RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador ameaça. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ameaça. Mostrar todas as postagens

7/15/2018

Esposa de barão do agronegócio ameaça ativista dos direitos dos animais Luisa Mell

Gente, olha que absurdo!!!!! mas, é assim que funciona a cabeça destes abutres da causa animal.....
-----------
Ativista dos direitos dos animais, a apresentadora Luisa Mell tem recebido várias ameaças após intensificar sua militância contra o transporte de bois vivos enviados em navios a partir do Brasil para serem abatidos em outros países.

3/08/2018

Jovem é ameaçado após pedir para casal recolher fezes de cães em parque de Sorocaba

Agora, o dito "ameaçador" é "atirador esportivo"..... Que diabos seria isto? daqueles que atiram em clubes de tiro ao alvo? não deve ser lá boa coisa......
-----------
Homem falou que era da polícia para tentar intimidar Saulo Martins de Melo, de 27 anos, morador de Sorocaba (SP). Situação foi registrada e vídeo viralizou nas redes sociais.

Era para ter sido só mais um passeio no parque com seu cão, mas virou motivo de frustração para o assessor jurídico Saulo Martins de Melo, de 27 anos, de Sorocaba (SP). Enquanto ele passeava no Parque das Águas com seu bichinho de estimação foi ameaçado por um casal ao pedir que eles recolhessem do chão as fezes de seus animais.

A cena foi registrada pelo assessor jurídico através de um vídeo feito no celular e, depois, compartilhada na página oficial de Saulo em uma rede social. Em questão de poucos dias, o post teve mais de 70 mil visualizações e recebeu mais de 1,5 mil comentários. (Veja vídeo abaixo)


Nas imagens é possível ver o momento em que o jovem se aproxima do casal e pergunta se eles vão recolher o cocô do cachorro. Diante da negativa da mulher, Saulo insiste: "Se a senhora falar não, eu não vou encher o saco. Mas é complicado porque é por conta de gente assim que a gente tem um monte de restrição. É uma grande falta de educação com o pessoal do parque".

Depois, o homem se aproxima do assessor e em tom intimidador pergunta: "Quem é você, cara. Vai embora. Eu sou polícia, rapaz". Se afastando em seguida com a sua esposa e os dois cachorros sem recolher as fezes do chão.

Em entrevista ao G1, Saulo Martins de Melo disse que não esperava que fosse ser intimidado pelo casal ao fazer apenas uma pergunta e, por isso, resolveu compartilhar o vídeo nas redes sociais. "Foi uma surpresa para mim e reputei que o melhor combate ao assediador seria justamente a exposição. O assédio, em todas as suas formas, ocorre de forma velada e se nutre da omissão e do silêncio de quem o sofre".

Para Saulo, o vídeo acabou tendo grande repercussão justamente porque muitas pessoas já passaram por situações semelhantes. "Todos já passaram por situações iguais a está, mas ficaram quietos e ai quanto veem um vídeo desses, acabam tendo alguma empatia em razão de experiência passada".

Mesmo diante da repercussão do vídeo, o assessor garante que não foi procurado pelo casal, mas que recebeu a informação de que o homem não é, de fato, policial, mas, sim, um motorista e a mulher agente penitenciária.

De acordo com o Art.14 da Lei Ordinária Municipal 8.357, de 27 de dezembro de 2017, o condutor de um animal fica obrigado a recolher os dejetos fecais eliminados pelo mesmo em vias e logradouros públicos.

FONTE: G1 e Facebook de Saulo Martins de Melo

12/26/2017

Cinco gráficos que explicam como a poluição por plástico ameaça a vida na Terra

Minha mãe do céu!!!! que coisa louca!!!! as pessoas não estão vendo nada disto? continuam todos parindo seres desprovidos de neurônios como atualmente? Vou para Pasárgada ou Maracangalha, eu vou... talvez, Plutão.... tá difícil encarar isto e ser impotente...
------------
Corremos o risco de danos irreparáveis a ecossistema marinho em decorrência de milhões de toneladas de resíduos de plástico que vão parar no mar todos os anos.

A vida marinha corre o risco de sofrer danos irreparáveis em decorrência de milhões de toneladas de resíduos de plástico que vão parar no mar todos os anos. "É uma crise planetária. Estamos acabando com o ecossistema oceânico", afirmou à BBC Lisa Svensson, diretora de oceanos do programa da ONU para o Meio Ambiente.

Diante do alerta, a BBC preparou cinco gráficos para explicar como o plástico se transformou em uma ameaça ao meio ambiente e mostrar a dimensão do estrago que ele pode causar ao ser descartado no oceano.

Por que o plástico é problemático?
O plástico da forma que conhecemos existe há cerca de 70 anos. E, desde então, o uso desse material tem transformado muitas áreas - da confecção de roupas à culinária, passando pela engenharia, design e até o comércio varejista.


Uma das grandes vantagens de muitos tipos de plástico é o fato de que são projetados para durar mais - por muitos e muitos anos.

Praticamente todo plástico já produzido continua existindo, mesmo que não esteja em seu formato original.

Em artigo publicado na revista acadêmica Science Advances, em julho, o pesquisador Roland Geyer, da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara, estima em 8,3 bilhões de toneladas a quantidade de plástico já produzida no mundo.

Desse total, cerca de 6,3 bilhões de toneladas são classificadas como resíduos - e 79% estariam em aterros ou na natureza. Ou seja, pouco material é reciclado ou reaproveitado.

A grande quantidade de resíduos de plástico é resultado do estilo de vida moderno, em que o plástico é usado como matéria-prima para diversos itens descartáveis ou "de uso único", como garrafas de bebida, fraldas, cotonetes e talheres.


4 bilhões de garrafas de plástico
Garrafas de bebida são um dos tipos mais comuns de resíduos de plástico.

Estima-se que 480 bilhões de garrafas tenham sido vendidas em todo o mundo até 2016 - o que representa 1 milhão de garrafas por minuto.

Somente a Coca-Cola foi responsável por produzir 110 bilhões de garrafas de plástico.


Alguns países têm discutido maneiras de diminuir o consumo do material. O Reino Unido, por exemplo, debate oferecer água potável de graça nas grandes cidades e criar unidades para devolução de plástico.

Que quantidade de plástico vai para o mar?
Calcula-se que 10 milhões de toneladas de plástico vão parar no mar todos os anos.

Em 2010, pesquisadores do Centro de Análises Ecológicas da Universidade da Georgia, nos Estados Unidos, contabilizaram 8 milhões de toneladas - e estimaram 9,1 milhões de toneladas para 2015.

O mesmo estudo, publicado na revista acadêmica Science em 2015, analisou 192 países com território à beira-mar que estão contribuindo para o lançamento de resíduos de plástico nos oceanos. E descobriu que 13 dos 20 principais responsáveis pela poluição marinha são nações asiáticas.

Enquanto a China está no topo da lista, os Estados Unidos aparecem na 20ª posição.

O Brasil ocupa, por sua vez, o 16º lugar do ranking, que leva em conta o tamanho da população vivendo em áreas costeiras, o total de resíduos gerados e o total de plástico jogado fora.

O lixo plástico costuma acumular em áreas do oceano onde os ventos provocam correntes circulares giratórias, capazes de sugar qualquer detrito flutuante. Há cinco correntes desse tipo no mundo, mas uma das mais famosas é a do Pacífico Norte.


Os detritos da costa dos Estados Unidos levam, em média, seis anos para atingir o centro dessa corrente. Já os do Japão podem demorar até um ano.

As cinco correntes apresentam normalmente uma concentração maior de resíduos de plástico do que outras partes do oceano. Elas promovem ainda um fenômeno conhecido como "sopa de plástico", que faz com que pequenos fragmentos do material fiquem suspensos abaixo da superfície da água.

Além disso, a decomposição da maioria dos resíduos de plástico pode levar centenas de anos.

Existem, no entanto, iniciativas para limpar a corrente do Pacífico Norte. Uma operação liderada pela organização não-governamental Ocean Cleanup está prevista para começar em 2018.

Por que é prejudicial à vida marinha?
Para aves marinhas e animais de maior porte - como tartarugas, golfinhos e focas -, o perigo pode estar nas sacolas de plástico, nas quais acabam ficando presos. Esses animais também costumam confundir o plástico com comida.

Tartarugas não conseguem diferenciar, por exemplo, uma sacola de uma água-viva. Uma vez ingeridas, as sacolas de plástico podem causar obstrução interna e levar o animal à morte.

Pedaços maiores de plástico também causam danos ao sistema digestivo de aves e baleias - e são potencialmente fatais.

Com o tempo, os resíduos de plástico são degradados, dividindo-se em pequenos fragmentos. O processo, que é lento, também preocupa os cientistas.

Uma pesquisa da Universidade de Plymouth, na Inglaterra, mostrou que resíduos de plástico foram encontrados em um terço dos peixes capturados no Reino Unido, entre eles o bacalhau.

Além de resultar em desnutrição e fome para os peixes, os pesquisadores dizem que, ao consumir frutos do mar, os seres humanos podem estar se alimentando, por tabela, de fragmentos de plástico. E os efeitos disso ainda são desconhecidos.

Em 2016, a Autoridade Europeia de Segurança Alimentar alertou para o crescente risco à saúde humana, dada a possibilidade de micropartículas de plástico estarem presentes nos tecidos dos peixes comercializados.

FONTE: G1

11/15/2017

Ameaças ao planeta são muito piores do que há 25 anos, diz carta

O que me impressiona é que todos sentem isto e parecem anestesiados.... como aquele lance do "relaxa porque é inevitável".... O que podemos ainda fazer, meu Deus!!!!! Tenho netos e queria que eles tivessem a chance de viver bem....
-------- 
Documento faz balanço da situação atual da Terra e a evolução dos projetos para sua preservação desde 1992.

Vinte e cinco anos depois que cientistas do mundo todo lançaram um "alerta para a humanidade" sobre os perigos para o meio ambiente, uma nova atualização divulgada nesta segunda-feira (13) diz que a maioria das ameaças ao planeta está ficando "muito pior".

A carta foi assinada por 15.364 cientistas de 184 países, denominada "Alerta dos cientistas do mundo para a humanidade: um segundo aviso" e publicada pela revista científica "BioScience". A versão inicial, lançada em 1992 pela Union of Concerned Scientists, foi assinada por 1,7 mil especialistas.

Desde então, quase todas as principais ameaças ao meio ambiente se tornaram mais graves, em particular a crescente população mundial, que adicionou dois bilhões de pessoas ao planeta desde 1992, um aumento de 35%, de acordo com a atualização.


Outras grandes ameaças são o aquecimento global e as constantes emissões de carbono geradas pelo uso de combustíveis fósseis, bem como as práticas agrícolas não sustentáveis, o desmatamento, a falta de água doce, a perda de vida marinha e as crescentes zonas mortas dos oceanos.

Os animais estão sofrendo como resultado das atividades humanas e estão desaparecendo a um ritmo sem precedentes.

"Desencadeamos um evento de extinção em massa, o sexto em cerca de 540 milhões de anos, em que muitas formas de vida atuais podem ser aniquiladas ou, ao menos, estar fadadas à extinção até o final deste século", afirmou.

A carta destaca 13 passos que devem ser tomados, incluindo ampliar o acesso aos métodos contraceptivos, "estimar um tamanho de população humana sustentável e respaldado cientificamente a longo prazo" e mobilizar "nações e líderes para apoiar esse objetivo fundamental".

Outras medidas incluem promover dietas à base de plantas e energias renováveis, e ao mesmo tempo eliminar os subsídios para combustíveis fósseis.

A desigualdade de renda deve ser corrigida e "os preços, a tributação e os sistemas de incentivo (devem) levar em conta os custos reais que os padrões de consumo impõem ao nosso meio ambiente".


Na natureza, as reservas protegidas devem ser estabelecidas "em uma proporção significativa do planeta", e o tráfico de animais silvestres e a caça furtiva ilegal devem parar.

"Para evitar a miséria generalizada e a perda catastrófica de biodiversidade, a humanidade deve praticar uma alternativa mais sustentável aos negócios", afirmou a carta.

"Esta receita foi bem articulada pelos principais cientistas do mundo há 25 anos, mas, na maioria dos aspectos, não atendemos seu aviso".

"Em breve, será tarde demais para mudar o curso da nossa trajetória fracassada, e o tempo está acabando".

FONTE: G1

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪