diferenciados. Destas, 70 mil já vivem soltas sobre o piso de areia, livres de gaiolas, e recebem alimentação vegetariana. Essas galinhas são responsáveis pela produção de 1,5 milhão de ovos Mr. Caipira por mês. As demais galinhas, responsáveis pela produção dos ovos Mr. Ovo Saúde e Mr. Ômega 3, também serão criadas fora de gaiolas até  2021.

“Teremos 100% de nossas aves criadas soltas até 2021. Nossa decisão visa garantir o bem-estar dos animais”, explica Veloso. Essa é uma tendência mundial, inclusive, grandes redes de fast food já anunciaram que, dentro de alguns anos, só vão adquirir ovos de galinhas criadas fora do confinamento de gaiolas.

Na Tapuio, a preservação do bem-estar das galinhas que produzem o ovo caipira se dá pelo fato das aves terem liberdade para ciscar, bater asas, empoleirar e tomar banho de areia. “As instalações oferecem amplo conforto e seguem controle sanitário rigoroso. As aves ficam soltas em piquetes para pastagem e postura em ninhos, com sombreamento e água. Há ainda um galpão aberto com aproximadamente 700 metros quadrados de área reservada para suplemento alimentar à base de milho, calcário e farelos de trigo e soja. Cada galpão tem seis piquetes e comporta um lote de 12 mil aves”, conta Veloso.

Os ovos Mr. Caipira tem elevado teor de vitamina A, qualidade reconhecida por conservar o inigualável sabor do campo e sua característica marcante é a coloração intensa da gema. O Mr. Ovo Saúde é enriquecido com selênio e vitamina E, antioxidantes que aliados a uma dieta saudável auxiliam no combate a doenças cardiovasculares e na prevenção do envelhecimento da pele.

O Mr. Ômega 3 é produzido por galinhas que recebem alimentação com linhaça e possui 16 vezes ômega 3 que um ovo tradicional. A dose extra de nutrientes é adicionada diretamente na ração consumida pelas galinhas e os componentes dos ovos são comprovados em análises realizadas pelo ITAL – Instituto de Tecnologia de Alimentos, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

(cortei o resto da matéria porque falava da exploração de gado leiteiro e tudo mais)

FONTE: tribunadonorte

11/09/2017

Fazenda holandesa vende primeiros ovos produzidos sem emissão de CO2

Fui pesquisar a respeito e acho que, pelo menos, está havendo um cuidado maior. Comparando as granjas nojentas que vemos pelo mundo afora, esta daí parece um paraíso para as pobres galinhas exploradas. O Link da empresa é ESTE. Separei algumas fotos p´ra avaliarem. É claro que depois irão para aquela morte miserável, mas, pelo menos, enquanto não conseguimos nosso intento, elas tem uma vida....
--------

A partir de energia limpa e uma alimentação procedente de resíduos, a empresa holandesa Kipster afirmou ter produzido o primeiro ovo sem emitir uma única grama de CO2.

"Há três anos nos propusemos a investir em um novo conceito de fazenda, onde as galinhas produzissem o ovo mais sustentável do mundo, sem que o preço disparasse para o consumidor", explicou à Agência Efe um dos cofundadores da Kipster, Ruud Zanders.


A fazenda, que fica no sul da Holanda, produz ovos de galinhas brancas, da raça Leghorn, que são mais eficientes, segundo Zanders. "Elas precisam de menos recursos do que outras raças para produzir a mesma quantidade de ovos", explicou.

O segundo passo para a produção de um ovo livre de CO2 é o uso exclusivo de energias renováveis. Por isso, a firma instalou 1.100 painéis solares para suprir a fazenda.


Por fim, o terceiro elemento é o aproveitamento de resíduos da indústria alimentícia para a ração das aves. A empresa utiliza, segundo Zanders, excedentes da colheita não apta para o consumo humano, mas que podem ser dados às galinhas. "Um exemplo é o cereal procedente da indústria do óleo vegetal", explicou o cofundador da Kipster.

Com esses três avanços, a empresa garante que consegue reduzir a emissão de CO2 na produção em 90%. O restante, que não é eliminado, acaba compensado com investimentos em produtos de energia solar e reflorestamento.


A ração criada a partir de resíduos de alimentos pode servir de modelo para outros produtores, segundo o pesquisador da Universidade de Wageningen, Bram Bos. "É um alimento que não faz uso da terra disponível e, portanto, seu impacto na mudança climática é muito menor", afirmou.

Esse mesmo avanço, no entanto, é também a principal limitação do modelo proposto pela Kipster, destacou o especialista. "O volume de resíduos necessários para alimentar todas as galinhas chocadeiras é muito maior do que o que está disponível hoje. Esse é um problema global", explicou.


Outra desvantagem está no preço. Com um custo de 24 centavos de euro por ovo, o produto livre de CO2 é 50% mais caro. "Falta muito ainda até se conseguir uma grande produção nesse preço. Muita gente ainda não está disposta a pagar tanto por um ovo", explicou Bos.

Zanders, no entanto, diz que os ovos de sua empresa são mais baratos do que os orgânicos porque eles utilizam na produção milho mais caro, de boa qualidade. "Isso é um contrassenso. Enquanto milhões de pessoas morrem de fome, damos alimento apto para consumo humano para nossos animais", afirmou o empresário.



Após a produção, os ovos são empacotados em caixas de fécula de batata, um material mais sustentável do que papelão. O produto então é levado a um supermercado que, desde outubro, vende com exclusividade o ovo livre de CO2.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), a pecuária é responsável por 14,5% das emissões de CO2 no mundo, sendo que 8% vem da produção de ovos.

FONTE: uol

========
Outra  matéria  


EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪