RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador envenenamento. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador envenenamento. Mostrar todas as postagens

7/11/2018

Moradores denunciam morte de pets por ração envenenada nas ruas de Itapuã, em VV

Li em outra mícia que o local tinha casinhas que foram quebradas e como os cães continuaram ali, o tal assassino está matando um por um..... Esta é uma das consequências de casinhas e alimentar cães na rua à vista de transeuntes....
==============
Atenção moradores de Vila Velha! A partir de agora é necessário ter mais cuidado na hora de passear com os pets nas ruas do bairro Itapuã. Diversas pessoas tem encontrado grãos de ração com chumbinho, nas proximidades de um prédio.

Para se ter ideia, uma senhora afirma que perdeu cerca de 30 gatos e três cachorros envenenados nos últimos meses. A denúncia sobre o caso partiu da gerente Carol Marianelli. A publicação dela nas redes sociais já gerou mais de dois mil compartilhamentos.

6/18/2018

PERIGO: Cerca de 20 gatos são mortos a pauladas em ponto de abandono em Fortaleza

Vejam porque sou contra alimentar e colocar casinhas para animais nas ruas. O tal "serumano" é podre e não dá para confiar...... Espero que as pessoas comprovem meus dados sobre tal assunto.... O ideal é recolher, tratar e fazer adoção. 
----------------
Protetores independentes encontraram os bichos ensaguentados e agonizando por volta de 6h30 desta sexta (15).

Cerca de 20 gatos foram mortos a pauladas no polo de lazer Gustavo Braga, na Avenida João Pessoa, em Fortaleza. O local é ponto de abandono de animais. Os gatos foram encontrados com sinais de violência por protetores independentes na manhã desta sexta-feira (15).

De acordo com Floriana Oliveira, protetora de animais que atua na área, uma equipe esteve no local por volta de 6h30 e se deparou com animais ensanguentados; dois deles estavam agonizando e foram levados ao veterinário. Os protetores aguardam laudo para comprovar os maus-tratos.

"A violência naquele local é uma constante. Desde 2014 a gente vem lutando pra conseguir câmeras de segurança. Já houve envenenamento e de 2014 pra cá perdemos mais de 400 animais envenenados... são violências diversas. A gente sempre se depara com animais jogados num canal que tem lá, não tem fiscalização", denuncia.

Ela afirma que a população do entorno é intolerante à permanência dos bichos. "Reina a lei do silêncio. A gente suspeita que moradores do entorno pagam alguém pra praticar a violência, porque lá 'ninguém sabe, ninguém viu'", comenta.

Segundo a protetora, são feitos boletins de ocorrência sempre que constatados casos de violência contra animais no local, porém, por falta de câmeras de segurança, o trabalho da polícia é dificultado. "A polícia acaba não tendo o que fazer, porque não tem pistas", completa.

Intolerância
Presidente da ONG de proteção animal Deixa Viver, Gabriela Moreira frisa que a comunidade, como a maioria da cidade, não aceita os animais serem alimentados e cuidados. "Isso acontece em todos os pontos de abandono que a gente cuida."

Com apoio da ONG, os protetores independentes denunciaram a situação para a Coordenadoria Especial de Proteção Animal de Fortaleza (Coepa), pedindo ajuda para outros órgãos competentes que possam intervir na área. "Estamos aguardando algum tipo de ação do poder público. Eles são constantemente agredidos e mortos, lá também é ponto de droga e piora ainda mais a situação", destaca Floriana.

Conforme o Código Penal, a pena para quem "praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos" é detenção de três meses a um ano e multa. A pena é aumentada de um sexto a um terço se ocorre morte do animal.

FONTE: G1

4/23/2018

Pelo menos 40 cães morreram envenenados em 3 cidades de SC neste mês

Lamentavelmente, a coisa acontece porque nosso povo é irresponsável por ter cachorros e os deixarem ou abandona-los nas ruas. A lei não pune o criminoso e nem o responsável pelo pobre animal que sofre as consequências....
-------------------
Pelo menos 40 cachorros morreram envenenados em três cidades do Sul catarinense neste mês, segundo relatos dos moradores. Os casos aconteceram em Içara, Jaguaruna e Balneário Rincão. ONGs defensoras dos animais dizem que querem pedir ao Ministério Público de Santa Catarina que investigue as mortes. Três boletins de ocorrência já foram registrados.

O veneno estaria sendo colocado em pedaços de carne. O envenenamento é crime previsto na Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal 9.605, de 13/02/98), com pena de três meses a um ano de detenção e multa. Um dos cachorros que morreu era chamado de Ovelhinha. Ele era um cão de rua que recebia água, comida e banho da dona de casa Salete Casagrande. “Quando eu cheguei aqui na frente, vi ele babando. Comecei a gritar, apareceram os vizinhos para socorrer, mas não teve o que fazer. Ficou cinco dias na clínica e não resistiu. O veneno foi bem forte”, disse Salete.


O empreendedor Jeison da Silva passou por situação semelhante. Só que nesse caso, o cachorro sobreviveu, depois de ter ficado um dia inteiro tomando soro e medicamento. “Foi uma situação desesperadora. No carro, levando comigo, estavam minha mãe e minha namorada, minha mãe chorando desesperada, porque a gente nunca tinha passado por uma situação dessas”, disse.

Em Içara, neste mês, pelo menos 10 cães teriam sido mortos por envenenamento em três bairros e no Centro da cidade. “A pessoa que dá veneno para um animal, se ela ficasse no local e observasse o sofrimento do animal, eu acho que ela não teria coragem de fazer novamente. É muita maldade das pessoas”, disse Carlos Alberto Fiorenza, diretor social da ONG Amigo Bicho. 

A orientação das ONGs protetoras de animais é denunciar quando tiver casos como esses. “Procurar a delegacia de Polícia Civil, registrar um BO [boletim de ocorrência], para que a autoridade policial também tenha conhecimento, para que não fique um número fictício”, disse Fiorenza.

Em Jaguaruna, em abril, pelo menos 15 cachorros morreram por envenenamento. Em Balneário Rincão, moradores disseram que seriam pelo menos 15 cães mortos da mesma maneira, nesse período. O advogado Manoel Alexandre encontrou na frente de casa um pedaço de papelão que teria sido usado para colocar carne envenenada que algum cachorro comeu. "Eu me sinto preocupado e até agredido. A gente faz o serviço que o poder público, a gente castra, dá ração, dá comida.. só não pode botar todos eles dentro de casa, porque senão fica até inviável. Aí vem uma pessoa dessa, nao sei por que, não sei de onde, bota veneno igual desse papelão", contou.

A aposentada Margarete Freitas conta que vários cães de rua que ela costumava cuidar morreram após ingerirem veneno neste mês. "Ainda estou achando cachorro até hoje. Não achei ainda o 'Negão', que eu cuidei dele, que tinha doença de pele.. e não achei ele ainda", disse.

Em Balneário Rincão já foram feitos três boletins de ocorrência nas polícias Civil e Militar. E uma ONG deve entrar com pedido no Ministério Público de Santa Catarina para que essas mortes sejam investigadas. "Pra gente achar o culpado e punir. Pra ver se realmente a lei se cumpre, porque do jeito que está, não dá para continuar. É uma impunidade, as pessoas são muito más, elas matam sem dó nem piedade", disse Emiliana Duarte, presidente da ONG OPA. A prefeitura de Balneário Rincão disse que aguarda parecer da polícia, já que os alimentos foram levados para perícia. A administração municipal de Içara disse que vai intensificar a fiscalização quanto aos casos de maus-tratos.

4/21/2018

11 leões são encontrados mortos em Uganda sob suspeita de envenenamento

Não sei como esta espécie de humanos, capazes de caçar ou envenenar estes animais, existem neste planeta onde nos foi ensinado amor à todos os seres..... Aí, Pai do Céu, tô falando com o senhor, tá? Dá um jeitinho nisto.... é só uma canetada e tudo será resolvido..... faz isto por estes seres tão amados....
----------------
Outros animais selvagens e domésticos já foram mortos pela mesma substância

Na última semana, oito filhotes e três leoas foram encontrados mortos no Parque Nacional Queen Elizabeth, em Uganda. As autoridades suspeitam que os 11 animais foram envenenados por moradores de uma aldeia pesqueira próxima ao parque, chamada Hamukungu, após os leões terem caçado o gado da região.

“Nós suspeitamos que foi um envenenamento”, revelou Bashir Hangi, autoridade sobre a vida selvagem em Uganda. “A informação que temos é de que eles atacaram a vaca de alguém, mas nós ainda precisamos estabelecer o que aconteceu exatamente.”

O veneno usado foi o aldicarbe, também conhecido por Temik, um inseticida capaz de causar vômitos, dificuldade para respirar e morte por asfixia. Não é a primeira vez que o composto é usado para matar animais silvestres e domésticos. Rinocerontes, abutres e leopardos também já foram vítimas dele. Há também registros de cães mortos pela substância em um caso de roubo na África dos Sul: os ladrões queriam impedi-los de latir.

Boa parte das carcaças encontradas foram removidas por hienas da região. Enquanto isso, as autoridades continuarão a preservar outros leões do parque, que abriga mais 100 espécimes do felino, sendo que mais três machos faziam parte do grupo assassinado. As populações do Parque Nacional também são bastante conhecidas por sua habilidade de escalar árvores, algo que não é comum entre leões.

"Usaremos as evidências que reunirmos para processar e punir decisivamente os autores deste crime hediondo”, promete Akankwasah Barirega, comissário de Conservação da Vida Selvagem do Ministério do Turismo, Vida Selvagem e Antiguidades de Uganda. Alguns conservacionistas defendem que, para minimizar os conflitos entre moradores e animais selvagens, os povoados sejam realocados para áreas mais afastadas das reservas ou ter suas práticas de agricultura e pecuária modificadas.

FONTE: revistagalileu

4/15/2018

Polícia encontra veneno na casa de suspeito de matar 35 cães e gatos - GO

Perebento dos infernos!!!!! muito tabefe neste bandido infeliz!!!! devia fazer ele tomar o veneno que deu aos animais..... filho do capeta.... Gente, me dá uma gastura até vomitar quando leio sobre alguém ter coragem de matar um animal tão covardemente....
---------------
Material foi recolhido e será analisado para saber se é o mesmo encontrado no organismo dos animais; homem deve se apresentar nesta terça-feira.

A Polícia Civil localizou três recipientes com veneno na casa do homem suspeito de matar ao menos 35 cães e gatos em Santa Bárbara de Goiás, a 50 km de Goiânia. O material foi recolhido e será analisado para saber se é o mesmo encontrado no organismo dos animais. Apesar de aguardar os laudos, o delegado Daniel Oliveira disse não ter dúvidas de que os bichos foram envenenados.

"Foram encontradas na casa dele três garrafas com veneno que a esposa disse é utilizado na própria casa, contra pragas e pestes. Vamos mandar para a perícia para ver se é compatível com os efeitos fisiológicos que causaram a morte desses animais".

"Pelas circuntâncias, imagens e testemunhas, que é praticamente definido que os animais foram envenenados", disse o delegado.
O suspeito já foi identificado, mas sua identidade não foi revelada. A polícia esteve em sua residência, mas apenas a esposa dele se encontrava. Ela disse aos policiais que o marido estava trabalhando e deve se apresentar ainda nesta terça-feira.O homem já tem passagens por porte de drogas e de armas. Ele deve responder pelo crime de maus tratos. A pena pode variar de três meses a um ano de prisão.

Câmeras

Imagens de câmeras de segurança mostram o suspeito, no último sábado (7), passando por uma rua e jogando o que seria, conforme suspeita da polícia, carne envenenada (veja vídeo acima).


“Testemunhas contaram que um homem com uma mulher na garupa de uma motocicleta caiu após um cachorro atravessar a rua. Com isso, o motociclista começou a discutir com um morador do barro e disse que mataria os cachorros da região” contou o delegado

O delegado disse que 15 animais mortos foram recolhidos pela prefeitura, mas trabalha com 35 animais, pois crê que outros donos acabaram recolhendo os animais.

FONTE: G1

4/12/2018

Polícia Civil investiga envenenamento de cães - SC

O que é importante é que a polícia está atrás e que providências do serviço público estão sendo tomadas...
------------
Pelo menos 15 animais foram encontrados mortos em Balneário Rincão. ONG de proteção registrou BO na delegacia

Balneário Rincão
Matar animais de qualquer espécie é crime previsto em lei no Brasil desde 1998, no entanto, comumente estes delitos ambientais são registrados, inclusive aqui na região. O último caso ocorreu na zona Sul do Balneário Rincão, na última quinta-feira. Segundo informações de moradores, aproximadamente 15 cães foram mortos na Zona Sul do município. Um Boletim de Ocorrência (BO) foi feito na delegacia da Polícia Civil, que passa a investigar o caso. Ao contrário de outros registros, não foram apenas cachorros de rua que sofreram. Desta vez, até animais dentro dos pátios dos seus donos foram envenenados.

Crueldade
O morador Gilson José Fortunato, de 60 anos, perdeu seu animal de estimação. Conforme Fortunato, o crime aconteceu enquanto ele buscava pão no mercado da esquina. “Quando voltei encontrei ele já agonizando. Fiquei muito triste porque não consigo entender como alguém faz uma crueldade dessas”, lastima. Além do cão de Gilson, Fabrício André perdeu uma cachorrinha que, inclusive, já havia castrado. “Ela ficava aqui pela frente de casa. Mesmo que ela não estivesse no pátio, ela não fazia nada, era castrada e cuidada pela gente”, lamenta André.

De acordo com os moradores, junto aos corpos dos animais foram encontrados restos de roscas e pães. “A pessoa agiu muito bem e não deixou pistas que pudessem gerar desconfiança na gente”, conta Fortunato.

Reunião de delegados discutiu maus tratos
Coincidentemente, também na quinta-feira, delegados da região se reuniram com a Comissão de Defesa dos Animais da OAB, na delegacia regional, para tratar uma forma de repreender estes maus tratos De acordo com o presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Santa Catarina (Adepol – SC), Ulisses Gabriel, o encontro discutiu uma forma prevenir estes crimes. “Infelizmente, como tudo no país, precisamos achar uma forma de punição mais firme para que haja prevenção. Eles vão parar de maltratar quando forem punidos por isto”, coloca Gabriel.

Saúde Pública
Segundo o presidente, ele entrou em contato com delegado de Içara, responsável pelo Balneário Rincão, Rafael Iasco, que cuidará das investigações. Iasco garantiu que após o registro do BO, a polícia irá apurar a situação. “Infelizmente na região isso ocorre muito. Na maioria das vezes os próprios vizinhos matam os animais. No entanto, é preciso ressaltar que o município precisa tomar uma atitude urgente. Isto é caso de saúde pública e não podemos ficar fiscalizando”, ressalta.

Mutirão de castração em parceria com a prefeitura
A Organização de Proteção dos Animais (OPA) de Balneário Rincão se responsabilizou pelo registro do BO na delegacia de polícia. A ONG é parceira da prefeitura e responsável pelo mutirão de castração que ocorre na cidade. Emiliana Maria Duarte, que preside a Organização, explica que há algum tempo o trabalha já está sendo feito. Além disto, o grupo também é responsável por trabalhos de conscientização. “Nós precisamos trabalhar diretamente nas escolas com as crianças. É preciso conscientizar para que não haja abandono, tampouco estes assassinatos e maus tratos”, destaca Emiliana.

Construção de canil
Uma das intenções da ONG é construir um canil. Atualmente, após as castrações, os animais ficam em um lar temporário, contudo, depois de uma semana voltam para as ruas. “Nós ainda não temos este lugar, porém estamos trabalhando para que em seis meses este lar para os animais seja construído”, acrescenta a presidente da ONG.

FONTE: G1

4/08/2018

Maldade: Mais de 20 cachorros já foram mortos envenenados em Ibicuitinga

Meu Jesus amado, o que podemos fazer com uma criatura tão má? Nosso Pai criou pessoas deste calibre porque? eu só queria entender..... juro....
-----------------
Região Central: A Polícia Civil deverá investigar a matança de vários cachorros por envenenamento. O caso tem ocorrido com frequência na cidade de Ibicuitinga, com os restos mortais estão sendo jogados em terrenos baldios nos arredores da cidade. Também houve registro da morte de gatos.

Alguns moradores procuraram o site Sertão Informa para denunciar a situação e alegou que os animais estão sendo mortos com chumbinho, um veneno que tem a venda proibida, mas que segundo eles é vendido normalmente na cidade.

Segundo informações, já foram mais de 20 cachorros mortos nos últimos dias, principalmente nas Ruas Egídio Nobre, Populares, Samuel Ferreira Nobre, Manoel Vicente e Rua José Rodrigues. Locais que já registraram mortes de cachorros por envenenamento.

Não é a primeira vez que animais são mortos por envenenamento em Ibicuitinga. Em outras ocasiões já foi denunciado esse ato cruel com os animais.

FONTE: revistacentral

3/02/2018

Mais de 80 abutres ameaçados de extinção são mortos com carcaça de elefante envenenada

Gente, quando vi esta foto com estes animais tão importantes para natureza mortos envenenadas propositalmente, abri um berreiro. Vejam fotos que separei deles..... é muita crueldade.....
--------------
Caso ocorreu em Moçambique; denúncia foi feita pela organização ambientalista 'The Wildlife Trust'.

Pelo menos 87 abutres ameaçados de extinção foram mortos em Mbashene, em Moçambique, de acordo com a ONG britânica "The Wildlife Trust". As aves foram propositalmente mortas com uma carcaça de elefante envenenada.

De acordo com a organização, baseada na África do Sul, foram mortos 80 abutres-de-rabadilha-branca e sete abutres-de-capuz, no mínimo. A primeira dessas espécies está em perigo crítico de extinção.





Os praticantes da caça ilegal de elefantes e outros animais costumam matar essas aves para uso na medicina tradicional. Os abutres também denunciam a localização dos animais mortos ilegalmente, já que sobrevoam e se alimentam das carcaças.




A organização ambientalista também disse que algumas das aves foram mutiliadas. As presas dos elefantes foram apreendidas e um suspeito foi preso.

FONTE: G1

2/22/2018

População denuncia envenenamento de cães e gatos e cidade do Piauí

Quando eu falo, não é a toa!!!! as pessoas insistem em criar animais nas ruas e aí eles ficam expostos à crueldade humana.... Olha o resultado.....
---------------
Os moradores da rua, estão revoltados e exigindo providências

A cidade de Guadalupe amanheceu no sábado (17), com um fato que chamou à atenção da população, em especial dos moradores da Rua “C”, no bairro Cruzeta.

Em um ato de muita crueldade, uma pessoa ainda não identificada, iniciou na sexta-feira (16), o envenenamento de cães e gatos, já somam mais de 10 animais de estimação mortos.

Os moradores da rua, estão revoltados e estão exigindo uma posição das autoridades competentes, para investigar e punir o culpado por esse ato de crueldade.



FONTE: meionorte

1/21/2018

Bananas envenenadas para matar macacos são encontradas em Valença - RJ

Gente, estou morrendo de raiva!!!!! Mesmo falando que os macacos são vítimas como humanos, estes imbecis tem coragem de fazer esta desgraceira........ Eu ontem quase tive um piripaque quando vi uma protetora divulgando informação errada..... e olha que não é nenhuma analfabeta, pelo menos se diz..... Veja ao final pra terem uma ideia.... se protetora faz isto, imagina quem não é...... Pronto, falei!!!!! não consigo ficar calada diante destas coisas...... sorry, coleguinhas, mas, estou muito velha para me cobrarem paciência e compreensão com "boas intensões". Quem não sabe brincar não desce para o play, certo?
----------
Bananas envenenadas são encontradas em Valença, e prefeitura faz campanha contra ataques a macacos
Um morador de Valença, no Sul do Rio de Janeiro, encontrou bananas distribuídas em uma área de mata do bairro Aparecida, na manhã deste sábado (20). Em cima das frutas, havia uma substância que seria um veneno usado para matar ratos. O morador, que fez o registro e enviou para o whatsapp da TV Rio Sul, acredita que alguém teria feito isso para tentar matar macacos na região. Matar animais é crime ambiental.

A prefeitura informou à produção do RJTV que já está sabendo desse crime. Eles informaram que a Secretaria de Meio Ambiente, em parceria com a Vigilância Ambiental, já iniciou uma campanha de conscientização da população para que não ataquem os macacos.

Os primatas não transmitem a febre amarela. A doença é transmitida por mosquitos. Segundo o Ministério da Saúde, o macaco é importante para as pesquisas e o combate à febre amarela porque ele serve como indicador da presença do vírus em determinada região. Se os animais são mortos por humanos, a investigação sobre a existência da doença fica prejudicada.

Chega a quatro o número de mortos por febre amarela no Sul do Rio
Até agora, segundo a Secretaria Estadual de Saúde, já foram 14 casos confirmados de febre amarela silvestre em todo Rio. Desse total, quatro mortes foram registradas no Sul do estado: três em Valença e uma em Miguel Pereira. Muitas cidades da região reforçaram a imunização. Há postos de saúde funcionando com horário ampliado e até mesmo à noite.

Fonte: G1
----------
BANNER IDIOTA DIVULGADO IRRESPONSAVELMENTE POR UMA PROTETORA.... Chamei sua atenção no grupo que ela participa e até agora ela não viu.....


12/02/2017

Mais de 150 cães errantes são envenenados por ordem do Gram Panchayat - Karnataka

Fico até com pena quando alguém enaltece a Índia dizendo que eles amam os animais e que lá eles são sagrados..... ô, coitado!!!! sabe nada!!!!!!! 
----------
Em um ato chocante e vergonhoso de crueldade contra os animais, mais de 150 cães vadios foram envenenados na aldeia Belagutti de Karnataka, no distrito de Davangere. O incidente que aconteceu no sábado chegou à luz apenas
depois que as pessoas publicaram vídeos de cães morrendo alegadamente por envenenamento.

"Foi cruel, incomparável. Os cães foram empilhados, nem sequer foram enterrados corretamente. A maioria deles se decompôs devido ao veneno e apenas cerca de 80 carcaças podem ser retiradas para pós-mortem. O panchayat fez isso na tentativa de se livrar de perdas na área ", disse Harish KB, um oficial de bem-estar animal trabalhando com a Compassion Unlimited Plus Action (CUPA).


Ativistas dos direitos dos animais agora apresentaram uma queixa contra as autoridades do Panchayat, acusando-os de crueldade animal. De acordo com alguns relatórios, o Panchayat deu o passo extremo para matar após um recente aumento de ataques de cães e vários casos de raiva relatados na área.

Em Karnataka, houve um aumento no número de cães abandonados nos últimos dois anos. Somente em Bengaluru, há pelo menos 3,5 cães perdidos. O rápido crescimento da população perdida deve-se, em grande parte, ao fracasso das autoridades no programa de esterilização para controlar a taxa de natalidade.

Fonte: India Times
------
Leia também:

10/31/2017

Pelo menos 60 gatos morreram envenenados na UFPB em 8 meses, diz comissão

Minha opinião, baseada na quantidade de exemplos que vemos por aí, é que animal tem que ficar dentro de casa. A solução para colonias é a retirada e punição a quem abandona com multas pesadas. Mal comparando, é a solução que a Comlurb aqui no Rio (quando funcionava bem) aplicou para evitar que a população jogasse entulho nas ruas. Eu mesma fui multada por fazer isto em 1996 quando fiz uma obra na minha casa. A empresa da Prefeitura oferece serviço gratuito de retirada de entulho e acho que poderia oferecer este mesmo serviço aqueles que querem se desfazer do animal. Primeiro porque pegaríamos a "fonte" dos filhotes para castrar, segundo daríamos uma chance para os animais terem uma vida digna e terceiro porque teríamos um estudo completo sobre abandono e controle populacional de cães e gatos em área urbana. Ia demorar uns 2 ou 3 anos, mas, ia funcionar sim.... com toda certeza que o sol nasce pela manhã..... Íamos evitar antas barbáries sofridas pelos animais abandonados nas ruas. Recursos? qualquer bom gestor consegue. Fica a dica!
----------
Mais de 20 gatos morreram apenas no carnaval; laudo apontou para ingestão de chumbinho.

Pelo menos 60 gatos que vivem no campus I da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa, foram mortos por envenenamento em 2017. Os dados foram divulgados pelo vice-presidente da Comissão de Direito e Bem-Estar Animal da UFPB (CDBA), professor Francisco Garcia Figueiredo.

Segundo o professor, a estimativa compreende apenas as mortes por envenenamento no período entre o carnaval e o mês de setembro deste ano. Outras causas de morte - atropelamentos, espancamentos e apedrejamentos - não foram contabilizadas, mas, de acordo com a CDBA, são minoria.

“Cerca de 90% das mortes são por envenenamento. Alguém, que pode ser um professor, um servidor, um terceirizado, um aluno ou alguém da comunidade externa, coloca alimento envenenado no local onde colocamos alimentos para os gatos. Morte natural, a gente não detectou nenhuma ainda. Eles morrem jovens”, explicou.

As mortes dos animais acontecem principalmente na região do Centro de Comunicação, Turismo e Artes (CCTA) da UFPB. De acordo com o levantamento, 23 gatos morreram por ingestão de chumbinho no período do carnaval. A causa das mortes foi constatadas por meio de laudo dos veterinários do campus de Areia da instituição.

Entre agosto e setembro, pelo menos outros 30 gatos morreram, apresentando os mesmos sinais dos animais assassinados no carnaval. Nestes, os exames não foram feitos, mas as características também apontam para envenenamento.

A estimativa de quantos gatos vivem nos campus I da UFPB é inexata pois animais morrem diariamente e, com a mesma frequência, caixas com gatos são abandonadas no local. Porém, o professor Francisco Garcia arrisca que o número varia de 200 a 250 animais.

Francisco Garcia esclarece que várias providências já foram tomadas diante dos assassinatos dos gatos, porém, o assassino não foi identificado.

“A gente já denunciou à Delegacia do Meio Ambiente, vários processos já foram abertos, alguns já foram encaminhados para juizados especiais criminais pelo delegado. Aqui dentro, já instauramos várias sindicâncias por intermédio de processos administrativos. A gente consegue identificar o crime e as mortes, mas não conseguimos identificar o assassino”, explicou o professor.

O vice-presidente da CDBA, que também é presidente da comissão de Defesa dos Direitos dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional da Paraíba (OAB-PB), esclarece que não apenas matar os gatos é crime, mas também abandonar animais no campus. Caso comprovado, o crime de maus-tratos pode ser punido com detenção, de três meses a um ano, e multa.

A CDBA foi instituída de forma permanente, por meio de uma resolução do Conselho Universitário (Consuni), em maio de 2016, mas já existia informalmente antes disso. Os membros da comissão e outros integrantes da comunidade acadêmica colaboram voluntariamente com o pagamento de consultas e a compra de alimentos e remédios para os animais que são abandonados no campus.

Os gatos que vivem na UFPB estão disponíveis para adoção. Quem tiver interesse, pode entrar em contato com os integrantes da CDBA por meio dos telefones (83) 9 9919-7604 (Francisco Garcia) ou (83) 9 9656-7971 (Renata Coelho).

FONTE: G1

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪