RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador orangotangos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador orangotangos. Mostrar todas as postagens

9/27/2018

Filhotes de orangotango e outros 400 animais exóticos são resgatados na Malásia

Sorte destes animais por serem resgatados..... Fico pensando naqueles que não são..... Que o destino se apiede deles.... Agora, verdade seja dita: só existe tráfico porque há compradores....
----------------
Dois filhotes de orangotangos, de crocodilos e aves raras estão entre os mais de 400 animais resgatados de um barco na costa da Malásia. As autoridades

8/21/2018

“Há um humano em minha floresta…” Filme retrata agonia dos orangotangos

Muito legal!!!! Achei bem interessante o material educacional.....
---------------
Nova animação do Greenpeace alerta sobre a destruição das florestas tropicais para exploração de óleo de palma, usado em vários produtos do cotidiano

São Paulo – Com o declínio mundial da população de orangotangos, que caiu pela metade em apenas 16 anos, defensores ambientais têm soado o alarme para

6/25/2018

EXTINÇÃO: Obra ameaça população de orangotangos ameaçados de extinção

Isto é tão triste, não? Minha vontade era fabricar uma bomba que envenenasse todas as pessoas que não respeitasse o meio ambiente e os animais... Será que uma startup resolvia esta parada? seria legal, não?
=======
Orangotangos, espécie ameaçada de extinção, estão em risco por uma obra em um dos locais que concentram uma das maiores populações do animal

Restam poucos orangotangos no mundo: a espécie é considerada ameaçada de extinção. A ilha de Bornéu, na Indonésia, tem uma das maiores populações que restam. Mas eles estão em risco. Um canal corta a floresta em que eles vivem na província de Kalimantan Ocidental. E as árvores estão sendo derrubadas.

"Vamos perder uma das maiores e mais importantes populações de orangotangos que ainda temos. No ponto em que chegamos, cada um deles tem uma importância vital e não podemos perder uma população inteira de mais de mil animais", diz Karmele Llano Sanchez, da ONG Resgate Internacional de Animais (IAR).

O governo proibiu o desmatamento em 2015, mas a medida encontrou resistência com alguns grupos. "Isso cria insegurança jurídica e prejudica os investimentos na Indonésia. Você vai sacrificar (o trabalho) das pessoas da região só porque quer salvar orangotangos?", diz Gusti Hardiansyah, conselheiro do governo local.

Ambientalistas dizem que o resultado dessa disputa vai decidir o destino dos animais ameaçados.

FONTE: epocanegocios

4/11/2018

Orangotangos retratados em lutas de boxe cruéis - Tailândia

As coisas são tão difíceis, né mesmo? O fotógrafo Aaron Gekoski, já bem conhecido das causas ligadas à fauna e meio ambiente, tem produzido um bom material de conscientização. Ele está captando recursos para ir novamente à Tailândia e fazer novas imagens. O vídeo que vem na matéria é excelente forma de conscientização. Não deixe de ver.
-------------
Surpreendentes fotos de orangotangos sendo exploradas em lutas impiedosas de boxe para turistas tem sido bastante divulgadas. O Safari World próximo a Bangkok, na Tailândia, diariamente revela a crueldade para multidões de turistas que observam os animais batalhando dentro do ringue. Os lutadores ridicularizados são vestidos com luvas e shorts, enquanto as orangotangos fêmeas são vestidas como senhoras de biquínis e minissaias. O fotojornalista ambiental Aaron Gekoski testemunhou o presente e capturou as fotos horripilantes.

Ele notou os animais estimulados por seus manipuladores a realizar várias acrobacias no palco antes do início da apresentação. Aaron, 37 anos, mencionou: “Os orangotangos são pressionados por rotinas de pantomima hediondas. Por algum motivo, as pessoas descobriram que era engraçado ver esses animais espertos com suas calças abaixadas ou fingindo se digladiarem. Os orangotangos geralmente não estão fazendo isso porque eles querem, eles estão fazendo isso porque são pressionados a fazê-lo. Só se pode imaginar os maus-tratos aplicados nestes animais que foram treinados em um esforço para realizar algo assim."

No entanto, descrevendo o atual site Safari World, sem vergonha, que escreve em cartaz para chamar a atenção: “Quem pode perder a luta dos primeiros e únicos orangotangos boxeadores do mundo estrelando com os mais engraçados campeões das Olimpíadas?" 

Aaron tem documentado o comércio de turismo de vida selvagem da Tailândia e afirma que mais de meio milhão de animais em todo o mundo podem estar sujeitos a horríveis abusos em um esforço para entreter.


Ele também testemunhou abusos óbvios de animais no zoológico de Pata e no zoológico de Phuket.  

Ele acrescentou: “O que eu testemunhei foi impressionante e extremamente angustiante. Posando para uma selfie com um tigre, montando um elefante, observando os golfinhos revela: mais de 100 milhões destes animais vão para locais impiedosos que exploram o turismo de vida selvagem a cada ano. Mas por trás das performances está um aspecto sombrio da exploração cruel destes animais...  Observamos orangotangos grosseiramente gordinhos ou abaixo do peso salvos em pequenas gaiolas ou pressionados a se aproximarem um do outro; um gorila morando em uma 'cela' suja no alto de um shopping center; elefantes drogados algemados a correntes durante a noite, após o que faziam 'dançar' ou jogar futebol o dia todo; tigres emaciados salvos em cadeias minúsculas para que eles possam ser transferidos com facilidade; macacos vestidos ridiculamente andando de bicicleta.   

Ele continua: “Na verdade, era uma vida selvagem de horrores.Muitos animais são esmagados e maltratados e têm seus espíritos prejudicados por manipuladores, tornando-os totalmente submissos. Mas a maioria dos turistas não está consciente do abuso que ocorre ou do quão pobre é o padrão de vida para muitos animais em cativeiro.”

O britânico Aaron, vencedor do prêmio fotógrafo de animais silvestres deste ano, planeja retornar à Tailândia para filmar um documentário que expõe os supostos abusos e está arrecadando recursos para seu subsequente trabalho.

Ele mencionou: “Um objetivo de longo prazo é criar uma plataforma mundial para que os turistas possam tomar conhecimento do quanto é cruel este tipo de turismo junto á vida selvagem.  Finalmente eu preferiria organizar um sistema de credenciamento para que os turistas pudessem fazer seleções conhecedoras sobre quais pontos turísticos da vida selvagem possam visitar pois a maioria nem imagina do sofrimento dos animais por trás destas apresentações. Em um mundo realmente perfeito, eu preferiria trabalhar com as autoridades para fechar essencialmente os operadores de turismo mais negligentes por não informar devidamente. A mudança é viável quando as pessoas escolherem a não ir à esses locais. Enquanto isso, continuarei minha jornada fotográfica, visitando diferentes nações e operadores identificados por sua implacável exploração de animais. Isso implica muito mais zoológicos, aquários, circos e extras extras até mesmo dentro de um oleoduto.”

https://www.gofundme.com/wildlife-tourism. (vakinha para o fotógrafo)
www.aarongekoski.com (site do fotógrafo)
Fonte:  catersnews
Tradução livre do Google para "O Grito do Bicho"

2/20/2018

Em apenas 16 anos, Bornéu perde 150 mil orangotangos

Não sei como ainda existem exemplares destes animais.... O homem está destruindo tudo....
--------
Desflorestamento e caça são as principais ameaças para a sobrevivência da espécie

Considerado um dos parentes mais próximos dos humanos, o orangotango de Bornéu corre sérios riscos de desaparecer. Por causa da destruição do seu habitat e da caça, quase 150 mil deles desapareceram num período de apenas 16 anos, entre 1999 e 2015, revela levantamento publicado nesta semana na revista “Current Biology”. O estudo alerta que o avanço do desmatamento e os conflitos com populações humanas são ameaças para a sobrevivência deste primata.

O declínio na densidade populacional foi mais severo em áreas que foram desflorestadas e transformadas pela agricultura industrial, já que os orangotangos sofrem para viver fora das florestas — comentou Maria Voigt, do Instituto Max Planck para a Antropologia Evolucionária, na Alemanha, uma das envolvidas na pesquisa. — O preocupante, no entanto, é que a maioria dos orangotangos foram perdidos em áreas que continuaram conservadas durante o período do estudo, o que implica uma grande participação da caça.

Pesquisadores de 38 institutos internacionais compilaram dados de pesquisas de campo conduzidas entre 1999 e 2015, extrapolando o tamanho total da população a partir do número de ninhos observados. No total, foram identificados 36.555 ninhos, com a redução progressiva ao longo do tempo. Os resultados indicam que a população de orangotangos foi reduzida em 148.500 animais no período. Além disso, o estudo sugere que apenas 38 dos 64 grupos restantes possuem mais de cem indivíduos, considerado o limite mínimo para a viabilidade.

Para identificar as causas das perdas, os pesquisadores utilizaram mapas que ilustram as mudanças ambientais ao longo do tempo, que foram comparados com os habitats da espécie. O levantamento indica que o desmatamento — principalmente para a mineração, produção de celulose e de óleo de dendê — provoca os declínios mais dramáticos no número de animais.

Porém, um número muito maior de orangotangos foram perdidos em áreas exploradas por madeireiras ou intactas. Esse aparente paradoxo é explicado pelo fato de essas áreas concentraram muito mais animais que as regiões devastadas. E o futuro é desanimador: os cientistas preveem que nos próximos 35 anos a população de orangotangos será reduzida em 45 mil animais, levando a espécie para a beira da extinção.

O orangotango de Bornéu é classificado como ameaçado de extinção pela União Internacional para a Conservação da Natureza. De acordo com as estimativas do novo relatório, restam entre 70 mil e 100 mil animais. Mas os cientistas também notaram que os orangotangos estão se demonstrando mais resilientes que o imaginado, com adaptações aos novos desafios. Por exemplo, eles estão caminhando em terra mais do que o esperado e se alimentando de plantas que não faziam parte de sua dieta, como as palmeiras de dendê e as acácias.

A única coisa com a qual não conseguem lidar é com as altas taxas de matanças vistas atualmente — apontou Serge Wich, da Universidade John Moores, de Liverpool. — Os orangotangos são uma espécie de reprodução muito lenta, e modelos usados em estudos anteriores indicam que se apenas um animal é perdido por ano num grupo de cem adultos, esta população tem alta probabilidade de desaparecer.

Além da caça pela carne e pela pele, os orangotangos estão se tornando vítimas de conflitos com agricultores. O estudo estima que existam cerca de 10 mil animais vivendo em zonas ainda não desmatadas com plantações de palmeiras. A maior parte deles deve morrer.

Nós não esperávamos perdas tão grandes em áreas de florestas, então o estudo confirma que a caça é uma questão central. Quando esses animais entram em conflitos com humanos nas fronteiras das plantações, eles sempre perdem. As pessoas estão matando eles — comentou Wich, em entrevista à BBC. — Na semana passada, nós recebemos o relato de um orangotango com 130 chumbos em seu corpo, após ser morto a tiros em Bornéu. Isso é chocante e desnecessário. Os orangotangos podem até comer as frutas, mas não são perigosos.

FONTE: oglobo

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪