RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador hospital. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador hospital. Mostrar todas as postagens

11/15/2018

Vistos até em CTI de hospital, tucanos viram atração na Capital

Olha que coisa de Deus!!!!! ele estão indo no hospital levar alegria para os pacientes.....
---------------
Animais foram filmados e fotografados em dois locais diferentes da cidade
Entre um atendimento e outro, um visitante incomum está chamando atenção de funcionários do Hospital Universitário, em Campo Grande. Há pelo menos três dias, uma ave da espécie tucano virou atração no CTI pediátrico

10/11/2018

Hospital Municipal recebe terapeutas de quatro patas no Dia das Crianças - PR

Muito legal!!!!! a zooterapia é algo milagroso..... não acho que seja exploração animal, mas, uma promoção da importância dos animais na sociedade....
-------------------------
Dia das Crianças será marcado por visita de cachorrinhos super heróis na ala da pediatria.
No dia 12 de outubro, as crianças internadas no Hospital Municipal Padre Germano Lauck receberão a visita

10/07/2018

Animais ‘terapeutas’ ajudam no tratamento de crianças e idosos no Rio

Sempre publico sobre a zooterapia porque acho que esta técnica promove muito os animais sem uma exploração cruel.
---------------------
Eles trazem para a benefícios na socialização, na autoestima e tratamento de pacientes. Projeto de lei autoriza a entrada de animais domésticos e de estimação nos hospitais municipais.

8/24/2018

Cachorros dormem fora de hospital por semanas para visitar paciente

É pra gente se desmanchar em lágrimas de tanta emoção!!!!! Axé para esta veterinária que foi sensível à história.... 
---------------
Uma história emocionante sobre fidelidade!
Dois cachorros passaram dias e noites acampados na porta de um hospital aguardando o momento que finalmente teriam permissão para ver o tutor de um

8/03/2018

Cães 'invadem' corredores de hospital para ajudar na recuperação de crianças internadas, em Goiânia

A zooterapia é uma técnica valiosa que pude constatar quando apliquei em um asilo aqui no Rio quando conveniada com a Prefeitura. Promovemos os animais que viviam dentro da instituição com banhos frequentes, alimentação, castração, consultas e adestramento. Foi maravilhoso!!!! Os animais antes enxotado pelos funcionários do asilo durante as festinhas que sempre

5/24/2018

Após passar três anos esperando por tutor falecido, cachorro morre em pátio de hospital

Era o esperado... pobrezinho.....
--------------------
O animal, que estava deitado na área onde os carros transitam e foi atropelado acidentalmente por um motorista, foi enterrado em uma área do hospital a pedido de funcionários do local

Em julho de 2016 nós contamos para vocês aqui no Portal do Dog sobre o caso de um cachorrinho bastante fiel que estava já há oito meses esperando na porta de um hospital por seu tutor, que havia falecido no local.

O cachorro vivia com um morador de rua que passou mal e precisou ser levado de ambulância para o Hospital Ruth Cardoso, em Santa Catarina. Muito apegado ao tutor, o cão seguiu a ambulância e ficou do lado de fora, na porta do hospital por onde o homem entrou. Infelizmente, o tutor do cachorrinho morreu, mas Negão, nome que recebeu dos funcionários do hospital, não saiu da porta do local e nem perdia as esperanças de ver seu amigo humano novamente. Funcionários informaram que sempre que escutava uma ambulância chegando com a sirene ligada, ele corria para ver se o seu humano estava ali.

Esta semana, depois de passar cerca de três anos esperando o seu melhor amigo sair do hospital, o cãozinho faleceu. Ele foi atropelado e morreu quase na hora. Segundo informações de pessoas que estavam no local no momento do acidente, o motorista não viu o animal, que estava pegando sol no espaço por onde os carros transitavam, mas ao sentir o impacto parou para ajudar, porém Negão morreu rapidamente.

Durante os três anos que passou vivendo no pátio do hospital, Negão foi cuidado pelos funcionários do local, de quem ele sempre recebia muitos mimos e carinhos. Uma ONG fez a castração do cão e auxiliava com vacinas, banhos e ração.

O cachorro até chegou a ser adotado, mas sempre fugia da nova casa e voltava para o hospital, sempre na espera de reencontrar seu tão amado humano. A pedido dos funcionários que cuidavam de Negão, o animal foi enterrado no pátio do hospital. De acordo com informações do próprio hospital, a equipe de jardinagem, que costumava passar mais tempo com o cachorro, ficou muito abalado com o falecimento do animal. A história de Negão nos mostra o tamanho da fidelidade e do amor que os cães podem sentir por seus tutores.

FONTE: portaldodog

5/15/2018

INAUGURAÇÃO: Hospital Popular Veterinário inaugura unidade na Barra da Tijuca

Isto é muito bom!!!!! Parece que é o segundo aqui na cidade que está prestando ótimos serviços para o pessoal de baixa renda.... Fico muito feliz porque, à cada dia, aparecem opções para mantermos nossos amados bichos em boas condições de saúde....
-------------
Segundo responsável pela unidade, economia no valor da consulta pode chegar a 80%
RIO — Quem tem um animal de estimação sabe o quanto uma consulta médica inesperada ou um exame para o pet pode pesar no bolso. A boa notícia é que uma unidade do Hospital Popular Veterinário será inaugurada, na quinta-feira, na Barra. Segundo Brunno Galvão, CEO da rede, será possível fazer economia de até 80% nas consultas. — No novo hospital, a consulta custa R$ 45, bem abaixo dos R$ 180, em média, cobrados em clínicas veterinárias da região — compara Galvão.

Com uma equipe de 25 veterinários, o hospital oferecerá ainda exames laboratoriais por preços a partir de R$ 12, e raios X por a partir de R$ 50. Exames e consultas nas áreas de dermatologia, neurologia, endocrinologia, odontologia, oftalmologia, fisiatria, oncologia, cardiologia e ortopedia também estão disponíveis. Além de cães e gatos, a unidade atenderá animais silvestres como pássaros, répteis e porquinhos-da-índia.

Na primeira semana, o hospital funcionará das 8h às 22h, diariamente. Depois, o horário será estendido até a meia-noite. A partir de junho, o centro cirúrgico estará funcionando, com internação e monitoramento 24 horas. — Nosso plano é democratizar o acesso à medicina veterinária. Mais de 70% dos animais domésticos vivem em lares de classes C, D e E — observa Galvão.

Responsável pela supervisão veterinária do hospital, Rafael Torres promete atendimento de excelência: — O hospital é bem completo e tem aparelhos de qualidade.

FONTE: oglobo

4/11/2018

Cachorra espera por 18 horas pelo dono internado no Hospital das Clínicas de Botucatu

Estas histórias acabam com minhas lágrimas.... choro que nem uma torneira........ É lindo demais ver o sentimento dos animais....
-------------------
Cena do cão sentado junto à porta de entrada do PS circulou nas redes sociais e comoveu funcionários do HC, que alimentaram o animal até o dono, um morador de rua, receber alta.

Uma cachorra sem raça definida virou personagem na tarde desta sexta-feira (6) em Botucatu (SP) ao esperar durante mais de 18 horas por seu dono, que estava internado no Pronto Socorro Adulto do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB).

A cena do animal sentado junto à porta de entrada do PS foi registrada por uma funcionária da unidade, caiu nas redes sociais, e sensibilizou os demais trabalhadores do setor, que trataram da cadela com comida e água.

Segundo a assessoria de imprensa do HCFMB, a cachorra, de nome Duda, tem 12 anos e pertence a um morador de rua. O homem não teve o nome revelado, mas possui 45 anos.

O dono do animal passou mal na quinta-feira (5) e foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A cachorra entrou na viatura do Samu durante o resgate e só saiu dela junto com a maca que levava seu dono para o PS.

A assessoria de imprensa do hospital informou que, segundo relatos de funcionários, o animal chorava o tempo todo enquanto esperava o dono. Para acalmar Duda, funcionários chegaram a abrir a porta do setor onde o homem estava sendo atendido para que ela pudesse vê-lo.

Segundo o HC, o morador de rua recebeu alta após 18 horas de internação – o hospital não informou os motivos da internação. No reencontro entre o animal e o morador de rua, funcionários da emergência disseram que o cão ficou muito feliz e logo pulou no colo do dono.

Fidelidade canina
Histórias de amizade fiel como a de Duda com o morador de rua de Botucatu não são raras e já aconteceram em outras cidades do interior paulista.

Em 2015, um cão fez "vigília" de uma semana na porta de um hospital de Itatiba até seu dono, vítima de um infarto, receber alta.

No mês passado, um cachorro acabou adotado depois de esperar durante quatro meses em frente à Santa Casa de Novo Horizonte pelo dono que morreu.

FONTE: G1

3/14/2018

Cão é adotado após ficar quatro meses na frente de hospital à espera de dono que morreu

Graças a Deus!!!! publicamos a história desta criaturinha tão querida no último dia 10. Comentei que faltava só uma atenção especial para ele. Tudo resolvido!!!! Luz e força para esta moça tão bonita e abençoada!
-----------
Cachorro recebeu nome de Campeão e irá para o lar de uma funcionária da Santa Casa de Novo Horizonte (SP).

A espera do cachorro, que ficou na frente da Santa Casa de Novo Horizonte (SP) durante quatro meses aguardando o dono que morreu, terminou com um final feliz nesta sexta-feira (9). O Campeão, como é chamado agora, foi adotado e ganhou um novo lar. Antes da adoção, o animal foi levado para uma clínica veterinária por Marco Antônio Rodrigues, que ficou sabendo da situação e decidiu resgatá-lo.

“Ele ficava na porta do hospital todo dia, mas o importante é que os funcionários do hospital deram apoio. Na maioria das vezes as pessoas expulsam o animal do local. Espero que agora ele possa ter uma vida feliz com esses novos donos”, afirma.

Na clínica, Campeão passou por tratamento, tomou banho e colocou as vacinas em dia. Quem arcou com as despesas foi uma mulher que também se sensibilizou com a fidelidade dele.

Em entrevista ao G1, a nova dona, Letícia Fátima Nawas Botoluci, de 30 anos, que trabalha no hospital, contou que escolheu o nome por considerar ele um vencedor. “Eu o acompanhei desde que chegou ao hospital. Acho que o nome Campeão representa o fim da história. Ele teve persistência de ficar na frente do hospital por todo esse tempo, e agora com final feliz, acho que é um campeão."

O cão não havia recebido um nome durante os quatro meses de vigilia na frente do hospital, mas ganhou carinho, água e comida das funcionárias. Uma delas era a própria Letícia.

"Como ele sempre ficava lá, nunca pensei em adotá-lo. Mas quando o levaram para o canil, para ser adotado, eu fiquei triste. Por sorte, ele acabou fugindo do canil e voltou para o hospital. Foi aí que fiquei mais emocionada com a história dele e, para não perdê-lo, resolvi adotar", afirma.

O cachorro permanecerá mais alguns dias na clínica veterinária, e deve ir para a casa da família da Letícia nos próximos dias. Na residência, ele terá a companhia de outro amigo: um cachorro que também mora no local.

A nova dona afirma que Campeão será muito bem tratado e que aquele olhar triste vendo o interior do hospital, com o tempo, será transformado. "A gente no hospital sempre o tratou muito bem, e ele é muito dócil. Com certeza terá bastante amor e carinho", finaliza.

FONTE: G1

3/10/2018

Cachorro espera há quatro meses na frente de hospital por dono que morreu

Gente, espero que a colega da ONG citada tome a frente e tente uma solução segura para o pobrezinho... Recolher e não dar a assistência necessária fica difícil do cão entender que não deve fugir....
----------
Melhor amigo do cão, um morador de rua, foi vítima de homicídio. Cão seguiu ambulância no dia do resgate até o hospital. Moradora de Novo Horizonte (SP) tentou dar um novo lar ao animal, mas ele fugiu e retornou ao local.

A história de fidelidade de um cachorro que espera há quatro meses pelo dono na frente da Santa Casa de Novo Horizonte (SP) tem impressionado funcionários e pacientes do hospital.

Principalmente porque o cão não irá reencontrar seu melhor amigo: um morador de rua vítima de homicídio em uma praça da cidade.

De acordo com o diretor financeiro da Santa Casa, Osvaldo Palota Sobrinho, o animal chegou ao local após o dono, de 59 anos, ser esfaqueado e socorrido. “O homem foi transportado na ambulância e o cão veio junto, correndo atrás do veículo. A vítima não resistiu e o cachorro continuou aqui”, disse Osvaldo ao G1.

O cão não tem nome, entretanto, ganhou carinho, água e ração dos funcionários da Santa Casa. Durante toda a espera, nunca tentou entrar no hospital. “Ele é extremamente manso, dócil e quieto”, diz Osvaldo. No entanto, o cachorro não fica apenas na entrada do hospital. Durante algumas horas do dia, ele sai para passear em busca de mais comida, porém sempre volta, segundo os funcionários.

O caso também comoveu a advogada Cristine Sardella, que esteve no local e usou as redes sociais para compartilhar o amor que o cão nutre pelo dono. Em entrevista ao G1, ela contou que o animal fica deitado em cima de um tapete bem na frente da recepção. "Ele fica olhando para dentro do hospital, dá impressão que espera o dono."

Após a postagem de Cristine, houve quem tentasse adotar o animal. A dona de um canil da cidade passou no local e o levou. Ele estava prestes a ganhar um novo lar, mas fugiu do canil e retornou ao hospital. “Inacreditável, mas ele percorreu uma distância de três quilômetros para voltar", conta Palota Sobrinho.

FONTE: G1

3/07/2018

Paciente com esclerose se emociona ao receber visita de cachorro de estimação em hospital de RR


Mais um caso para a gente registrar em nosso blog.... Animais promovem milagres.... pena que a maioria de humanos não pensem assim....
----------------
Márcio Pereira, 52, recebeu a visita do vira-lata Barney nessa sexta-feira (2) e chorou de felicidade ao reencontrar o 'amigo'.


Internado no Hospital Geral de Roraima há três meses, o pedreiro Márcio Pereira, de 52 anos, recebeu nessa sexta-feira (2) a visita do cachorro de estimação, o vira-lata Barney. O paciente, que sofre com esclerose lateral amiotrófica, a ELA, não consegue se comunicar, chorou de felicidade ao reencontrar o companheiro.

A ELA é uma doença degenerativa que faz com que o paciente perca, aos poucos, os movimentos do corpo. Mas a mente continua ativa. É o caso do Márcio. Ele se comunica com a família somente piscando os olhos. A ideia de levar Barney os hospital surgiu quando Márcio indicou que queria saber sobre o cão.

"Um dia a gente percebeu que ele estava perguntando sobre alguém, mas a gente dizia vários nomes, mas ele dizia que não. Aí eu lembrei do Barney e era dele que ele queria saber", contou Francisca Silva, de 61 anos, esposa do paciente. Para ter certeza que era do cachorro que Márcio estava se referindo, a filha dele fez um vídeo do animal e eles mostraram o pedreiro. "Ele chorou quando viu o vídeo" e depois pediu para ver ele.


Depois do pedido, a equipe multidisciplinar do hospital, chamada de Multi-T, planejou o reencontro que ocorreu no jardim do hospital. O reação de Márcio ao ver Barney não poderia ter sido outra: ele chorava e sorria ao mesmo tempo.


"O choro foi de emoção, alegria", Carolina Scheffer, psicóloga
"Como a gente sabe que a limitação dele é permanente, precisamos ofertar a uma boa qualidade de vida, algo que garanta bem estar. Esse reencontro sem dúvida foi tudo isso. Notamos toda a satisfação dele em ver o cachorro", disse Carolina, que acompanhou a visita de Barney ao paciente no hospital.

A equipe Multi-T é formada por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogo, nutricionista, fonoaudiólogo e assistente social e foi criada para proporcionar atendimentos diferenciados aos pacientes. Antes de autorizar a entrada no cão, a equipe verificou todas as questões relacionadas a vacinação e higiene do hospital. Esta foi a primeira vez que um animal visitou alguém internado no HGR. O resultado foi tão positivo que a direção planeja usar como método de tratamento, conforme conta o médico Patrick Araújo, coordenador do Grande Trauma do hospital, setor onde Márcio está internado.

"Esse contato foi muito bom, ele ficou muito feliz. Existem estudos que mostram que tratamento com pets ajudam na autoestima e desenvolvimento do paciente, principalmente o neurológico. Vou sentar com a equipe Multi-T para vermos novas possibilidades e estudarmos um tratamento alternativo, mais humanizado", avaliou o médico

Araújo acompanha a rotina de Márcio no hospital. Segundo ele, é um paciente com quadro clínico quadro estável, sem infecção, pressão arterial normal, sem febre e não necessita do uso de antibióticos. Porém, depende do ventilador mecânico para respirar e por esse motivo, não pode deixar o hospital e isso fez com que ele também apresentasse início de depressão. "Ele ouve tudo, porém não se move, não interage, mas está acordado. Com esse quadro de depressão nós decidimos fazer alguma coisa pelo seu Márcio, o que resultou na vinda do animal", disse.


Relação de amizade

Márico foi diagnosticado com a doença há três anos. Na época ele e a família moravam em Amajarí, ao Norte do estado, mas conforme os sintomas foram avançando e o corpo dele começou a paralisar, eles tiveram de se mudar para Boa Vista.

"Ele começou a perder a força nas mãos. Me dizia que não aguentava mais dirigir a bicicleta e isso foi tomando conta do corpo dele inteiro. Ele ficou de cama por dois anos sem se movimentar. Só comia líquidos", lembrou a esposa, comentando que o quadro agravou em dezembro do ano passado, quando sofreu uma convulsão e foi para o hospital.

Ela contou que Márcio sempre gostou de animais e desde que Barney chegou a família, há um ano, o cão se tornou o 'xodó' do marido. "Meu marido é muito apegado ao cachorro. Minha filha ganhou ele quando era pequeno e nesse tempo todo ele fazia companhia para o meu esposo. Passava o dia na cama com ele, até dormiam juntos", lembra a esposa.

Para ela, que acompanhou o reencontro do esposo com o amigo pet no hospital, foi uma alegria para a família e momento de satisfação. "Estou feliz porque ele ficou feliz. Consegui ver pela feição dele. É um alívio para ele, o Barney era um companheiro", disse a esposa. É provável que em breve Braney faça uma nova visita a Márico no hospital.

“É muito importante trazer essa vivência que ele tinha em casa para dentro do hospital. Possibilitar esse reencontro contribuiu positivamente para o paciente e foi também uma forma de amenizar o sofrimento dele", resumiu a assistente social Maria Shirley Fernandes, que acompanha o tratamento do paciente no HGR.

FONTE: G1

3/03/2018

Universidade do Paraná anuncia fim da eutanásia para animais abandonados em hospital

Muito boa decisão.... afinal já podemos considerar que a eutanásia de animais sadios é algo que deixou de considerada uma prática de saúde pública....
----------
Por força de uma recomendação do Ministério Público do Paraná, expedida por meio da 6ª Promotoria de Justiça de Umuarama, no Noroeste do estado, os animais abandonados pelos donos no hospital veterinário da Universidade Estadual de Maringá (UEM)  não serão mais sacrificados.

Antes da intervenção do MPPR, essa era a prática adotada na unidade de saúde animal: se em 15 dias não fossem reclamados pelos donos, os bichos passavam por uma eutanásia – isso inclusive era acordado por meio de uma declaração, assinada quando o animal era internado.

Nesta quarta-feira, 28 de fevereiro, a Reitoria da UEM comunicou oficialmente o Ministério Público que acolheu a orientação. A partir de então, o termo de autorização para procedimentos veterinários assinado pelos donos quando deixam os animais para tratamento inclui a informação de que, após 15 dias da alta, os animais não reclamados passam a ser considerados abandonados e são encaminhados para adoção.

Casos excepcionais – Na recomendação, a Promotoria de Justiça ressalta que o sacrifício dos animais por motivo de abandono é uma prática ilegal, contrária às normas de proteção animal. Foi proposto ainda que os profissionais da área veterinária que atendem no hospital adotem a eutanásia apenas em casos excepcionais, dentro do previsto por resolução do Conselho Federal de Medicina Veterinária. O MPPR também sustenta os pedidos no Código Estadual de Proteção aos Animais (Lei nº 14.037/2003) e em expedientes internacionais de proteção ambiental, como a Declaração Universal dos Direitos dos Animais, da Unesco.

FONTE: bemparana
======
ATUALIZAÇÃO
"UEM nega eutanásia em animais" 

2/10/2018

Doria aprova lei que autoriza visita de cães e gatos em hospitais

Eu não sei o que a galera de Sampa tem contra o Dória, mas, aqui no Rio temos tudo contra um incompetente chamado Crivella.....
-----------
Animais devem estar limpos, vacinados e usando guias com coleiras. Tempo e o local de permanência dos bichos será definido caso a caso

O prefeito João Doria (PSDB) aprovou a lei que libera a visita de animais de estimação a pacientes de hospitais públicos da capital. A decisão foi publicada nesta quarta (7) no Diário Oficial.

Cada hospital deve definir o tempo e o local de permanência dos animais. A visita terá de ser agendada previamente, sob autorização do médico responsável pelo paciente e da comissão de infectologia do lugar.

A lei estabelece algumas regras para visitação. O pet deve estar limpo e acompanhado de um laudo veterinário que confirme vacinação em dia. Cães e gatos precisam estar encoleirados e, se necessário, usando enforcador e focinheira. Além disso, os bichos deverão estar em recipiente ou caixa adequada.

O projeto do vereador Rinaldi Digilio (PRB) tramitava desde o ano passado. A proposta é levar “carinho e alegria” aos pacientes internados. “Conforme a psicóloga Karina Schutz, especialista em terapia cognitivo-comportamental e diretora da Pet Terapeuta, tratamentos que utilizam animais na recuperação de pacientes já vêm sendo aplicados em diversos países, contabilizando resultados de sucesso”, defende.

FONTE: vejasp

12/26/2017

Câmara de São Paulo aprova projeto que permite visita de pets em hospitais

Acho isto um avanço que deveria ser adotado em todos os hospitais do mundo...
-------------
Os vereadores de São Paulo aprovaram uma lei que permite que pacientes internados nos hospitais da cidade recebam a visita de animais de estimação. A lei, que ainda precisa ser sancionada, vale pra hospitais públicos do município, conforme mostrou reportagem do Jornal Hoje.

Muito lugar já faz isso. É preciso carteirinha de vacinação em ordem, atestado do veterinário, banho tomado e autorização do médico para garantir a segurança do ambiente e a saúde dos pacientes.

Scooby foi visitar a dona, Hode Karla, que está numa batalha contra o câncer há 10 anos e há 20 dias, internada. "Ela estava pedindo muito, estava com saudade dele. Tanto ele também tava. Tava chorando a noite inteira pra ver ela", contou Amanda, filha da paciente.


"Uma boa alegrada mesmo, pra seguir na batalha. Eu to com muita saudade de casa, aí ele vindo aqui parece que tá vindo a minha casa pra cá também. Veio completa, né", a paciente em tratamento.

"Os animais despertam lembranças boas, ativam áreas até do cérebro que estão relacionadas ao prazer e também a secreção de hormônios que trazem essa sensação de bem estar, de felicidade, de atenção", diz a médica Denise Tiemi.

O Brasil tem a quarta maior população mundial de animais de estimação. De acordo com o número mais recente do IBGE, 44% dos domicílios tem, pelo menos, um cachorrinho.

Fonte: G1 SP

12/17/2017

Dubai abre hospital de camelo de US $ 10 milhões

Gente, o dinheiro de Dubai salvaria milhares de animais pelo mundo. Mas, um hospital para camelos é legal.... embora seja somente porque eles promovem corrida de camelo onde rola uma grana bem alta..... Eles bem que podiam não deixar muçulmanos matarem estes bichos lá por aquelas bandas....
-------------
Um novo hospital em Dubai é inteiramente dedicado ao tratamento de camelos. 
O Dubai Camel Hospital abriu a semana passada e custou 40 milhões de dirhams (US $ 10,9 milhões). De acordo com seu diretor, Mohamed Al Bulooshi, a instalação é a primeira de seu tipo no mundo. "Descobrimos que devemos cuidar de camelos, não só criando e criando, mas também podendo tratá-los medicamente", disse Bulooshi. 

O hospital pode tratar até 20 camelos ao mesmo tempo e está equipado com uma pista de corrida simulada para que os animais se dirijam para a recuperação após certos procedimentos médicos. 
O equipamento é principalmente personalizado, sendo adaptado de ferramentas e máquinas médicas equestres para melhor atender ao tratamento de camelo.

O hospital pretende ajudar na pesquisa e desenvolvimento da medicina de camelo, em um esforço "para revelar os segredos deste estranho animal do deserto", de acordo com Ahsan Ul Haq, chefe de marketing e finanças da instalação. Os camelos continuam a ser uma parte importante da herança do Estado Árabe do Golfo. As corridas de camelo e os concursos de beleza de camelo são uma recreação favorita para os habitantes locais, e alguns animais recebem milhões de dólares em leilões no país.

Fonte: LiveLeak

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪