RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador cavalos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador cavalos. Mostrar todas as postagens

10/10/2018

Petrópolis só terá charretes elétricas - RJ

A votação deu vitória a Chapa 2 que defendia o fim das charretes em Petrópolis. Mas, até eles saírem do trabalho vai demorar, penso eu, por conta da burocracia. Enfim, vamos torcer para tudo ser resolvido rapidamente.
-------------------------
As 13 'vitórias' que circulam no Centro Histórico estão

9/06/2018

Palhaço soneca vai de carroça à Câmara Municipal para defender carroceiros

A gente vê de tudo neste inferno de maus-tratos aos animais..... Minha Santa dos Lagos Secos, ajude acabar com esta patifaria contra os bichos em nome dos interesses humanos..... ô nojo!!!!!! 
-----------------
O vereador Palhaço Soneca (PPS) liderou na manhã desta terça-feira, 04, uma manifestação contra o Projeto de Lei que prevê o fim da circulação das carroças na capital sergipana. No ato que aconteceu na porta da Câmara de Vereadores, os

8/26/2018

Prefeitura tira os cavalinhos da chuva - Cachoeira do Sul - RS

Gente do Céu, inacreditável isto estar acontecendo...  Maravilha!  Eitcha, eu jamais esperava isto de uma Prefeitura.... Será que tem algum companheiro lá de Cachoeira que possa nos dar mais informações?
---------------------
Seis animais foram recolhidos entre a noite chuvosa de segunda-feira e a manhã desta terça-feira
A ofensiva para retirar os cavalos soltos

8/20/2018

Cavalos que sofreram maus-tratos são apreendidos

Escuta aqui: este veterinário que foi lá disse que não foi constatado maus-tratos? Arranca minha unha encravada pra ver se acordo..... tô sonhando!!!!!! Ele está maluco? Espero que a companheira do Clube do Vira-lata meta o cacete neste veterinário junto ao Conselho para ele se explicar...... Ele é cego? daqui do Rio estou vendo os maus-tratos e ele, in loco, não está vendo? Conta

7/15/2018

Dia da eleição, Petrópolis terá plebiscito para decidir uso de cavalos em charretes

Bem, acho que será uma boa votação porque as pessoas estarão na rua para as eleições....
-----------------
O TRE-Rio aprovou a realização de um plebiscito em Petrópolis, no dia do 1º turno das eleições dia 7 de outubro quando os eleitores também votarão para deputado estadual, deputado federal, senadores, governador e presidente.

7/06/2018

ANIMAIS EM TRABALHO: Altos e fortes, equinos ajudam a Polícia Militar na manutenção da segurança em grandes eventos


Sei que o uso de animais é uma exploração, mas, fico pensando se eles não estão melhor na cavalaria do que puxando carroças..... Temos tanto trabalho de conscientização pela frente...
================
Animais da raça brasileiro de hipismo fazem parte do Regimento de Cavalaria Alferes Tiradentes; militares da Cavalaria de Belo Horizonte reforçam o policiamento na Expomontes.


Com grande inteligência e capacidade física, os animais sempre ajudaram seus tutores em diversas atividades diárias. Com dedicação e um treinamento correto, eles também contribuem na manutenção da segurança pública. Este é o caso de mais de 200 equinos da raça brasileiro de hipismo que fazem parte do policiamento do Regimento de Cavalaria Alferes Tiradentes da Polícia Militar (RCat).


Os animais são treinados para participarem do patrulhamento em grandes eventos, como partidas esportivas, shows e exposições. Os cavalos são altos, medem acima de 1,75 metro, e pesam até 800 quilos. Porte e vigor que se unem em prol do coletivo.


“Com a altura privilegiada, o militar montado a cavalo consegue ter uma visão ampla do que realmente está acontecendo e, assim, age com assertividade. A presença dos cavalos é preventiva e desfaz aglomerações de pessoas, além de ajudar no controle e movimento da população; um esforço que militares a pé teriam mais dificuldade. Os cavalos são dóceis e ficam sob o domínio dos cavaleiros”, explicou o tenente Carlos Alberto de Abreu Ferreira.

Os animais são lançados em turnos diários na capital mineira. Atualmente, 16 potros estão em desenvolvimento e farão parte das equipes de patrulhamento. O Regimento de Cavalaria Alferes Tiradentes é uma unidade pioneira da Polícia Militar e faz parte da criação da instituição, em 1775.

“Como os passos dos animais são lentos, a presença dos cavalos é impactante, gerando prevenção ao público presente, sendo capaz de controlar distúrbios civis que eventualmente ocorrem. Além do trabalho preventivo, fazemos abordagens quando é necessário. E quando precisamos conduzir algum suspeito para procedimento de flagrante, uma viatura da Polícia Militar é acionada para o deslocamento até a unidade da Polícia Civil”, detalhou o tenente.

Cerca de 240 militares fazem parte do Regimento de Cavalaria, incluindo equipe de veterinários. Os nomes de cada animal são escolhidos por uma comissão.

Treinamento frequente

A preparação de adestramento de um equino dura aproximadamente quatro anos, já que o animal começa a ser domado a partir do terceiro ano de idade. No entanto, os animais são capacitados diariamente para lidarem com barulhos e aglomeração de pessoas. Os militares que se tornam cavaleiros também passam por um curso específico.


“Os militares que chegam à unidade passam pelo curso de policiamento montado, em carga horária integral de três meses. Também, antes de cada lançamento no turno, os cavalos passam por várias experiências por mais ou menos duas horas. Eles vivenciam obstáculos, ambientes com sacolas, bandeiras e fogos; tudo para simular um ambiente diário de patrulhamento. O animal pode até assustar com um foguete, mas ele será sempre dominado, sem prejuízo a saúde dele, do cavaleiro e da população”, explicou o tenente Carlos Alberto.


Policiamento na Expomontes
O policiamento a cavalo tem chamado a atenção dos visitantes do parque de exposições em Montes Claros, durante a Expomontes. Cerca de quatro trios de equinos participam do policiamento, dentro e fora do parque, nos dias de evento. Os animais estão em estábulos e comem feno, capim tifton, sal mineral e ração própria para cavalos.


O engenheiro aeronáutico, José Luciano Saraiva, está na cidade à serviço e aproveitou para conhecer as atrações do evento. Ele fez questão registrar a foto com um dos animais que entrava no turno de serviço. “Esta é a primeira vez que venho à Expomontes. O policiamento com os cavalos me chamou a atenção e como eles são dóceis e acessíveis. Tive de tirar a foto para guardar de lembrança”, contou.


O empresário Ranolfo Rafael Mendes Souza também procurou saber mais sobre o policiamento com os cavalos. “A gente busca saber como é policiamento, como os cavalos se comportam porque chamam a atenção pelo tamanho. Esta participação dos animais no policiamento é interessante”, explicou.

FONTE: G1

6/02/2018

ATIVISTA: Paris Jackson se pronuncia sobre polêmica em desfile Dior

Como é bom ver reações assim, não? é deste jeito que os verdadeiros ativistas vão implantando na sociedade o conceito do que é exploração animal..... Show, menina!!!!!
-------------
Ela deixou o evento em Chantilly, na França, após a entrada de cavalos na passarela
Na última sexta-feira (25), Paris Jackson causou ao deixar um desfile da grife Dior, em Chantilly, na França. Ela se indignou ao ver modelos entrando na passarela com cavalos.

Apesar não querer chamar atenção, muitas pessoas ficaram incomodadas com a atitude de Paris e a criticaram duramente pedindo um pronunciamento. A modelo se explicou via Twitter.

“Para ser sincera, não ‘sai furiosa’ do desfile. Eu me levantei silenciosamente e sai, tentando não causar uma cena, porque não apoio animais sendo usados por marcas e sendo mal-tratados. Não quero fazer inimigos no mundo da moda, mas sempre serei eu mesma”, falou Paris num tweet e completou. “Além disso, não fiquei brava, só fui pega de surpresa e fiquei com o coração partido.

Não tenho duvidas de que em breve as marcas de alta-costura mudarão para pelos sintéticos e sem crueldade animal, pelo menos é o que os padrões indicam. E todos deveríamos estar muito animados com isso!” Paris é assumidamente uma grande militante pelos direitos dos animais.

FONTE: ofuxico

5/29/2018

APRENDENDO: Os cavalos sentem frio?

Adoro ler estas matérias. Nunca pensei se cavalos sentiam frio já que ficam em pastos sem proteção de intempéries.....
---------------
Sim, os cavalos sentem frio.
Porém eles são muito mais resistentes ao frio do que nós por conta do volume de massa corporal que possuem, ou seja, a zona de conforto térmica nos equinos é bem inferior à nossa.

Os cavalos se sentem mais confortáveis no inverno do que em temperaturas muito elevadas e conseguem lidar com muita facilidade com o frio.

Em temperaturas baixas os cavalos tendem a ficar mais agrupados para acumular calor. Os pelos crescem mais e engrossam durante o inverno porque funcionam como uma proteção ao frio e a chuva, como uma cobertura ou capa natural. Passando a mão na parte interna dos pelos, você sente uma oleosidade que recobre a pele e os fios. É essa cobertura que ajuda a repelir a chuva.

Os cavalos mais fragilizados, como potros, cavalos doentes e idosos, estão sempre mais suscetíveis aos problemas causados pelo frio do que os demais. Um quadro simples pode evoluir rapidamente para um quadro grave. Por isso, devem ser vigiados e observados com mais atenção.

Fique atento à umidade que oferece mais riscos à saúde dos cavalos do que o próprio frio. Nunca se deve guardar um cavalo na cocheira quando está molhado, seja no pós banho ou suado. Eles devem completamente secos.

Existem hoje no mercado capas de soft que ajudam a absorver a água rapidamente. Caso não as possua, o sol sempre é a melhor alternativa. Os banhos não devem ocorrer nos horários do dia em que as temperaturas caem. Porque a combinação de umidade e frio prejudica o bem estar e a saúde dos cavalos. As forrações das cocheiras devem ser trocadas com frequência por forrações secas.

Outra alternativa para manter os cavalos aquecidos são as capas de frio. Mas como saber que um cavalo está com frio e precisa ser aquecido? Acredite se quiser: através das orelhas. Se as orelhas estiverem geladas, ele está com frio.

Em temperaturas baixas os cavalos passam praticamente o dia todo comendo em seus pastos, porque é do alimento que tiram também energia para se aquecer. Em compensação, ele bebe menos água, o que aumenta o risco de cólicas. Por isso devemos redobrar a atenção com a alimentação nesta época do ano. O volume farto de “verde” é fundamental. Invista nos pastos e dê preferência às rações de alta qualidade.

Consulte o seu veterinário para tirar todas as dúvidas com relação às adaptações e mudanças de manejo, alimentação e treinamento durante as mudanças de temperaturas e de estações. Ninguém melhor do que um profissional capacitado para fornecer as orientações corretas e necessárias para garantir o bem estar do seu animal em todas as fases de adaptação ao clima.

Lembre-se: genética, treinamento e nutrição, sem o acompanhamento de profissionais capacitados e dedicados, não garantem a boa saúde de seus animais e nem bons resultados. O entendimento do que o seu cavalo precisa, seja no inverno ou em qualquer outra estação, é fundamental.

Trazer para o dia a dia o conceito das necessidades dos cavalos, garante o bem estar do seu animal. Eles são indivíduos que têm sentimentos e sensibilidade. “Cuidar, dar atenção, estar presente, observar, vigiar e seguir as orientações do seu veterinário ajudam a garantir que os seus cavalos passem por esta estação de frio sem problemas”.

FONTE: terceirotempo

5/26/2018

EXPLORAÇÃO DE CAVALOS: Hamburgueria usa cavalo em entregas no DF

Gente, soube que aqui no Rio estão usando direto carroças e charretes para levar as pessoas até onde passam os ônibus. Isto é feito, geralmente, por vans, mas, como não tem gasolina estão usando carroças..... Quem me denunciou ontem foi uma moradora de Nova Iguaçu. Ela disse que os animais estão esgotados e trabalham debaixo de chicote. Pedi a ela para filmar para denunciarmos a DPMA.
---------------
Hamburgueria usa cavalo em entregas para driblar falta de combustível no DF
Após a paralisação dos caminhoneiros, uma hamburgueria em Planaltina, no Distrito Federal, resolveu driblar a falta de combustível e resolveu implantar o uso de cavalos para garantir as entregas dos clientes.
De acordo com um dos donos do estabelecimento, Júnior Tadayoshi, de 31 anos, a ideia partiu do seu sócio, Aquiles França, que resolveu improvisar com o serviço. Segundo ele, tudo começou como uma brincadeira para descontrair. No entanto, o transporte alternativo se mostrou eficiente e já ajudou em cerca de 20 entregas.

— Ele teve a ideia e eu liguei para um amigo que tem um haras aqui perto. Ele me disponibilizou dois cavalos e dois cavaleiros — disse Tadayoshi, que informou que a região é conhecida pelas tradicionais cavalgadas.

Ele contou ainda que muitos clientes começaram a ligar pedindo que o lanche chegasse de cavalo nas residências. Junior explicou ainda que os animais foram deslocados para locais mais próximos, enquanto os motoboys entregavam em locais mais distantes. — Muita gente ligou pra cá querendo que a entrega fosse a cavalo. Mas sabemos que nem todos os lugares podemos utilizá-los. É perigoso tanto para o animal quanto para o condutor, por causa do trânsito e da pista.

Júnior disse que se a paralisação continuar, ele será obrigado a fazer o uso do cavalo nas entregas novamente. — O combustível está acabando. Se a greve continuar, vamos ter que usar os animais— concluiu.

Fonte: EXTRA
==============
LEIAM OUTRO CASO: 
Vereador de BH debocha da crise em vídeo montado em cavalo

=====================
Como brasileiro tem um humor fora do contexto, olha isto:
enviado por nossa leitora Victória

4/01/2018

Animais vítimas de maus tratos aguardam novo lar em SP



Não é fácil adoção de animais de porte grande..... precisa espaço e dinheiro para tratá-lo como merece, claro.....
-----------------
Cavalos, mulas e até uma família inteira de porcos estão à espera de adoção.

3/07/2018

Petrópolis terá plebiscito para decidir permanência das tradicionais 'vitórias', as charretes da Cidade Imperial

Sou a favor sim do fim das charretes em qualquer lugar. Agora, que fica uma pergunta no ar, fica. Para onde vão os cavalos? Não foi fácil colocar os cavalos da Ilha de Paquetá no Rio. Bem, vamos aguardar e conferir a decisão do plebiscito.  
------------
TRE definiu que votação, convocada pela Câmara de Vereadores, será realizada no primeiro turno das Eleições 2018.

Petrópolis, na Região Serrana do Rio, terá um plebiscito para votar pelo fim ou permanência das tradicionais vitórias, as famosas charretes que ficam em frente ao Museu Imperial atendendo aos turistas.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a votação será no 1º turno das eleições deste ano, que vai ocorrer no dia 7 de outubro. O plebiscito foi convocado pela Câmara de Vereadores da cidade.

O autor do projeto de lei que deu origem ao plebiscito, vereador Meireles, afirma que esta foi a maneira que encontrou para que a questão seja debatida, de forma democrática. "É um assunto polêmico, que sempre é discutido nas ruas, na internet e até na própria Câmara legislativa e que ninguém chega a nenhuma conclusão", afirma.

A notícia não agradou os charreteiros que trabalham na cidade, como João Ricardo de Oliveira, de 38 anos. Pai de três filhos menores, ele afirma que trabalha na área há 15 anos e depende do trabalho para sustentar a família. "Nós tínhamos concordado em substituir as vitórias por charretes elétricas, quando isso foi proposto em uma reunião na Câmara. Mas não é isso que está acontecendo. Querem votar o fim do nosso trabalho, sem que seja apresentada uma alternativa para quem depende desse emprego", destaca.

Já o charreteiro, Leonardo Monteiro de Souza, de 33 anos, disse que a notícia sobre o plebiscito trouxe preocupação para os trabalhadores. Ele atua há 15 anos na área e herdou a profissão do pai, que está aposentado. "A gente só sai daqui com um serviço para trabalhar! Como que vamos ficar desempregados?", questiona ele, que tem dois filhos menores.

Segundo Leonardo, não há justificativa para o fim das vitórias, uma vez que, segundo ele, os animais são bem cuidados, fazem exames a cada dois meses e têm acompanhamento de um veterinário. "Nós não queremos problema, queremos a solução. Achamos que, com fiscalização dos órgãos competentes, não precisa acabar com o serviço", disse.

Moradora de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a comerciante Luciana de Pontes, de 43 anos, e o marido Marcio de Pontes, de 42 anos, afirmam que são a favor da continuação do serviço. "Estou aqui vendo os animais e, aparentemente, não vejo nada de errado. Pelo contrário, as pessoas usam as vitórias para conhecer a cidade. Esta é a segunda vez que venho a Petrópolis e faço o passeio", disse Luciana.

ONGs questionam sobre destino dos cavalos
A protetora de animais, presidente da Ong Anima Vida, Ana Cristina Ribeiro, acredita que antes de ser proposto o fim das vitórias, deve-se pensar no destino desses animais.

"É preciso saber para onde eles serão levados porque não vai ser tarefa fácil encaminhar esses cavalos. Hoje, nós fazemos o acompanhamento deles, sabemos que têm atendimento veterinário especializado e são alimentados e vacinados corretamente, mas e depois? Para onde vão?", questiona.

Substituição
A vereadora Gilda Beatriz afirma que em 2017 foi feito um termo de intenção para substituir as vitórias por charretes elétricas. Na época, ela disse que a maioria dos charreteiros concordou e assinou o documento. "Encaminhei o termo para a Prefeitura e a ideia era de que as charretes elétricas fossem adquiridas por meio de um recurso do Ministério do Turismo que previa uma contrapartida de apenas 10% do município. Mas até o momento não teve nenhum avanço", disse Gilda. O G1 tenta contato com a Prefeitura para saber se houve algum avanço na negociação com o Ministério do Turismo.

Tradição
Para o historiador, Joaquim Eloy, acabar com as vitórias é o mesmo que rasgar a tradição da cidade. Ele lembra que os deslocamentos por charretes e cavalos já eram feitos por Petrópolis, mesmo antes da fundação do município. "Foi o primeiro meio de transporte, antes da chegada do trem e dos automóveis. Era assim que D. Pedro I chegava na cidade e depois D. Pedro II. As vitórias fazem parte da nossa história e atendem os turistas que querem conhecer o Centro Histórico. Se o problema são os cuidados com os animais, então é preciso investir na fiscalização e não no fim da atividade", destaca.

FONTE: G1

2/28/2018

Moradores denunciam animais circulando livremente nas ruas de Sepetiba, no Rio

Olha, daí não sei o que dizer o que seria melhor..... Os animais recolhidos, vão para o CCZ. Depois de uns dias, ninguém reclamando vão para um curral em Seropédica e daí são negociados e voltam para mãos de carroceiros da pior qualidade..... O que pensar, gente? Eu não sei..... Só posso afirmar que esta gestão da Prefeitura do Rio é a pior de todas....
-----------
Os moradores de Sepetiba, na Zona Oeste do Rio, reclamam de animais que circulam pelas vias públicas, sem dono, e atrapalham a circulação dos carros. Eles afirmam que é um risco para as pessoas e para os bichos, que muitas vezes são atropelados.

Na Estrada de Sepetiba não é raro observar o trânsito sendo interrompido por causa de animais de grande porte como bois, vacas e cavalos. “Ontem quase aconteceu um acidente aqui. Uma vaca passou na rua e o cara freou em cima”, contou o comerciante Adalto Rodrigues.

Os moradores já entraram em contato com a Prefeitura do Rio várias vezes. Nos protocolos de reclamação, os órgãos públicos afirmam sempre que o problema foi solucionado, mas a quantidade de animais nas vias públicas mostra que não.

O decreto municipal que regulamenta o assunto afirma que os bichos não podem ficar soltos nas vias públicas. A determinação é que eles sejam recolhidos pelo Centro de Controle de Zoonoses. Lá, os animais ficam até três dias esperando o dono. Se isso não acontecer, o animal passa a pertencer ao município. Questionada, a Prefeitura do Rio de Janeiro afirmou que os pedidos recebidos pelo sistema 1746 são enviados aos órgãos competentes.




Fonte: G1

1/21/2018

Dona de cavalos registra BO contra ONG que recolheu animais

Eita!!!!! e agora?
-----------
Mulher esteve com advogado na delegacia, na tarde desta quarta-feira...

Neiva Aparecida Pereira esteve na delegacia de Polícia Civil de Cascavel, na tarde de hoje. A mulher se tornou conhecida após ter tido seus cavalos recolhidos por uma ONG. Os animais eram usados para puxar carrinho usados no recolhimento de materiais recicláveis.

A mulher estava acompanhada do advogado Maikon Medeiros. Ela foi registrar um boletim de ocorrência para tentar recuperar os cavalos. A alegação é de que a ONG não teria poderes para entrar no imóvel e pegar os animais, sem uma decisão judicial a respeito da denúncia de maus tratos.

Além do BO, haverá uma demanda judicial, segundo o advogado.

Dona Neiva explicou que confia que conseguirá ter os cavalos de volta.

Nessa semana, a CGN procurou a responsável pela ONG citada por Neiva e se colocou à disposição para expor o posicionamento da entidade. Uma entrevista, com a versão da ONG, deve ser concedida para a CGN ainda essa semana.

FONTE: cgn

12/11/2017

Donos e voluntários tentam salvar cavalos presos em estábulos durante fogo na Califórnia

Tenho lido sobre a quantidade de cavalos que morreram queimados neste incêndio horrível....
---------------
Donos de cavalos e voluntários tentaram resgatar e evacuar centenas de animais, quando os incêndios não dão trégua no sul da Califórnia. Segundo autoridades, até agora pelo menos 29 cavalos morreram, e os que são resgatados sofreram graves queimaduras e foram tratados por inalação de fumaça, desidratação e estresse. A maior parte deles está presa em estábulos.

As autoridades disseram que centenas de animais de estimação, burros e até lhamas foram levados para instalações de universidades e centros esportivos que foram transformados em abrigos. A polícia afirma que está ajudando a resgatar animais de estimação em perigo, que foram deixados para trás por seus donos durante a fuga das chamas.

"Infelizmente, muitos cavalos que estavam trancados em estábulos não sobreviveram ao fogo", disse o Departamento de Controle e Cuidado Animal de Los Angeles.

Em entrevista para a rede CNN, Virginia Padilla contou que o seu cavalo Ruben, de 7 anos, teve 65% do corpo queimado. "É horrível. Não há palavras para descrever. Tenho muita sorte por ele estar vivo", disse Padilla. Ela tentou salvar mais de 60 animais, mas o teto do estábulo desabou antes que muitos deles pudessem ser salvos. Por conta dos ferimentos, ao menos um dos animais precisou sofrer eutanásia.

Desde o começo da semana, bombeiros estão combatendo vários incêndios florestais intensos que se alastraram pelo densamente povoado sul da Califórnia atiçados pelo vento. Ao menos 500 propriedades já foram destruídas, e 190 mil pessoas foram obrigadas a deixar suas casas.

Mais de 5.700 bombeiros de toda a região da Califórnia trabalham para deter a propagação de seis grandes incêndios florestais e outros menores que irromperam desde segunda-feira, de Los Angeles até o litoral do Pacífico e o condado de Santa Barbara, instigados por ventos da região de Santa Ana que rumam para o oeste.

O distrito unificado de escolas de Los Angeles, que tem mais de 640 mil alunos e é o segundo maior dos Estados Unidos, disse ter fechado mais de um quarto de suas quase 1.100 escolas pelo segundo dia nesta sexta-feira. A Universidade da Califórnia em Santa Barbara também cancelou as aulas nesta sexta-feira.

Tanques de propano localizados debaixo de várias casas explodiram devido ao calor, soando como bombas.

O Incêndio Thomas, no noroeste de Los Angeles, já aumentou de 38.850 para 46.540 hectares e destruiu 439 estruturas, disseram autoridades. Mais de 2.600 bombeiros de lugares distantes como Portland, Oregon e Nevada estão enfrentando as chamas, que só estão 5% contidas. Ao norte de San Diego, o chamado Incêndio Lilac aumentou para 1.659 hectares em poucas horas. (Com agências internacionais)

FONTE: noticias.uol

Cães e cavalos sob maus-tratos são resgatados de criadouro irregular

O nojentão foi liberado porque nosso país é uma caquinha bem fedida.... ô nojo!!!!!
---------
Dono de local onde bichos estavam chegou a ser detido, mas foi liberado
Cerca de 20 cães e sete cavalos foram resgatados de um criadouro irregular em Matozinhos, na região Central, no domingo. A situação dos animais, em geral desnutridos, feridos e com doenças sem tratamento e mantidos em meio a fezes, foi denunciada à Comissão Extraordinária de Proteção dos Animais da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O responsável pelo criadouro chegou a ser conduzido à delegacia, mas foi liberado.

Segundo o presidente da comissão, o deputado Noraldino Júnior (PSC), a denúncia se restringia às más condições dos cavalos, mas, no local, o estado dos cães surpreendeu ainda mais. “Eram cães mortos junto com outros animais em situação deplorável, com fraturas e machucados, cheios de bicheiras. Ainda havia cadelas amamentando e com tumores em todas as mamas, sendo utilizadas para procriação. Uma cena muito triste”, disse o deputado.

A suspeita é que os cães, de grande porte, eram criados para caça e vendidos. “A situação era completamente precária. Os cachorros estavam desnutridos, em gaiolas imundas. Eles dormiam sobre fezes e comiam lavagem”, afirmou um investigador da Polícia Civil e integrante do Grupo de Repressão Unificada contra Abuso e Maus-Tratos aos Animais (Grucam) da corporação. Os cavalos também estavam magros e com carrapatos.

Os animais foram resgatados e, segundo o deputado Noraldino Júnior, estão em tratamento em uma clínica veterinária na capital. A intenção é que, depois de recuperados, eles sejam levados à adoção.

Investigação. O proprietário do criadouro, identificado apenas como Mundico, foi conduzido à delegacia de plantão de Vespasiano, na região metropolitana, onde foi ouvido e liberado. Segundo o deputado, o delegado de plantão definiu que os animais fossem restituídos ao homem. De acordo com o político, o policial teria afirmado que não havia tido acesso aos vídeos do local nem ao laudo veterinário que atestava os maus-tratos.

A Polícia Civil informou que as investigações estão em andamento e que outros depoimentos serão feitos. A Polícia Militar não se manifestou.
Deputado pede punição
O deputado Noraldino Júnior solicitou à promotoria de Justiça de Matozinhos que os bens do proprietário do criadouro sejam arrolados e destinados aos gastos do tratamento dos animais. Uma lei estadual, de autoria dele, estipula multa de R$ 1.500 em caso de maus-tratos que causem ferimentos.

O Ministério Público afirmou que um procedimento foi instaurado.

MINIENTREVISTA
Noraldino Júnior - deputado

Qual era a situação dos animais no criadouro?
Era uma cena lamentável. Os animais estavam com fratura exposta, feridas sem nenhum tratamento, cheio de bichos e larvas, no meio das fezes. Já havia animais mortos, que não conseguiram suportar a situação do ambiente.

O que será feito?
Tivemos uma reunião com a promotora, para que ela pudesse agilizar a ação sobre esse crime de maus-tratos, para que esse caso sirva de exemplo e as pessoas entendam que crueldade contra os animais será punida com todas as penas cabíveis, tanto criminalmente quanto com sanção administrativa, que estabelece multas para cada animal maltratado, e a responsabilização pelo atendimento veterinário.

Há alguma orientação para quem quer um animal?
É importante que as pessoas tenham consciência da procedência do animal e optem pela adoção.
Mais de 30 cães foram recuperados de casa de acumuladora em BH

Cachorros estão à espera de um lar
Mais de 30 cães, a maioria filhotes, estão à espera de um novo lar desde que a dona deles faleceu, deixando-os com a mãe já idosa e sem condições de cuidar dos bichos. Acumuladora, a antiga tutora recebia todos os cães que os vizinhos deixavam na porta da casa dela, no bairro Pompeia, na região Leste da capital.

Preocupados com os animais, familiares da mulher pediram ajuda a vários grupos de proteção em BH, e, na sexta-feira passada, voluntários do projeto O Lobo Alfa estiveram no local, onde encontraram em torno de 40 animais assustados e arredios, que apresentavam sinais de fome. Havia fêmeas com muito leite e poucos filhotes, o que indicava que muitos não resistiram. O grupo resgatou uma mãe e quatro filhotes recém-nascidos e conseguiu a adoção de outros dois cães.

“Amanhã (8), vamos fazer um mutirão de vacinação e vermifugação para deixar os cães prontos para adoção. Eles precisam de afeto e de novos donos”, disse um dos voluntários do projeto, Crispim Zuim. Segundo ele, os animais serão levados para uma feira de adoção na capital neste mês. Quem quiser adotar um amigo pode entrar em contato pelo telefone (31) 99926-3999.

FONTE: otempo

Idosa se ajoelha e implora para que cavalos sejam devolvidos

Algum motivo houve para a ONG tirar os animais dela....ou não?
------------
Uma ONG retirou os animais da propriedade dela, alegando estariam sofrendo maus tratos...
Dona Neiva Aparecida Pereira é catadora de papelão e mora no Bairro Pioneiros Catarinenses.

Até semana passada, ela tinha dois cavalos que utilizava como tração para o carrinho que ela usava para carregar papelão.

Na última quinta-feira, uma ONG foi até a casa dela, juntamente com a Polícia Militar e retirou os cavalos que estavam em sua propriedade, alegando maus tratos a animais, mas segundo dona Neiva, isso não ocorria.

Ela tem documentos de um veterinário da Prefeitura, onde comprova que os animais não estavam sofrendo qualquer tipo de agressão.

Após a retirada dos cavalos, Neiva é quem está puxando o carrinho com papelão, mesmo com a perna machucada.

Em entrevista à CGN, a mulher se ajoelhou implorando para que os cavalos sejam devolvidos a ela.

FONTE: cgn.inf.br

11/05/2017

A maioria dos cavalos na cidade do Rio de Janeiro vivem nas mãos de marginais

Amigos do Brasil e do exterior.... Nosso Rio de Janeiro virou uma favela só e está vivendo um grau de violência que ninguém imagina porque a mídia não mostra nem 1% do que rola nas ruas da cidade em que vivemos.... não teria como...... Estou publicando este vídeo (infelizmente não sei a autoria porque veio pelo whatsapp) para mostrar a vocês o grau de domínio de marginais do mais baixo grau.

Já falei aqui que os cavalos vivem nas mãos destes pivetes e servem de moeda de troca no tráfico de drogas. O roubo destes animais entre eles é algo que nem a polícia se mete porque acham que não vão se arriscar por causa de bicho, como alguns falam. 



Eu até entendo, porque estes pivetes reagem a qualquer abordagem de guardas municipais ou militares. Nas ruas, eles se juntam e derrubam a pessoa no chão na frente de todo mundo, roubam o que querem e saem rindo porque ninguém reage... todo mundo sabe que estão com facas ou cacos de vidro prontos para serem usados.....

Estou pensando em ir para Saturno, Urano ou Plutão!!!!! quem quiserem vir junto, sejam bem-vindos!



EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪