RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador castração. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador castração. Mostrar todas as postagens

11/30/2018

SABIA QUE alguns gatos de rua tem a orelha esquerda cortada?

Portugal, também, usa o recursos que usamos aqui no Brasil. Quando eu estava conveniada com a Prefeitura do Rio, eu preferia a tatuagem dentro da orelha..... Mas, o corte é mais usado, sem dúvida....
----------------
São sinalizados com este corte para saber que o gato já foi esterilizado, evitando assim que seja novamente capturado, no

10/06/2018

Afinal, castração animal é mutilação?

Acho sempre bom reforçar este equívoco que muita gente comete. 
---------------
A veterinária Carolina Rocha traz explicações sobre o tema e dicas úteis para a saúde dos pets
Para conscientizar a população e desmistificar todo o preconceito que há em torno da castração, a veterinária Carolina Rocha, mestre em comportamento animal e fundadora da Pet Anjo, traz explicações no que diz respeito ao falso conceito de mutilação do animal e também à violação de escolha

9/25/2018

Começa nessa terça-feira o cadastro para o mutirão de castração gratuito na Zona Norte

Aí galera!!!!! aproveitar o mutirão!!!! HOJE começam as inscrições.....
-------------
Rio - Atenção, tutores de cães e gatos moradores da cidade do Rio. Começa nesta terça-feira o cadastro para quem deseja castrar o pet. O atendimento é gratuito. Os interessados devem comparecer ao Instituto Jorge Vaitsman, na Mangueira, Zona Norte do Rio, a partir das 8h, com com o CPF e comprovante de residência.

9/22/2018

Belford Roxo cadastra protetores de animais

Que maravilha!!!!! isto é formidável!!!!!
-----------------
A Prefeitura de Belford Roxo, através da Secretaria de Proteção aos Animais, está cadastrando protetores de animais. O cadastro é realizado pelo site:  Clique aqui e é voltado para pessoas que cuidam, castram e dão para adoção animais de rua. O objetivo é castrar os animais resgatados por esses protetores no Castra Móvel, que terão vagas

8/18/2018

Prefeitura do Rio promove mutirão de castração de gatos

Muito boa a iniciativa... Ótimo!!!!!
---------------
Campanha terá várias datas até o final do ano. Um dos objetivos é reduzir casos de contaminação por esporotricose.

A subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses vai promover mutirões de castração de gatos no Instituto Jorge Vaitsman – IJV –que fica na Mangueira, até o final do ano. O objetivo é reduzir os casos de

8/16/2018

Conheça os mitos e verdades sobre a castração de cães e gatos

A matéria está boazinha. Vale a pena ler... informação é muito bom....
--------------
Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem a segunda maior população de animais domésticos do mundo, com 22,1 milhões de gatos e 52,2 milhões de cachorros. Nesse cenário, a castração é uma boa ferramenta para o controle do crescimento populacional dos pets. O procedimento evita crias

8/11/2018

Clínicas de castração de animais da prefeitura estão fechadas no Rio de Janeiro

Bem, assumir um cargo com a prefeitura falida sem dinheiro nem para os hospitais, vai ser pedir muito que a SUBEM funcione.... tô errada?
--------------------
Cerca de 200 animais estão deixando de ser castrados por dia na cidade, diz ONG
Dez centros de castração da Prefeitura do Rio estão fechados  

RIO — Os dez centros da Prefeitura do Rio

7/07/2018

Veterinária de Florianópolis representa o Brasil em mutirão internacional de saúde animal

A Dra. Amélia (a esquerda da foto) não é mole não..... no empreendimento destes assuntos é imbatível..... Ótima cirurgiã e muito inquieta com as situações vividas pelos animais. Uma veterinária de mérito!!!! Com ela não tem mau tempo e é uma danadinha em castração.... Parabéns as duas que foram convidadas para a grande maratona.... Espetacular este projeto!!!!!
=============
O projeto reuniu 200 profissionais de todo mundo no México, em programa que se compara ao Médicos Sem Fronteira

A convite dos médicos veterinários, Dr. Jeffrey Young, host do programa Planet Animal e Antônio Rios Perez, pioneiros em métodos modernos de castração, as veterinárias Kátia Chubaci, de Florianópolis, e Amélia Oliveira, de São João Del Rey, Minas Gerais, foram as únicas brasileiras a participar da 9º Maratona Internacional de Castração em Yucatán, no México. Ao todo foram chamados 200 profissionais do mundo – entre Portugal, Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Irlanda, Filipinas, Eslováquia e México – para castrar 3 mil cães e gatos no evento que se compara ao Médicos Sem Fronteiras.

O Planned Pethood International – PPI – liderado pelo Dr. Young, tem como meta contribuir para a diminuição do número de animais em situação de rua, a prevenção de zoonoses, bem como acidentes de trânsito provocados pela presença destes animais nas rodovias. O controle de natalidade animal repercute não apenas na medicina veterinária, mas também na saúde pública do coletivo.

Para Dra. Kátia, participar de um evento deste nível e com este propósito é uma honra e uma imensa oportunidade de trocar conhecimento, habilidades, técnicas, e principalmente por nos mostrar que não estamos sozinhas neste trabalho com os animais. “Esse mutirão serviu de exemplo a ser seguido pelo Brasil por ser perfeitamente viável quando o povo e o governo trabalham unidos. Na abertura deste evento fomos recebidos pelo governador do Estado de Yucatán e seu secretário do meio ambiente, prestigiando e valorizando a causa animal. É disto que estamos falando quando nos referimos a Medicina Veterinária do Coletivo”, afirma.

As veterinárias apresentaram ao Dr. Young e ao Carlos Bolo, organizador do Planned Pethood Internacional, um projeto para trazer o PPI para o Brasil. A ação tem o objetivo de atender a região do Amazonas, que irá abrir portas para outras regiões do país, onde o controle de natalidade não chega. “Tem cidade que pensa em fazer eutanásia de animais saudáveis, construir canil, abrigo como se fosse a solução, mas não é. Felizmente o Dr. Young e o Carlos aceitaram o convite e confirmaram que o PPI virá no próximo ano. Santa Catarina com certeza estará inclusa no programa ”, assegura Dra. Kátia.

De acordo com Dr. Young, o Planned Pethood acontece quando o governo do país oferece um aporte financeiro para a realização dos mutirões. “Por exemplo, eu doei mais de 2 mil fios de sutura que são melhores para os animais. Ou seja, nenhum veterinário que participa de um evento como este ganha dinheiro, pelo contrário perdem dinheiro porque deixam de trabalhar em seus países.  E qualquer doação financeira extra que recebemos vai para futuros mutirões de castrações e esterilizações de animais. Além disso, contamos com a população que oferece hospedagem e alimentação gratuita pelo trabalho que realizamos em suas comunidades. No fim, muitas despesas não cobrem, como gasolina dos translados, bem as cirurgias extras  que fazemos para pessoas pobres que têm animais e que precisam de outras coisas”.

A realização da 9º Maratona Internacional de Castração contou com o aporte  do governo de Yucatán no valor de um milhão e 366 mil Pesos. As três mil castrações impactarão para que cerca de 36 mil outros animais deixem de nascer em apenas um ano. Segundo a American Humane Association, apenas um casal de cães ou gatos e seus descendentes geram ao longo de seis anos, uma média de 73 mil novos filhotes, considerando dois cruzamentos ao ano por cada casal.

FONTE: portaldailha

6/25/2018

CASTRAÇÃO: Curitibanos poderão ser obrigados por lei a castrar cães e gatos

Vou consultar os universitários para saber se é legal o município ditar comportamentos. É o ideal castrar os animais, mas, tenho dúvida se não atinge o direito constitucional do cidadão considerando que os bichos no Brasil ainda são coisas. Seria como dizer para as pessoas que só poderiam ter carros se fossem vermelhos, entenderam?
==============
Todo dono de cão e gato de Curitiba será obrigado por lei a castrar seu animalzinho. É o que prevê um projeto que está tramitando na Câmara Municipal. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do legislativo municipal aprovou a proposta que é de autoria da vereadora Fabiane Rosa (PSDC), eleita justamente como defensora dos animais.

Conforme o texto, os responsáveis, tutores ou cuidadores de cães e gatos em Curitiba terão que registrar, identificar e esterilizar seus animais. A matéria altera e acresce dispositivos a uma lei municipal, que disciplina o comércio de animais de estimação na capital. Segundo o projeto, a esterilização deverá ser feita entre 6 meses e 8 anos de idade.

Além disso, o registro e a identificação do animal devem ser feitos por meio da “implantação de microchip contendo os dados de nome, espécie, raça, sexo e idade do bichinho. O microchip também deverá ter a informação da castração realizada e nome do responsável, tutor ou cuidador do animal.

Os procedimentos poderão ser realizados em clínica veterinária ou em órgão da administração pública municipal responsável pela gestão da política de proteção e defesa animal.

FONTE: cbncuritiba

6/12/2018

CRUELDADE: Como muçulmanos castram seus animais. No Brasil, também, usam o método

Sinceramente, não sei qual a castração pior feita nestas industrias da carne.... ovinos.... bovinos... equinos.... Mas, creio que dos porquinhos ganham destes todos.... Céus, é preciso muita coragem ....


Muçulmanos não extirpam é sim atrofiam o saco escrotal.... até porque existe uma iguaria especial com os testículos dos animais... imaginem a dor destes filhotes castrados desta maneira que na maioria desmaiam...



Agora, aqui no interior do Brasil também usam o método que é chamado de castração com porrete... Só não fazem com filhotinhos porque a maioria morre logo após o procedimento devido a dor e o estresse..... Ô gente filho do capeta!!!!!!!!





5/22/2018

ENGANAÇÃO: Projeto que previa castração gratuita de cães e gatos em Goiás é vetado

Pois é, para quem não quer aceitar quando eu falo, veja a matéria e aprende ao invés de ficar bancando o bobo otário nas mãos de políticos:
---------------
Divulgada pelo Folha Z, proposta havia sido aprovada em duas votações na Assembleia Legislativa
Divulgado pelo Folha Z em maio de 2017, um projeto de lei que determinava a castração gratuita de cães e gatos em Goiás foi vetado integralmente pelo Governo do Estado.

Na justificativa, o governo relata que o projeto “cria obrigações a serem cumpridas pela administração pública, com geração de despesas”.

Segundo o documento, a conveniência do proposição foi reprovada pela Superintendência Executiva de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação. A Pasta “sugeriu o veto do autógrafo por não apontar, objetivamente, o órgão competente/responsável pela disponibilização de pessoal e equipamentos para efetuar a esterilização cirúrgica nos animais”.

Projeto
O autor do projeto foi o deputado Gustavo Sebba (PSDB), que o apresentou à Assembleia Legislativa de Goiás em maio de 2017. A proposta do parlamentar era incluir um novo inciso na Lei Estadual n° 17.767/12. Novo texto alterado, seria determinada a “disponibilização de veículo equipado com material e pessoal técnico habilitado para efetuar castrações cirúrgicas nos animais”.

Castração gratuita
O projeto foi bem aceito por leitores do Folha Z. Alguns já ficaram interessados em saber como castrar seus animais por meio do programa mesmo antes da sua implementação. Mas, apesar de aprovada em duas votações na Casa e com parecer positivo da Comissão de Constituição, Justiça e Redação e da Comissão de Saúde e Promoção Social, a matéria não foi sancionada pelo governador.

O veto foi realizado em novembro do ano passado, quando o governador ainda era Marconi Perillo (PSDB). Posteriormente, a Comissão de Constituição e Justiça da Alego, sob relatoria do deputado Lincoln Tejota, decidiu que o veto deveria ser mantido. O entendimento foi de que o projeto subvertia a competência do governador estabelecida pela Constituição Estadual.

Confira o texto integral do projeto da Assembleia e do veto do Governo do Estado.

FONTE: folhaz

5/20/2018

DEVOLUÇÃO ÀS RUAS: Projeto chega a mais uma etapa com soltura de animais em diversos pontos de Cajazeiras

JESUS AMADO, TEM QUE TER MUITA CORAGEM!!!!

SOU RADICALMENTE CONTRA ANIMAIS QUE SÃO RECOLHIDOS PARA CASTRAÇÃO E DEPOIS SEREM COLOCADOS DE NOVO NAS RUAS PRA SE "VIRAREM". 

ISTO RESOLVE O PROBLEMA DA SAÚDE PÚBLICA, MAS, OS ANIMAIS? TERÃO O QUE COMER, BEBER E SE ABRIGAR? ACHO ISTO UM ABSURDO IMPERDOÁVEL.... 

O CERTO É RECOLHER, TRATAR, CASTRAR E ENCAMINHAR PARA ADOÇÃO. JAMAIS DEVOLVE-LOS ÀS RUAS.... JAMAIS!!!!!!!!!!!!!!!! ESTOU REVOLTADA E PASSANDO MAL!!!!!!
----------------
Fernanda Lúcia explicou que os animais precisam ser soltos, porque o lugar deles é em seu ambiente de convivência.
O projeto Animais do Bem, uma parceria entre a Faculdade Santa Maria, Prefeitura Municipal de Cajazeiras e Secretaria de Saúde, através do Núcleo de Zoonoses, chega a mais uma etapa. Durante todo o dia de hoje, serão soltadas as fêmeas, que foram castradas, em diversos pontos da cidade, como Aeroporto, Jardim Oásis e centro.

Segundo Fernanda Lúcia, coordenadora de Pesquisa e Extensão da Faculdade Santa Maria, este é um momento muito importante, já que é a primeira soltura. “Nós hoje vamos soltar as fêmeas que foram castradas. Serão dez fêmeas”, informou, acrescentando que os machos vão ficar até o dia 26, já que precisam ficar até 30 dias, por ter sido uma castração química.

“E nós pretendemos, em parceria com a zoonoses e a Prefeitura Municipal de Cajazeiras, com esse projeto, de forma específica, trabalhar para um controle de natalidade dos animais de rua. A castração vai promover, a médio e longo prazo, um controle de natalidade dos animais de rua e uma melhor qualidade de vida a esses animais”, completou.

Fernanda Lúcia explicou que os animais precisam ser soltos, porque o lugar deles é em seu ambiente de convivência. “Eles hoje estão sendo tratados para poderem permanecer na rua e, dentro do possível, alguém poder adotá-los”, finalizou.

A ideia do projeto Animais do Bem é retirar todos os animais de rua de Cajazeiras, castrar, remifurgar, vacinar, coletar sangue para análise e tratar. Após os procedimentos, aquele que tiverem condições serão marcados e colocados de volta.


FONTE: diariodosertao

5/18/2018

GATOS NO PARQUE: Solução bem bolada - MG

Achei a coisa bem bolada. As ONGs de Belo Horizonte vão poder acompanhar e participar de todas as dificuldades de um projeto desta monta.
--------------------
Chamamento público para ONGs e clínicas ainda será publicado no Diário Oficial do Município - BH
Uma parceria entre as secretarias de Meio Ambiente e Saúde e a Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica vai traçar novos rumos para os gatos que vivem no Parque Municipal Américo Renné Giannetti. Os felinos serão retirados das dependências do parque depois de constatados desequilíbrios e transtornos para a vida silvestre local causados pelo abandono dos animais na área.

De acordo com a assessoria da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, o projeto ainda não tem uma data exata para ser finalizado. "Agora, [o projeto] está na fase em que será publicado no Diário Oficial um chamamento público para as ONG’s que serão coadjuvantes nesse processo junto com a prefeitura. A execução de todo o projeto deve durar um ano", afirmou a secretaria em nota ao SouBH.

A SMMA e a Zoonoses serão responsáveis pela retirada dos gatos do Parque, que será a primeira de três partes da execução, seguida de Educação Ambiental e área de punição pela Lei do Abandono. A ONG e a clínica convocadas pelo chamamento público serão responsáveis pela retirada dos gatos, castração, vermifugação, e encaminhamento para a adoção. O gato ficará 60 dias disponível para adoção e, não sendo adotado, ele volta ao Parque Municipal (devidamente castrado, vermifugado e microchipado para controle parasitológico).

"O objetivo é buscar um equilíbrio do ecossistema local e promover ações educacionais e de esclarecimento sobre as consequências de se abandonar animais domésticos no parque. Para isso, alguns bichos poderão passar por castração, vacinação, vermifugação e minimização de estresse. Já os usuários do local deverão ser conscientizados, do ponto de vista legal e ambiental, sobre guarda e posse responsável de animais." explicou a SMMA.

FONTE: soubh

5/11/2018

CASTRAÇÃO: Jacarepaguá terá projeto de castração gratuita de cães e gatos

Achei interessante porque ninguém tem ideia do que acontece quando cães e gatos são abandonados em áreas de conservação..... Toda fauna local é dizimada.... Ou seja, os animais das matas periféricas merecem todo direito de viverem, certo? Tomara que dê tudo certo!!!!! Estamos aqui torcendo pelo sucesso....
-----------
Jacarepaguá terá projeto de castração gratuita de cães e gatos a partir de segunda-feira
Projeto Ambiente Animal é uma iniciativa da Secretaria de Estado do Ambiente e Inea e pretende castrar cinco mil animais
A Secretaria de Estado do Ambiente e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) lançam, no próximo sábado (12/05), às 10h, o Projeto Ambiente Animal, que vai castrar cães e gatos gratuitamente na região de Jacarepaguá. 

Os beneficiários, por enquanto, serão os que vivem nas comunidades situadas dentro dos limites ou na Zona de Amortecimento do Parque Estadual da Pedra Branca, na Taquara, um dos bairros abrangidos pela unidade de conservação. A expectativa é castrar, até janeiro de 2020, cerca de cinco mil animais entre cães e gatos.

As cirurgias, que se iniciam na próxima segunda-feira (14/5), acontecerão na unidade móvel do projeto que ficará no pátio do Clube do Professorado (Estrada Pau da Fome 2.930, Taquara, onde também acontecerá seu lançamento). O serviço será feito a partir de agendamento pelo 9-6725-2527 (que é também Whatsapp).

Abandono de cães e gatos impactam as unidade de conservação ambiental 
Os limites ou a Zona de Amortecimento do Parque Estadual da Pedra Branca foram escolhidos para abrigar o projeto para minimizar os impactos causados por cães e gatos na fauna silvestre das unidades de conservação. Segundo o Inea, esses impactos estão associados a condutas inadequadas e até mesmo ilegais dos seus tutores.

Dentre elas, a principal é o abandono. De acordo com a secretaria, estes animais, quando abandonados em áreas naturais e seu entorno, podem causar danos significativos a esses ambientes ao se alimentarem da fauna nativa, competir por alimento, disseminar doenças e parasitas e destruir ambientes frágeis. 

Além da castração, o projeto também tem um caráter educativo, já que levará ainda aos moradores noções de educação ambiental e guarda responsável desses animais. O programa será executado e desenvolvido pelo Viva Rio Socioambiental, que firmou Termo de Cooperação Técnica com a Can & Fel, com recursos da Câmara de Compensação Ambiental. 

Acompanhe o projeto pelo Facebook Ambiente Animal RJ.

Fonte: Jornal O Dia

5/07/2018

DUVIDA: Imunocastração de suínos garante carcaça de alto nível para indústria

Juro que  fico desconfiada, mas, será que é menos cruel do que aquele lance de torcer os testículos dos filhotes e arrancá-los a sangue frio e a cores? Gente sem coração mesmo...
-------------
Técnica inovadora e alternativa à tradicional castração cirúrgica comum nas granjas de todo o Brasil, apresenta melhorias cientificamente comprovadas

A imunocastração, técnica inovadora e alternativa à tradicional castração cirúrgica comum nas granjas de todo o Brasil, apresenta melhorias cientificamente comprovadas na qualidade da carcaça suína, além da garantia de uma carne livre do chamado “cheiro de macho”, o odor sexual dos animais inteiros.

Esse tema foi discutido durante uma palestra ministrada pelo Dr. José Vicente Peloso, médico veterinário especialista em melhoramento genético animal e consultor da Zoetis, que aconteceu em Conceição do Castelo. O encontro correspondeu ao primeiro módulo do Programa Anual de Capacitação de Suinocultores - Qualificases, promovido pela Associação de Suinocultores do Espírito Santo (ASES), com o apoio da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS).

Durante o evento, o médico veterinário responsável pela operação da Vivax® no Centro-Oeste e Sudeste, Leandro Koga, chamou a atenção para a importância da eficiência na produção de carne suína diante de um mercado cada vez mais exigente.

“A palavra de ordem é eficiência. Isso significa menor custo de produção, mais competitividade, adoção de tecnologias inovadoras, ganhos mais expressivos e alinhamento às novas demandas dos consumidores, que mais do que nunca querem saber a trajetória do animal e o tratamento recebido por ele até chegar à mesa”, afirmou Leandro.

Entre os benefícios da nova técnica, de acordo com Dr. Peloso, estão a melhora no ganho de peso e na conversão alimentar, a redução do consumo de ração em torno de 6% a 10% e, principalmente, o ganho de quantidade de carne e diminuição expressiva de toucinho na carcaça do animal, características cada vez mais procuradas pelos frigoríficos.

“A carcaça do imunocastrado é um pouco mais leve, porém com mais carne, o que gera maior valor agregado nos mercados nacional e internacional. O mesmo se dá com o pernil, que apresenta menos toucinho e mais carne”, esclareceu Dr. Peloso.

Essa capacidade de fornecer uma barriga pesada, mas magra, isto é, maior rendimento de carcaça, e a eliminação do odor sexual causado pela androstenona (feromônio derivado da testosterona) e o escatol, fruto da degradação da dieta no intestino grosso do animal, são as principais vantagens do uso da imunocastração.

Protocolo de aplicação e nova legislação
A técnica exige duas aplicações, sendo a segunda há, no mínimo, 21 a 28 dias antes do abate. O processo é bem dinâmico: um aplicador bem treinado é capaz de vacinar em torno de 300 suínos por hora.

A vacina age no hipotálamo, glândula localizada no cérebro do animal, atuando na supressão da liberação do hormônio GnRH que desencadeia a atividade testicular, paralisando a produção de androstenona, a metabolização do escatol e o comportamento de macho inteiro.

Por se tratar de uma vacina, a imunocastração não deixa resíduos na carne, não é um hormônio e nem um medicamento, então a carência para o abate é zero.

A legislação recente não exige mais a mensuração do testículo e o chamado teste de cocção para confirmação da eficiência da vacina. No entanto, a granja e o frigorífico precisam apresentar documentos para comprovar a utilização correta da técnica. Munidos dos referidos papéis, incluindo a declaração de imunocastração, é preciso alinhar o abate com o serviço de inspeção.

Vantagens da imunocastração:

  • Rendimento: mais carne e menos toucinho, a preferência da indústria;
  • Menos mortalidade devido às infecções causadas pelo método tradicional de castração cirúrgica;
  • Menor consumo de ração: economia com transporte e logística de alimento para o animal;
  • Otimização da propriedade: animais ficam aptos ao abate mais cedo;
  • Atende a demanda por bem-estar animal;
  • Elimina com eficácia o “cheiro de macho” da carne;
  • Uniformização dos lotes em termos de peso por animal.
FONTE: suinoculturaindustrial

5/05/2018

CASTRAÇÃO: Subsecretária denuncia venda de vagas para castração - RJ

Quando criei o programa em 1995 e administrei até julho de 2001, tive dois casos de protetoras que se atreveram cobrar castração. Esculhambei elas e desliguei do meu grupo de protetoras que atendiam suas comunidades. Nunca mais nenhuma se atreveu porque, na época, disse que denunciaria na polícia. E o faria tranquilamente porque é um absurdo o que algumas "ditas protetoras" criaram para viver deste expediente. 
--------------
Subsecretária denuncia venda de vagas para castração de animais na rede pública
A subsecretária municipal de Bem-Estar Animal, Suzane Rizzo, irá nesta sexta-feira à Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente para denunciar a venda de vagas para castração, que seriam anunciadas por até R$ 300 em redes sociais. Segundo ela, pessoas estariam usando o serviço, que é publico e gratuito, para fins particulares.

Nas redes sociais, a reclamação em relação ao serviço parte de grupos de protetores. Segundo eles, a quantidade de cirurgias foi reduzida quase pela metade nas unidades municipais e, com isso, acaba crescendo o número de crias e, consequentemente, o de animais abandonados. Além disso, sem o devido controle de natalidade, aumentam os casos de zoonoses. A prefeitura, no entanto, alega que está fazendo uma vistoria rigorosa nos agendamentos, que agora são realizados pela internet.

Presidente da Associação Nacional de Implementação de Direitos dos Animais, Andréa Lambert diz que há um ano eram feitas 28 castrações de cães e gatos por dia, em cada um dos nove postos da prefeitura, dentro do Programa Bicho Rio. Atualmente, segundo ela, são agendadas apenas 15 cirurgias por dia: - Nossa preocupação é que acabem com o serviço - diz a protetora, que lamenta pelo sofrimento dos animais. - As pessoas não têm como controlar o cio e os bichos acabam cruzando. Eu sou veterinária, posso castrar. Mas a maioria dos protetores depende do serviço nos postos.

De acordo com Andréa, ao mesmo tempo em que houve a redução na oferta de vagas, aumentou o número de pessoas interessadas nesse tipo de atendimento público, devido à crise financeira. - Muitas pessoas estão deixando de resgatar animais porque não vão ter como castrar - diz a veterinária, acrescentando que o abrigo municipal, em Guaratiba, está lotado e sofre com a falta de medicamentos. - É o caos. Há animais com filária, um verme que ataca o coração, mas não há remédios para o tratamento.

Suzane Rizzo, que é veterinária, diz que nunca ficou provada a realização de 28 castrações por dia nos postos. Segundo ela, não havia controle desse tipo de serviço e, ao assumir a subsecretaria, foi estabelecida a quantidade de 15 castrações diárias. Além dos atendimento nos postos, ela conta que a prefeitura tem feito mutirões em comunidades, onde fazem contato com associações de moradores. Os interessados são cadastrados, e uma van recolhe os animais, que depois são devolvidos aos donos: - Esse é um serviço que tem dado muito certo, até porque nas comunidades as pessoas não tinham acesso ao serviço. Em Vila Kennedy, por exemplo, fez muito sucesso.

Apesar de protetoras consultadas pelo GLOBO alegarem que não conseguem agendar as castrações, Suzane diz que a prefeitura reserva 20 atendimentos para cada uma delas, por mês. E todo cidadão pode marcar até duas cirurgias de animais por mês (o controle é feito pelo CPF), no site http://saa.rio.rj.gov.br/pessoapublico/index.

- Protetores que não conseguem marcar é porque não fizeram o recadastramento - diz a subsecretária, que quer identificar quem tenta burlar as regras dos postos. - A secretaria não tem poder de polícia, por isso estou indo à delegacia.

Segundo Suzane, é fato que o serviço atualmente não consegue atender à demanda, até porque muitas pessoas perderam os empregos e não podem agendar o serviço na rede particular. Ela diz que precisa de mais verba para ampliar o atendimento e que, para isso, tem buscado parcerias público-privadas com universidades e instituições.

PROTESTO EM DEFESA DE NÚCLEO DE PROTEÇÃO ANIMAL
Na segunda-feira, dia 7, protetores farão uma manifestação às 17h, em frente ao prédio da Polícia Civil, na Rua da Relação, no Centro, para pedir a volta de inspetores especializados para atendimento no Núcleo de Proteção Animal. A unidade funcionava informalmente na Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente. Segundo Andréa Lamber, o serviço era comandando por dois veterinários, que foram retirados da função. - Queremos a volta dos inspetores e a criação oficial do núcleo. O projeto já está na Alerj, aguardando a tramitação - diz Andréa.

Fonte: EXTRA


PROJETO: Comissão aprova veterinário gratuito para animais de pessoas carentes

Isto tudo vai demorar anos para funcionar porque deputados não gosam de trabalhar quando não há grana no pedaço (vide caso das vaquejadas que aprovaram tudo em dois meses). São uns canalhas.... 
--------------
O Ministério da Saúde, em parceria com as prefeituras e os estados brasileiros, pode ser obrigado a disponibilizar atendimento veterinário gratuito aos animais de pessoas carentes, com renda familiar inferior a três salários mínimos.

A Comissão de Seguridade Social aprovou o projeto de lei (PL 3765/12) que diz que caberá ao poder público municipal providenciar não só as consultas veterinárias, mas também a realização de cirurgias em geral.

A empresária e protetora de animais Leda Frota acredita que abandonos acontecem porque muitas pessoas não conseguem custear o atendimento veterinário e a aprovação desse projeto poderia mudar esse quadro. “O mais caro para a pessoa que tem um animal de estimação e para quem também ajuda animais de rua é o veterinário, porque às vezes o caso nem é grave. Aí você leva, o veterinário diz: ‘é só essa medicação e o resto de remédio você dá em casa’. A gente pode comprar o remédio, pode comprar a ração, mas a consulta, o atendimento, eles cobram muito caro. Então, facilitaria muito e isso, sim, não geraria o abandono.”

O deputado autor do projeto, Ricardo Izar, do PSD paulista, critica o fato de, segundo ele, o Brasil não investir em políticas públicas para tratar dos direitos dos animais domésticos. Ele também explica como o projeto vai ser viabilizado. “Na verdade, quem faz o grande papel que o Estado deveria fazer são as ONGs de proteção animal, são as protetoras, os ativistas que trabalham na causa animal e que fazem um papel que deveria ser de responsabilidade do Estado. O projeto contempla que podem ser firmados convênios com ONGs, universidades, com clínicas veterinárias particulares. Isso vai ficar a critério dos municípios, dos estados e da federação. Quem vai regulamentar isso vai ser o Ministério da Saúde.”

Paula Galera é professora em um hospital veterinário de Brasília e, para ela, mais do que oferecer atendimento, o governo deve fazer campanhas de conscientização com a população no que se refere à prevenção de doenças que coloquem em risco a saúde humana e o controle de natalidade dos animais. “Dependendo da maneira como esse programa for feito e administrado, eu acredito sim que isso venha trazer um grande beneficio à população carente. E que seja dado foco, primordial, na educação dessa população, principalmente no que se refere à prevenção das doenças transmitidas entre os animais e dos animais para o ser humano, que são as zoonoses, e também no controle de natalidade desses animais.”

O projeto de lei ainda deve ser analisado pelas comissões de Meio Ambiente, de Finanças e Tributação e de Constituição e Justiça.

FONTE: tudosobrecachorros

3/11/2018

CCZ está em obras para iniciar castração de cães e gatos gratuita

Estou torcendo para não ser mais um daqueles que a política prevalece.... Tem vários começados aí pelo Brasil afora....
-----------
O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Rondonópolis vai iniciar um trabalho fundamental para a redução de animais de rua e abandonados na cidade, além do fortalecimento da posse responsável. Uma ala de castração com dois centros cirúrgicos já está em fase final de construção para que cães e gatos possam passar pelo procedimento da castração gratuitamente.

Como as castrações devem ter início em poucos meses, o CCZ já vem fazendo o cadastro para as pessoas que têm cães e gatos para serem castrados. Os interessados precisam comparecer ao CCZ com o animal que deve ser castrado para que este seja examinado e fazer a ficha, entrando para a fila de espera.

O gerente da Vigilância Ambiental, o médico veterinário, Kleysller Willon Silva, destaca que primeiramente serão castrados os cães e gatos que estão nas Organizações Não-governamentais (ONGs) de proteção animal, porque estas não têm condições financeiras de realizar as castrações de todos os animais que cuidam.

Na sequência serão chamadas as pessoas que já se cadastraram. O gerente alerta que o cadastro somente pode ser feito pessoalmente no CCZ, pois uma pessoa maior de idade precisa levar o animal que será castrado para anamnese e que não existe possibilidade de cadastro por telefone.

Ele explica ainda que para ser cadastrado o animal precisa estar em perfeitas condições de saúde, o que será avaliado pela equipe do CCZ, que emitirá um atestado laboratorial sobre a saúde do cão ou gato.

FONTE: agoramt

1/19/2018

Torturador de cães é preso após vídeo com maus-tratos viralizar

Ou seja, ser cruel pelo prazer de ser cruel..... bando de covardes.... Neste tipo de gente não há justiça que dê jeito.... 
--------------
Um lavrador de 40 anos foi preso suspeito de torturar dois cachorros em Inhapim, no Vale do Rio Doce, em Minas Gerais. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito, na companhia de amigos, realizou a castração dos animais sem utilizar medicação e anestesia.

Além de realizar o procedimento de forma inadequada, os cachorros eram agredidos e arrastados no chão tendo a cabeça tampada por um saco plástico. O suspeito foi localizado e preso por meio de um vídeo que circulou nas redes sociais. Nas imagens, sete homens aparecem reunidos. Alguns deles seguram um cachorro, enquanto o suspeito usa um canivete para castrar o animal de forma inadequada, deixando-o mutilado.

Uma testemunha contou ao Ministério Público (MP) que esta não era a primeira vez que o grupo torturava animais na região. Em 2016 o mesmo ato foi praticado por eles. Por conta disso, uma ação conjunta entre Polícia Civil, Polícia Militar e o MP decidiu que os suspeitos deveriam ser presos em flagrante, pois eles faziam parte de uma associação criminosa.

No Córrego do Valão, local onde o suspeito foi preso, a PM encontrou dois cães que tinham sofrido tortura. Os animais apresentavam feridas pelo corpo e ficavam com medo quando alguém se aproximava deles.

O homem confessou que cometeu o crime e disse que não aguentava mais os animais. Isso porque os cães estavam os incomodando durante uma confraternização. A ideia, segundo o homem, veio de outra pessoa que estava presente, mas quem praticou a ação foi ele. Os animais foram examinados por uma médica veterinária e entregues aos proprietários e seguem sendo medicados.

O lavrador foi levado para a Delegacia de Plantão em Caratinga, onde foi preso em flagrante pelos crimes de associação criminosa, maus-tratos a animais e incitação criminosa, e será encaminhado ao Sistema Prisional. À Polícia Civil, ele disse que só teria castrado um animal e que estava alcoolizado. As investigações seguem com o intuito de colher depoimentos de testemunhas e localizar outras seis pessoas que estariam envolvidas.


Fonte: BHAZ

1/18/2018

Prefeitura de Marília suspende programa de castração de animais

É complicado das pessoas aceitarem.... eu já expliquei diversas vezes a informação.... O poder judiciário e o poder legislativo não podem mandar no poder executivo... me assusta decisões judiciais como estas.... Todo mundo está usando a constituição para limpar o fiofó, pelo jeito!!!!!
--------------
Programa que previa o procedimento subsidiado a famílias de baixa renda estava previsto em decisão do Tribunal de Justiça. Prefeitura alega 'motivos administrativos' e promete retorno em fevereiro.

A prefeitura de Marília (SP) deixou de fazer castrações de graça em animais de famílias de baixa renda, contrariando decisão do Tribunal de Justiça (TJ-SP) que determinou que o setor de zoonoses oferecesse o serviço e criasse um programa de controle de animais de rua.

Por isso, ativistas promoveram uma manifestação na tarde desta segunda-feira (15) em frente ao prédio da prefeitura pedindo mais investimento em políticas públicas para os animais e o também cumprimento da decisão judicial.

A sentença da Justiça estipulou multa R$ 1 mil por dia para a prefeitura em caso de descumprimento da decisão que determinava a recolha de animais abandonados e a implantação de um programa gratuito de castração de cães e gatos para famílias de baixa renda. O prazo venceu em novembro.

“Cada vez mais a gente vê esse descaso com os animais e com o Poder Judiciário, porque há uma decisão de um juiz local, mas também existe uma decisão do Tribunal de Justiça que está sendo descumprida”, afirma a defensora pública Eloisa Maximiano.

Até dezembro de 2017, a prefeitura oferecia uma única opção de castração de animais para famílias de baixa renda. O município custeava parte do serviço e as famílias pagavam a outra metade – cerca de R$ 60 reais, mais os medicamentos. Os médicos veterinários conveniados para realizar as castrações dentro do programa foram informados por e-mail da interrupção do programa.

Levantamento feito por uma ONG de defesa animal estima que mais de 5 mil animais estejam abandonados em Marília. Por isso, a Justiça cobra rapidez nos serviços que deveriam ser implantados na cidade pela prefeitura.

No ano passado, Marília registrou 12 casos de leishmaniose em humanos, a maioria deles na zona norte da cidade. Ativistas defendem que a castração é a única forma de frear o aumento da população de animais de rua e, assim, combater várias doenças.

“Em primeiro lugar é um caso de saúde pública, mas parece que a prefeitura prefere pagar uma multa do que fazer a castração, não dá pra entender”, protesta Maria Helena, presidente da ONG Anima.
Em nota, a Secretaria da Saúde de Marília informou que as castrações foram interrompidas para reorganização administrativa de rotina e que voltarão a ser realizadas em fevereiro.

A nota diz também que vai abrir licitação para contratar uma empresa para recolher e tratar dos animais de rua, mas não informou quando isso será feito.

Fonte: G1 - TVTEM

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪