RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador médico. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador médico. Mostrar todas as postagens

4/27/2018

Médico chinês passa 3 meses preso por dizer que vinho com osso de leopardo não cura doenças


Vejam o que um profissional progressista passa na China. 
-------------
Recentemente, um jovem médico chinês foi libertado depois de passar três meses na prisão por alegar que uma determinada marca de vinho medicinal era tóxico e não podia curar doenças cardíacas e artrite, como alegava o fabricante. Tudo começou em dezembro passado, quando o médico de Guangzhou, Tan Qindong, publicou um pequeno artigo sobre a plataforma de mídia social chinesa Meipian, afirmando que o popular vinho medicinal Hongmao não era apenas tóxico, mas também ineficaz no tratamento de doenças cardíacas graves e artrite.

Seu post aparentemente atraiu muita atenção, já que a Hongmao logo entrou com uma ação de difamação contra o médico de 39 anos, alegando que ele havia "desacreditado maliciosamente" a reputação da marca e causado perdas financeiras significativas de 1,4 milhão yuans (770 mil reais).

Em 10 de janeiro de 2018, o desavisado Dr. Tan foi levado de sua casa em Guangzhou pela polícia, para a Mongólia Interior, onde o fabricante de Hongmao está baseado, a 2.300 km de distância, e jogado na cadeia sem ser ao menos julgado.

De acordo com um documento policial, a Hongmao reclamou que o artigo do médico, intitulado "O licor farmacêutico mágico chinês é uma substância tóxica do céu", foi amplamente compartilhado on-line e resultou no pedido de restituição de dois distribuidores farmacêuticos e sete revendedores de vinho medicinal. A polícia considerou o artigo uma prova clara de difamação, então o prendeu. Simples assim.

O Dr. Tan Qindong passou três meses em uma prisão a milhares de quilômetros de distância de casa, e só foi liberado na semana passada, depois que notícias de sua prisão se tornaram virais, provocando polêmica nas mídias sociais chinesas. Advogados, médicos e agências estatais de notícias começaram a perguntar como uma empresa conhecida por exagerar as alegações de publicidade poderia convencer a polícia a prender alguém simplesmente por questionar os benefícios de seu produto.

O vinho medicinal de Hongmao é o principal produto de exportação do condado de Liangcheng, na Mongólia. Ele contém 67 ingredientes vegetais e animais, incluindo ossos de leopardo, e supostamente alivia doenças como dores nas articulações, rins frágeis, fraqueza e anemia em mulheres, bem como ajuda a curar doenças cardíacas. No entanto, isso é apenas de acordo com as teorias da medicina tradicional chinesa, e não foi cientificamente comprovado.

O Dr. Tan foi recentemente libertado da prisão devido a pressões da mídia e do público em geral, mas a investigação ainda não terminou, e seu advogado disse que há a possibilidade de que ele seja preso novamente. Em uma entrevista que deu recentemente, o médico de 39 anos falou sobre o pesadelo de ser preso, mas também deixou claro que não se arrepende de ter escrito o artigo sobre o vinho Hongmao.

- "Honestamente, esse local não era para humanos. Todos os dias eu dormia ao lado do banheiro, todos os dias comia dois pedaços e meio de pão cozido no vapor. Não havia banho de sol, nada...", disse o Dr. Tan sobre sua prisão, acrescentando que chegou a considerar o suicídio.

- "Foi correto escrever este ensaio", disse ele. - "Você deve falar a verdade algumas vezes durante a sua vida e, especialmente, se um médico não falar a verdade e deixar esses anúncios sobre curas milagrosas acontecerem, eles vão causar mais danos ainda a mais pessoas."


Por enquanto, o Dr. Tan Qindong está sendo saudado como um herói, e a Hongmao, a empresa que tentou silenciá-lo, já está sentindo uma reação negativa. Muitas farmácias na China retiraram o vinho medicinal de suas prateleiras para evitar irritar os clientes.

FONTE: mdig

12/05/2017

Médico dorme em carro para dar espaço em sua casa a 290 animais

Acho que as pessoas tem muita dificuldade de entender um negócio destes..... Pensando bem: será que somos muito doidos? kakakakaka...
-----------
De todas as raças e tamanhos, os animais ocupam os primeiros andares da casa chamado Santuário Gotitas de Amor
O verde das montanhas de Coamo, em Porto Rico, anuncia
que a natureza começou a se recuperar dos estragos feitos pelo furacão Maria. Contudo, o morador José Rivas ainda não pode dizer o mesmo.

O médico dorme em seu carro estacionado no terreno da sua antiga residência todas as noites, mas o motivo é muito especial: dar espaço aos seus 150 cachorros e 140 gatos.

De todas as raças e tamanhos, os animais ocupam os primeiros andares da estrutura da casa, que ele chama de Santuário Gotitas de Amor.

“A porta do meu quarto explodiu(…) Os gatos estavam se afogando pela água acumulada no andar acima. Eu os levei ao meu quarto, ainda tenho gatos traumatizados no meu quarto que não querem sair”, lembrou o amante dos animais.

Sufoco

“Estivemos 14 horas com ventos, eu comecei a gritar porque caiu tudo, as lâmpadas voavam, vi a cisterna cair, as janelas (quebrarem)”, relatou o médico que não conseguiu terminar de contar a história sem cair em lágrimas.

Durante o temporal, morreram cinco gatos e dois cachorros que sofreram paradas cardíacas. Após a tragédia, José ainda perdeu mais quatro cachorros. Segundo o Jornal Metro de Porto Rico, o herói espera o seguro da residência para repará-la.

Trajetória

Ainda que o Santuário Gotitas de Amor tenha oficialmente apenas quatro anos, Rivaz conta que o seu amor pelos animais surgiu há mais de 30 anos, quando uma mulher chamada Isabel Salegui, de quem cuidou toda a vida, morreu e deixou para ele como herança sua propriedade e seus animais.

Atualmente, José trabalha em um centro médico. Contudo, ele assegura que não tira férias ou viaja, porque usa seu dinheiro para cuidar dos animais do santuário. O governo não presta nenhum auxílio ao projeto, já que alguns cidadãos contribuem com doações.

Segundo José, alguns bichos chegam maltratados, doentes e assustados por rojões em épocas festivas. Sua missão é cuidar dos animais, manter o local limpo e dar nome a cada novo integrante que chega. Tudo é feito com muita dedicação e amor.

FONTE: band.uol

11/11/2017

Médico de Santa Catarina salva sabiá após massagem cardíaca e vídeo viraliza

Eu tinha recebido o vídeo pelo whastsapp, mas, numa hora de limpeza do aparelho apaguei. Ainda bem que a mídia inteira publicou a respeito..... Muito legal!!!!
----------

Com 40 anos de profissão, essa foi a primeira vez que ele trouxe um animal de volta à vida
Um médico de Imaruí, no Sul de Santa Catarina, trouxe um passarinho de volta à vida depois de mais de dez minutos de reanimação cardíaca. Airto Aurino Fernandes, 64 anos, não pensou duas vezes depois do sabiá-laranjeira bateu com força contra uma vidraça. Ele recolheu o animal e iniciou os procedimentos, até que ouviu um pio. A euforia tomou conta de quem estava por perto, e mais uma vida foi salva.

— Já fiz muito esse procedimento em pessoas, que é meu trabalho, minha obrigação, mas em animal é a primeira vez que fiz. Foi uma coisa espontânea, partiu de dentro de mim, foi inédito. Nem eu esperava que o bichinho iria sobreviver. O carro pifou, pra eu salvar aquele passarinho — conta.


No trajeto até uma das oito comunidades que atende no interior de Imaruí, o carro que levava a equipe pifou na subida do morro. Sem sinal de celular, a solução foi voltar parte do caminho a pé, até a propriedade de um amigo. Foi nesse local que o passarinho se chocou contra a vidraça, e o médico com 40 anos de experiência entrou em ação.

— Bateu e caiu mortinho no chão, na hora fui lá naquele ímpeto de querer ajudar. A primeira filmagem a enfermeira até desistiu pois estava demorando, achou que não ia dar. Eu não desisto nunca, a gente tem que trabalhar até o que der, sou muito persistente nisso. O bichinho reanimou, coloquei ele num arbusto baixinho, ele voou para uma árvore maior e foi embora, realmente ressuscitou — comenta.


O vídeo começou a circular e os amigos se encarregaram de compartilhar com pessoas de fora da cidade. Em uma das publicações no Facebook, o salvamento já tem mais de 1,7 milhão de visualizações. A página da prefeitura da cidade também compartilhou a história, que já ultrapassa 12 mil exibições. O médico até utiliza as redes sociais, mas não imagina a repercussão da história.

— Fiquei surpreso, de repente um site dos Estados Unidos me entrevistou, sites, jornais. Nem imaginava que um ato assim, simples, pudesse ter essa repercussão, um ato de bondade — resumiu.

Fonte: A notícia

11/01/2017

Médico é acusado de matar cadela a tiro na região metropolitana de Curitiba - PR

É um psicopata armado.... Se existe uma culpa aí se chama Prefeitura de Pinhais que não recolheu os animais como foi pedido pelos protetores de animais locais...
--------------

Cardiologista investigado pela Polícia Civil afirma que foi atacado pelo animal

A Delegacia de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, investiga o caso em que um médico teria matado a tiros uma cadela em uma estrada rural da cidade na última segunda-feira (30). O médico, um cardiologista, está sendo investigado por crime ambiental e também por porte ilegal de arma, uma pistola 380, da qual ele tem o registro. Ainda segundo a polícia, o médico procurou espontaneamente a delegacia para relatar o crime e está colaborando com as investigações.

Conhecida como Gracy, a cadela foi morta na manhã de segunda na Estrada Ecológica, uma via rural em Pinhais. Ela pertencia a um grupo de cinco cachorros – duas fêmeas e três machos – que foram abandonados na estrada e que são alimentados há cerca de cinco anos por várias pessoas da região, incluindo protetores de animais.

Gracy, realmente tem uma "cara muito feroz.... "

A professora Patrícia Almeida Satyro, 46 anos, era uma das duas pessoas que alimentavam os animais no momento em que o disparo foi feito. Segundo ela, a cadela foi morta em um ataque de raiva do médico, que, pouco antes, havia passado pelo local, baixado o vidro do carro e argumentado que as mulheres estavam cometendo um crime por alimentar os bichos.

Da primeira vez que passou pela dupla, o homem teria se identificado como médico e também teria fotografado as voluntárias e as placas de seus carros. “De longe, ele começou a gritar, a gesticular com violência e a dizer ‘vocês estão cometendo um crime e eu vou resolver isso’. Quando subi para falar com ele, os cachorros começaram a latir porque perceberam que a protetora deles estava em perigo. Aí eles levaram chutes dele. No primeiro chute, um cachorro pegou a calça dele e rasgou. Ele voltou para o carro e uns 15 minutos depois voltou com a arma em punho”, relata.

Já o advogado Ari Ferreira Fontana, que defende o médico, afirmou que um único tiro foi dado contra o animal após o cliente ser atacado. “Meu cliente oi atacado de forma brutal pelos animais de rua que são alimentados na frente do portão de sua casa”, afirma o advogado.

Segundo Fontana, no momento do ataque, os cães o morderam diversas vezes na panturrilha e no braço. “Suas roupas ficaram totalmente rasgadas, houve bastante sangramento e ele precisou de atendimento. Por sorte, os cães não conseguiram derrubá-lo, porque teria sido ainda pior, pois são cachorros de grande porte”, afirma.

Tiros e alimentação dos cães
Ao ver a arma, a professora relata que pediu para que o médico não atirasse. “Ele falou ‘olha como vou resolver’. Gritei para ele parar. Aí ele deu um tiro na Gracy, que estava parada do meu lado. Foi quando, no desespero, entrei na frente dele, de braços abertos. Ele balançava a arma na minha direção e começou a dizer que ia voltar e matar todos eles”.

Ainda conforme Patrícia, ela e a colega estavam justamente tentando esconder os cachorros quando tudo aconteceu porque previam que os animais corressem perigo. Segundo ela, o problema começou há cerca de 15 dias, quando uma mulher que catava pinhão na estrada tentou afastar bruscamente um dos cachorros e foi mordida.

A professora, que viu a cena, a socorreu e se ofereceu para levá-la a uma unidade de saúde. A vítima teria se recusado, mas no último sábado (28) fez um post no Facebook alertando sobre o perigo dos cachorros abandonados na estrada. “Esse post gerou inúmeros comentários raivosos, incitando a violência. Daí a gente foi lá. Os cachorros não são violentos. Tanto que, quando eles avançaram no médico, só com uma mão eu os afastei”. A professora já prestou depoimento na Delegacia de Pinhais.

Sobre o ocorrido, o advogado também afirmou que o médico sempre pede aos protetores para não alimentar os cães abandonados pelo perigo à saúde que eles representariam e que, na segunda-feira, ao ver um grupo dando comida aos bichos, tentou conversar e teria sido atacado. “Ele tem uma criança pequena e essa criança não pode passear de carrinho com a mãe porque os cães os colocam em risco. Já teve motociclista, ciclista e outras pessoas que foram atacadas ali. É algo frequente e existe até uma placa colocada pela prefeitura no local pedindo para ninguém alimentar os cães ”, diz o defensor. A protetora disse que os animais nunca foram alimentados em frente ao endereço citado por ele.

Depósito de animais rejeitados
De acordo com Patrícia, os demais cães que estavam na Estrada Ecológica estão escondidos temporariamente. Ela relatou ainda que a via rural se transformou em depósito de animais rejeitados e que voluntários e ONGs já chegaram a pedir ajuda da prefeitura de Pinhais para o resgate, mas nunca foram atendidos.

A prefeitura responde que por causa de toda questão de guarda responsável, não possui o serviço de recolhimento de animais, mas ressaltou que, em caso de animais agressivos, se denunciados, o Centro de Controle de Zoonoses é acionado, avalia a situação e pode recolher o animal.

Em Pinhas, existe uma lei que regulamenta os cães comunitários. A lei permite adoção por algumas pessoas que têm a responsabilidade de cuidar de um ou mais animais, sem necessariamente levá-los para casa.

“Essas pessoas precisam oferecer todas as condições para que os animais tenham uma vida saudável, estabelecendo assim com a população um vínculo de dependência e manutenção. A Seção de Defesa e Proteção Animal de Pinhais possui o Programa Cão Comunitário, e os cães participantes deste programa são castrados, vacinados, desverminados e recebem todo o aporte clínico que necessitarem”, explicou a prefeitura, em nota.

Ainda segundo a administração pública da cidade, existe um programa gratuito de castração de cães e gatos para moradores com renda familiar de até três salários mínimos. Uma vez ao mês, o município realiza um evento de adoção,em que os proprietários levam seus animais e os disponibilizam para adoção. Se não forem adotados, os cães e gatos voltam para seus lares com seus tutores . 

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪