RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador alimentação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador alimentação. Mostrar todas as postagens

1/20/2019

Vegetarianos salvam as vidas de até 582 animais por ano

Os mais ameaçados são os animais marinhos, vítimas das redes de pesca que capturam acidentalmente diversos seres que não são utilizados para o consumo, como os golfinhos

De acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE), o número de vegetarianos no Brasil quase dobrou de 15,2 milhões para 29,2 milhões, entre os anos de 2012 e 2018, chegando a corresponder a 14% de população. Dentre as causas do corte de

12/26/2018

Dois motoristas de ônibus dão exemplo de empatia com os animais

Estamos publicando a história de dois motoristas que se importam com o sofrimento dos animais. Quisera o mundo fosse assim.... se bem que se todos fossem assim, estes animais jamais estariam em sofrimento...... Humano, se conserte!!!!!!!!!!!
------------
Os animais de ruas sofrem muito como todos nós sabemos. Para além de não terem uma família que os ame e acarinhe, eles estão sujeitos às mudanças de clima.

11/17/2018

Dono de sítio é multado em R$ 282 Mil por maus-tratos em Marapoama - SP

Neguinho nem lembra que animais do campo ou de sítios são maltratados também.... A piada é a multa que nunca será paga.... Olha o caso:
------------
O dono de um sítio foi multado em R$ 282 mil pelo crime de maus-tratos em Marapoama. O caso foi registrado recentemente na propriedade que fica no bairro Aroeira. 88 animais domésticos foram encontrados sem água e alimentos.

Conforme informações do 1º Tenente

10/07/2018

Denúncia aponta canibalismo entre jacarés por falta de comida e criadouro é interditado no Pantanal de MT

Esta gente desgraçada recebe licença para explorar os animais e o governo não fiscaliza. Olha no que dá..... bichos morrendo de fome e os que sobrevivem devem ir para o abate.... Gente podre!!!!!
-----------------
Cerca de 30 mil animais estavam no criadouro, que fica em Poconé (MT) e tinha licença para funcionar. O proprietário do local deve responder a um ato infracional pelas irregularidades.

7/27/2018

Flagrados animais alimentados com produtos que aumentam risco de ocorrência da vaca louca

Este tipo de matéria a gente tem que guardar para esfregar na cara de certos fiscais que acham que está tudo normal. Com certeza isto deveria ser procedimento normal do criador e até agora estava mantendo sob os "auspícios" dos veterinários fiscais....Tô errada?
-------------------
A encefalopatia espongiforme bovina, popularmente conhecida como mal da

6/18/2018

PERIGO: Cerca de 20 gatos são mortos a pauladas em ponto de abandono em Fortaleza

Vejam porque sou contra alimentar e colocar casinhas para animais nas ruas. O tal "serumano" é podre e não dá para confiar...... Espero que as pessoas comprovem meus dados sobre tal assunto.... O ideal é recolher, tratar e fazer adoção. 
----------------
Protetores independentes encontraram os bichos ensaguentados e agonizando por volta de 6h30 desta sexta (15).

Cerca de 20 gatos foram mortos a pauladas no polo de lazer Gustavo Braga, na Avenida João Pessoa, em Fortaleza. O local é ponto de abandono de animais. Os gatos foram encontrados com sinais de violência por protetores independentes na manhã desta sexta-feira (15).

De acordo com Floriana Oliveira, protetora de animais que atua na área, uma equipe esteve no local por volta de 6h30 e se deparou com animais ensanguentados; dois deles estavam agonizando e foram levados ao veterinário. Os protetores aguardam laudo para comprovar os maus-tratos.

"A violência naquele local é uma constante. Desde 2014 a gente vem lutando pra conseguir câmeras de segurança. Já houve envenenamento e de 2014 pra cá perdemos mais de 400 animais envenenados... são violências diversas. A gente sempre se depara com animais jogados num canal que tem lá, não tem fiscalização", denuncia.

Ela afirma que a população do entorno é intolerante à permanência dos bichos. "Reina a lei do silêncio. A gente suspeita que moradores do entorno pagam alguém pra praticar a violência, porque lá 'ninguém sabe, ninguém viu'", comenta.

Segundo a protetora, são feitos boletins de ocorrência sempre que constatados casos de violência contra animais no local, porém, por falta de câmeras de segurança, o trabalho da polícia é dificultado. "A polícia acaba não tendo o que fazer, porque não tem pistas", completa.

Intolerância
Presidente da ONG de proteção animal Deixa Viver, Gabriela Moreira frisa que a comunidade, como a maioria da cidade, não aceita os animais serem alimentados e cuidados. "Isso acontece em todos os pontos de abandono que a gente cuida."

Com apoio da ONG, os protetores independentes denunciaram a situação para a Coordenadoria Especial de Proteção Animal de Fortaleza (Coepa), pedindo ajuda para outros órgãos competentes que possam intervir na área. "Estamos aguardando algum tipo de ação do poder público. Eles são constantemente agredidos e mortos, lá também é ponto de droga e piora ainda mais a situação", destaca Floriana.

Conforme o Código Penal, a pena para quem "praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos" é detenção de três meses a um ano e multa. A pena é aumentada de um sexto a um terço se ocorre morte do animal.

FONTE: G1

ALIMENTAÇÃO SADIA: Por que proteína vegetal é melhor para você do que a proteína animal

Ai que queria tanto que as pessoas se informassem sobre isto.....
--------------
Diversos estudos têm concluído que comer carne como fonte de proteína não é a coisa mais esperta que podemos fazer.

Aparentemente, é melhor investir nas plantas. E existem boas razões para explicar por que as fontes de proteína de origem vegetal, como o feijão, são uma alternativa mais saudável ao bacon. Vamos nos debruçar sobre algumas?

Figura geral
A carne animal é conhecida por seus muitos nutrientes. Se você come uma variedade de carnes (claras e escuras, não apenas carne bovina, assim como vários órgãos), pode ingerir todos os aminoácidos necessários para fabricar suas próprias proteínas corporais, além de vitaminas como B12, niacina, tiamina, B5, B6, B7 e vitaminas A e K.

No entanto, se você trocar toda essa proteína animal por uma dieta igualmente diversificada de proteínas vegetais, como nozes, sementes e feijões, dá basicamente na mesma. Esses alimentos também são repletos de um espectro semelhante de nutrientes. A maior diferença é a vitamina B12, que a maioria das plantas não consegue produzir. Você pode obter B12 de algas comestíveis e cereais fortificados, embora a maneira mais fácil seja através de suplementação ou da ingestão de produtos de origem animal.

No geral, contudo, as proteínas à base de plantas são muito mais saudáveis do que suas contrapartes animais. Além de oferecerem os mesmos perfis de vitaminas, contêm mais nutrientes em menos calorias e têm uma coisa que as proteínas animais não têm: fibra.

Fibra
O nutricionista Andrea Giancoli, da Califórnia (EUA), explica que a fibra ajuda na digestão, promove um microbioma intestinal saudável e está fortemente associada a menor risco de doença cardiovascular. Ponto para os vegetais.

Gordura
Outra razão pela qual proteínas animais não são tão boas para a saúde é porque geralmente são acompanhadas de gordura. A gordura é parte da razão pela qual bifes e hambúrgueres são deliciosos. Só que ela também tende a entupir seu coração. “[Com proteínas vegetais] você obtém menos gordura saturada e controla o colesterol”, defende Giancoli.

As gorduras saturadas contribuem para doenças cardiovasculares porque elevam os níveis de colesterol ruim. Já alimentos como nozes, abacates e peixes têm muito menos gorduras saturadas do que carnes vermelhas, por exemplo. Como tal, são alimentos apelidados de “gorduras saudáveis”.

Câncer
Você provavelmente já ouviu falar do relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) que concluiu que carnes vermelhas processadas, como bacon e linguiça, são carcinogênicas. O câncer colorretal, em particular, tem sido associado à ingestão de carne vermelha, bem como câncer de pâncreas e de próstata.

Até mesmo a carne grelhada pode ter alguns compostos carcinogênicos.

Tudo bem que, no que diz respeito ao risco de câncer, a carne não é o nosso pior inimigo. Estimativas recentes da OMS creem que o número de casos anuais de câncer causados por ingestão de carne vermelha seja de 50.000, comparado a 200.000 por poluição do ar, 600.000 por álcool e um milhão por tabaco. Mas o número não é exatamente insignificante, certo?

Vegetarianos vivem mais
Meta-análises que compararam a saúde de pessoas que comem proteínas animais versus proteínas vegetais constataram que, mesmo após o ajuste para outros fatores, como classe socioeconômica, peso e hábitos de exercício físico, aqueles que comem plantas tendem a viver mais e ser mais saudáveis.

Por exemplo, essas pessoas tendem a ter menos doenças cardiovasculares e menos casos de câncer. Há quase certamente alguns pequenos fatores que contribuem para a associação: pessoas que comem proteínas vegetais parecem consultar seu médico com mais regularidade e, assim, obter melhores cuidados preventivos. Talvez também tendam a viver em lugares menos poluídos.

Mas como ainda existem correlações entre o consumo de proteínas vegetais e a saúde geral mesmo após esses ajustes de controle, as análises concluíram que fatores de estilo de vida, por si só, não são responsáveis pela correlação.

A mensagem que fica, então, é: a substituição da proteína vegetal por proteína animal, especialmente no que diz respeito a carne vermelha processada, pode conferir um benefício substancial à saúde. Não precisa desistir de vez do hambúrguer, mas moderar o seu consumo é sem dúvida uma boa ideia.

FONTE: hypescience

5/26/2018

GREVE DE CAMINHÕES: Consequências trágicas para os animais

Minha Santa do Céu!!!!!falei com dois jornalistas que estão acompanhando in loco a greve aqui no Rio.... Eles me disseram que os caminhões com animais passaram todos, mas, de comida, não...... Nossa, o que vai acontecer os animais? Olhem a quantidade de matérias a respeito que publico abaixo:
-------------
Animais em caminhões estão sem comer há mais de 50 horas
Caminhões carregados com cargas vivas estão parados nos bloqueios dos caminhoneiros em todas as regiões do país e submetendo os animais à fome.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) informou ter recebido relatos de produtores com  caminhões transportando animais parados em bloqueios em todo o país.  Há casos de animais com mais de 50 horas sem comer.

“Também está travada em vários pontos a circulação de caminhões de ração, que levariam alimentos para os criatórios espalhados por pequenas propriedades dos polos de produção. A situação nas granjas produtoras é gravíssima, com falta de insumos e risco iminente de fome para os animais”, informou a associação.

“A ABPA, portanto, apela ao movimento dos caminhoneiros pelo cumprimento da promessa com a liberação do transporte de animais e rações em todos bloqueios, além da retirada mínima de produtos nas fábricas para a retomada da produção. Os protestos são justos, mas é preciso bom senso e evitar a perpetuação desta situação aos animais”, apelou.

FONTE: noticias.yahoo
==========

PROTETORA EM DIFICULDADE: Aposentada deixa de comer para alimentar animais

Quem puder ajudar, não deixe de fazê-lo.... A gente sabe como funcionam estas questões.
-------------
Interessados em ajudar com doações, podem entrar em contato pelos telefones (12) 9 9223 7205 (Duchie), após às 22h, (12) 9 9137 9098 (Sandra)
Cães e gatos abandonados pelas ruas de Ilhabela ganharam, nas últimas décadas, mais que uma simples defensora. Dochie Dobrota, 61 anos, chegou a vender um computador, aparelhos eletrônicos e objetos da casa onde vive, além de ter suspendido o serviço de internet, para comprar ração para os 48 cães e 150 gatos que ela recolhe das ruas do arquipélago, nos últimos 20 anos, a maioria, em idade avançada e doente.

Apesar de já estar aposentada, Dochie (lê-se Duquiê) gasta a maior parte do salário que recebe como balconista em um supermercado, para adquirir ração e medicamentos. Ela conta: “Estou cansada, exausta, com idade avançada, mas preciso do trabalho para alimentá-los. E permanecerei assim enquanto tiver forças”. Muitos dos animais foram encontrados com doenças terminais, como câncer, e até mutilações. “Animais doentes, aleijados, ninguém quer adotar. Preferem os sadios, bonitinhos”, diz ela.

Para abrigá-los, ela construiu um canil e um gatil improvisados, erguidos com restos de madeira, cercas de arame e telhas de amianto, nos fundos de sua casa humilde, também feita de madeira, no alto de um morro, longe da vizinhança. Mesmo assim, já recebeu queixa de vizinhos incomodados com os latidos, apesar da distância de quase mil metros da casa mais próxima.

Em 2010, a prefeitura de Ilhabela demoliu o canil e o gatil erguidos por ela, sob a alegação de que a estrutura estaria irregular. “Não me notificaram, não avisaram. Simplesmente chegaram aqui e colocaram tudo abaixo, mesmo com os cães e gatos”, conta ela, lembrando sobre o desespero que passou para abrigar os animais. Anos depois, ela recebeu uma indenização, após ter ingressado com ação judicial contra a prefeitura, por danos morais, por intermédio de uma advogada que também trabalhou de forma voluntária no caso. O canil atual já está com sua estrutura comprometida e com risco de desabar.

Devido às dificuldades financeiras, Dochie depende de doações de voluntários para alimentar “seus filhos”, como ela gosta de chamá-los. “Recorro a amigos, a pessoas que gostam de animais. Tem mês que eles podem ajudar, mas nem sempre é possível”, reconhece. A aposentada conta que, para os bichos não morrerem de fome, pede dinheiro emprestado. “Deixo de comer ou vendo minhas coisas. Já vendi meu computador, cancelei a internet e já não tenho quase nada em casa”, desabafa ela, apontando para seu barraco de um cômodo, onde vive rodeada por diversos cães. Ela se recorda da última perda. “Uma cadela, já idosa, morreu recentemente de câncer”.

No início do ano, Dochie levou um grande susto. Caiu de uma altura de 40 metros, ao lado de sua casa, após tentar resgatar uma cadela que havia despencado pela ribanceira. Ao tentar descer, escorregou porque a vegetação não suportou seu peso. Foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros com escoriações leves, após duas horas de operação de resgate. “Faria tudo de novo, por amor que tenho pelos cães”.

Mesmo com a falta de condições financeiras, veterinários fazem consultas regulares aos cães e gatos sob seus cuidados, que são vacinados e vermifugados, sem cobrar pelos serviços. Para tentar melhorar a qualidade de vida dos bichos, Dochie pensa em abrir uma organização não governamental para conseguir ração. “Com CNPJ, consigo preços mais baratos para comprar ração e medicamentos, que são caríssimos”.

Quem se interessar em ajudar Dochie com doações, pode entrar em contato pelos  telefones  (12) 9 9223 7205 (Duchie), após às 22h,  (12) 9 9137 9098 (Sandra). Para doações em dinheiro: Banco Bradesco: agência 1013-8; CC: 10.510-4 - Dochie Dobrota.

FONTE: d.costanorte

5/07/2018

MAUS-TRATOS: Animais são encontrados em gaiolas sem água e comida em Palmeira das Missões

Graças a Deus, tem muita gente que está se sensibilizando pela causa e denuncia mesmo..... O criminoso não tem grandes prejuizos, mas, é penalizado alguma coisinha.....
-------------
Maus tratos
Mais um triste episódio envolvendo animais em Palmeira das Missões. Dois cães e quatro gatos foram encontrados na sexta-feira (27) em estado de desnutrição em uma residência no bairro Vista Alegre em Palmeira das Missões.

A denúncia de crime ambiental foi feita por vizinhos a Brigada Militar. Os animais estavam dentro de gaiolas com fome e sede. Eles foram retirados com ajuda dos policiais e do Corpo de Bombeiros.

A protetora e integrante do Grupo Amor Animal Geovana Dizengrini lamentou o ato de crueldade. “Esse tipo de cena infelizmente continua se repetindo e bem perto de nós. Uma situação de extrema maldade contra os seres indefesos. Reforçando que o Art. 32 da lei 960598 configura crime ambiental praticar ato de abuso, mutilar ou ferir animais silvestres e domésticos. No entanto, não podemos deixar de agradecer aos seres humanos decentes e que amam nossos irmãos não humanos, que fizeram essa denúncia, bem como a Brigada e o Corpo de Bombeiros”, explica Geovana.

Ela conta que os gatos receberam atendimento, e já foram doados. Os cães também receberam atenção, e estão na Brigada Militar. O dono da residência não foi encontrado, e irá responder pelo crime de maus tratos.

FONTE: tribunadaproducao

5/06/2018

TORTURA: Cães são encontrados carbonizados em terreno baldio - SC

Quando eu falo deste negócio de colocar casinhas e comida para cães em abandono nas ruas, é por causa disto..... Geralmente, os animais criam domínio de terreno e daí avançam em qualquer pessoa que ameace a segurança deles.... Daí, o resultado é este que vemos constantemente!!!! Quer proteger? ótimo.... alugue uma casa ou corra atrás de um prédio da prefeitura para utilizar como abrigo seguro para os animais..... É o certo!!!!! inclusive porque você não acostuma a sociedade irresponsável que tem "gente" para cuidar de animais que eles nã querem mais.... Pesquisem nossos arquivos que vão achar muitos casos a respeito....
--------------
Os animais teriam sido queimados em sacos plásticos junto com peças de roupas em um loteamento, que também é utilizado para descarte irregular de materiais

Moradores do bairro Areias, em São José, ficaram chocados na tarde deste domingo (29) quando encontraram seis cães amarrados e carbonizados e outro com diversos cortes pelo corpo em um terreno baldio na rua Pedro Antunes Ezequiel. Os animais teriam sido queimados em sacos plásticos junto com peças de roupas em um loteamento do bairro, que também é utilizado para descarte irregular de materiais.

“A gente procura fazer o máximo possível para acolher esses animais. Se estiver na rua, conversamos com pessoas que têm casas maiores, para de repente acolher por um final de semana”, conta Seide Vieira, motion designer e um dos moradores da região. Segundo ele, a vizinhança costuma alimentar e algumas pessoas até adotam os animais.

Perto de onde os cães foram encontrados, organizações independentes montaram casinhas que servem de abrigo para os animais de rua, com água e comida. Ezequiel Nunes é um dos protetores que atua na região e idealizador do projeto Amiguinhos Indefesos, que cataloga os animais encontrados em situação de abandono. “Não temos certeza de onde foram trazidos esses cães, mas a certeza que tenho é que não foi do bairro Areias. Haja vista, que tem um cadastro e a gente conhece cada um desses cães aqui”, disse Ezequiel.

Os moradores acreditam que o crime foi cometido por alguém de outra localidade e, de acordo com eles, o abandono de cães e gatos na área é frequente. O loteamento foi aberto há cerca de seis anos e as novas ruas deram acesso aos terrenos vazios, que viraram ponto para descarte irregular de materiais.

A prefeitura de São José diz que a limpeza dos terrenos é responsabilidade dos proprietários e que faz a retirada de lixo na região com frequência. A última limpeza foi feita há 15 dias, mas já há acúmulo de resíduos no local novamente. “A responsabilidade dos proprietários é manter o terreno limpo com relação a mato e sujeira. Esse descarte irregular, ele tem punição e não pode ser feito dessa forma”, explica Michael Pedro Rosanelli, secretário adjunto de urbanismo e serviços públicos.

Segundo Michael, é responsabilidade da prefeitura fiscalizar este tipo de descarte, mesmo quando o lixo está na frente do terreno da pessoa ou sobre a calçada. “Se for identificado quem fez esse descarte irregular, ele deve ser identificado e encaminhado até a delegacia”, disse.

Os animais mortos foram recolhidos ainda no fim de semana e enterrados perto de onde foram encontrados. Os moradores registraram um boletim de ocorrência, mas o Estado não tem delegacia própria para atender crimes contra a fauna e flora. “Hoje, nossa legislação é muito fria em relação a punição. Ela tem uma pena prevista que vai de três meses até um ano. É muito pouco. Então, causa realmente uma sensação de impunidade na população”, falou o advogado, Anisio do Nascimento Júnior.

A ideia de que os animais possam ter sido torturados entristece quem costuma se doar para garantir o mínimo de bem-estar a eles. “Para a causa animal hoje, posso dizer que é um dia de luto. Não tem palavras que expliquem. Muito triste mesmo”, lamenta Ezequiel Nunes.

FONTE: ndonline

4/20/2018

Cavalo morreu depois de ficar um dia inteiro sem comer

Que covardia, minha Nossa!!!!!
------------------
As imagens do animal no chão, sem conseguir levantar-se, começaram a correr nas redes sociais
Um cavalo morreu depois de ter passado um dia inteiro sem ser alimentado, durante a feira anual de Sevilha, em Espanha.

As imagens do animal no chão, sem conseguir levantar-se, começaram a correr nas redes sociais. Segundo a imprensa espanhola, o vídeo foi filmado por uma voluntária de uma associação de apoio aos animais.

De acordo com a publicação feita nas redes sociais, que cita um médico veterinário, o cavalo morreu por causa de uma doença estomacal, que se agravou devido à falta de alimentos.

O proprietário do animal foi denunciado às autoridades e foi entretanto acusado de maus-tratos.

Os serviços de emergência de Sevilha também usaram as redes sociais para deixar um alerta à população: os proprietários de animais devem verificar se estes se encontram doentes, se necessitam de alimento ou de água, pois as temperaturas estão a começar a subir, o que pode afetar a saúde destes seres.

🌡️Hoy subirán las temperaturas
Comprueba que tu caballo se encuentra bien antes de venir a #FeriaSevilla18
Ayer falleció un caballo en el Real de la Feria que vino enfermo: Tenía enteritis previa (cólico) y ese día no comió nada.
Se va a denunciar al propietario por los hechos. pic.twitter.com/kXcJrc2AeP

— Emergencias Sevilla (@EmergenciasSev) 16 de abril de 2018

FONTE: sapo.pt

4/13/2018

Porcos gritam por comida em operação de resgate de animais maltratados; 'ensurdecedor e triste', diz superintendente de proteção

Que barbaridade!!!!! abusurdo!!!
--------------
Cães, gatos, aves e cavalo eram mantidos sem comida e sem cuidados em Cabo Frio, RJ, por casal que vive em situação de miséria.

Um casal de Unamar, no 2º distrito de Cabo Frio, Região dos Lagos do Rio, mantinha porcos confinados em uma carcaça de geladeira, além de cães, gatos e um galo em uma caixa de frutas. O flagrante de maus-tratos foi feito em uma operação realizada nesta quinta-feira (5) pela equipe Superintendência de Proteção dos Animais do município.

Três filhotes de porcos eram mantidos na carcaça de geladeira sem água, comida, luz e ventilação. Ao todo 24 porcos, sendo 19 filhotes, foram resgatados. Quatro cães, um cavalo, 23 aves e seis gatos também eram mantidos no terreno da casa em condições de maus-tratos. A equipe da secretaria chegou ao local após uma denúncia.

O casal vive em situação de miséria, e segundo superintendente de Proteção dos Animais, Carol Midori, um processo será aberto com o objetivo de que eles sejam proibidos de criar qualquer tipo de animal.

"Quando pegamos a ração escutamos os gritos deles implorando por comida. O desespero deles foi ensurdecedor e triste demais", contou a superintendente, ao se referir aos filhotes mantidos na carcaça de geladeira.


As condições de miséria da família levaram a Prefeitura a mudar o procedimento padrão em casos de maus-tratos a animais, quando normalmente os donos são encaminhados à delegacia. O boletim de ocorrência não foi feito, mas as providências para que os maus-tratos não voltem a acontecer serão tomadas.

“Não entramos com processo na delegacia porque o casal passa necessidade. São pessoas que vivem em situação de miséria. Neste caso específico, estamos acionando a Secretaria de Assistência Social. Além disso, vamos, sim, entrar com um processo para que eles sejam proibidos de criar qualquer tipo de animal”, explicou Carol Midori.

Os animais resgatados estão sob os cuidados da Superintendência, que solicita apoio através de doação de rações e alimentos como abóbora, cenoura, beterraba, repolho, tomate, abobrinha, mandioca, inhame, couve flor, brócolis, melancia, maçã, pêra, uva, abacate, chuchu, alface e espinafre.


O material pode ser levado até o Bazar Animar, na Rua José Antonio Sampaio, loja 2, Centro de Cabo Frio.

Segundo a Prefeitura, em 2017 mais de 500 animais foram recolhidos das ruas da cidade. Destes, 401 foram adotados através das 18 feiras de adoção realizadas pela Superintendência, ou através das redes sociais.

Em um ano também foram verificadas 32 denúncias de maus-tratos, uma média de duas por mês. Todos os animais recolhidos recebem cuidados médicos através de veterinários.

A pena para quem pratica maus-tratos aos animais pode chegar a detenção de três meses a um ano e multa.

Denúncias podem ser feitas a Superintendência de Proteção aos Animais de Cabo Frio diretamente no Canil Municipal, que fica localizado na Fazenda Campos Novos, na Rodovia Amaral Peixoto, Km 124, em Tamoios, ou pelo número de Whatsapp (22) 99237-6507.
  • O que configura maus-tratos aos animais
  • Não fornecer água e comida diariamente
  • Manter preso em corrente
  • Manter em local sujo ou pequeno demais para que o animal possa andar ou correr
  • Deixar sem ventilação ou luz solar, ou desprotegido do vento, sol e chuva
  • Negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido
  • Obrigar a trabalho excessivo ou superior à sua força
  • Abandonar
  • Ferir
  • Envenenar
  • Utilizar para rinha, farra-do-boi entre outros
FONTE: G1

4/02/2018

Adotou um cão e deixou de alimenta-lo porque estava "muito ocupada"

Eu não aguento esta gente maluca..... Minha Santa dos Parafusos Soltos faz uma lobotomia numa criatura desta em nome da segurança de todos..... É complicado adoção, né? 
----------------
Foi detida e acusada de negligência, mas pagou fiança e voltou à liberdade.
Uma jovem adotou um cão e deixou de alimentá-lo porque estava «muito ocupada». Foi detida e acusada de negligência, mas pagou fiança e voltou à liberdade. Alexandria Drew, de 20 anos, tinha adotado o cão, um Border Collie, de apenas 10 meses, de um abrigo para animais e deixou de o alimentar. A jovem tentou devolvê-lo e mentiu, dizendo não ser de sua propriedade.

Perante o visível estado de mal-nutrição e maus-tratos, os trabalhadores do refúgio verificaram o microship e confirmaram que Drew era a dona do bicho. Decidiram contactar as autoridades policiais para denunciar o caso. «Vi o cão nesse mesmo dia e estava esquelético. Podiam ver-se as costelas e parecia que não comia há meses. Dizer que estava maltratado é pouco», explicou o tenente Daniel Tutko. Segundo os registos retirados do microship, Drew adotou Richter quando este pesava 11 quilos e tinha apenas 10 meses. Tentou entregá-lo meio ano depois com apenas 9 quilos.

Estando em fase de crescimento – era bebé quando foi resgatado –, trata-se de uma mal-nutrição severa que poderia tê-lo levado à morte. «O cão foi submetido a esta tortura deliberadamente», explicou o tenente Tutko. Os veterinários confirmaram que Richter sofria de mal-nutrição severa, perpetrada por um longo período, que se traduziu num grande sofrimento. Confrontada pela polícia, a jovem justificou a atitude dizendo estar «muito ocupada» para cuidar e alimentar o cão.

A um canal de notícias local, Drew pediu desculpa. «Sinto-me muito mal. Tinha medo e não nego a minha responsabilidade. Não sou má pessoa, mas ninguém quer ouvir a minha versão. Estão a condenar-me e a dizer que sou um monstro.» Drew foi libertada depois de pagar uma fiança de cerca de 1200 euros e irá responder pelo crime de negligência e maus-tratos contra um animal.

Fonte: VipPT

3/15/2018

Youtuber faz dieta vegana para sua raposa de estimação e é criticada por maus-tratos

Tem muita gente doida, minha Santa dos Parafusos Soltos.... Olha esta maluca!!!!!!!
----------------
O animal ficou cada vez mais magro e com queda de pelos, causando revolta na internet
A questão é que raposas precisam de altas doses de proteínas na alimentação, e comem pequenos animais na natureza, como lagartos, pássaros, ratos e até ovos, e também comem frutas e raízes, que consiste em 10% da dieta delas. E a youtuber alimenta Jumanji basicamente com ração de gato.

Diversas pessoas estão denunciando Sonia de maus-tratos, pois além da alimentação errada, ele está parcialmente cego, com perda de pelo e de peso, que seriam consequências da falta de proteínas. E, por não ter um lugar para escavar, ele está ficando com o focinho esfolado por esfregar em lençóis. Mas Sonia acha que alimentar a raposa com outros animais é que é maus-tratos.

A youtuber se recusou a ouvir especialistas e veterinários, e agora a polícia está investigando o caso para decidir o que fazer com Jumanji. Lembrando que animais exóticos e selvagens não devem ser tratados como bichinhos de estimação. Não compre e incentive o tráfico de animais.

Confira na galera abaixo como Jumanji era assim que Sonia o comprou, e como ele está agora:


FONTE: metropolitanafm

3/13/2018

Zoológico é alvo de denúncias de maus-tratos - Sorocaba

Que prefeito meleca, não? e, sinceramente, ando muito descrente da justiça.... A denúncia vem sendo feita desde julho do ano passado às autoridades e as barbaridades continuam acontecendo. Publiquei ao final os vídeos citados na matéria mostrando aves vivas sendo jogadas para os felinos.... comida podre....
------------
Um urso abrigado em gaiola inadequada para o seu tamanho, relatos de "sustos" em macacos com práticas de afogamentos em um lago, pato vivo lançado para alimentar felino, cachorros de rua também usados para a alimentação de animais, uso de medicamentos vencidos nos bichos e até invasão de viciados em drogas. Estas denúncias de maus-tratos têm como cenário o Zoológico Municipal Quinzinho de Barros, cartão postal de Sorocaba. Foram publicadas em vídeos e fotos na página do Facebook do ambientalista e ex-vereador Gabriel Bitencourt, e ganharam repercussão nas redes sociais.

Informada sobre essa situação e perguntada sobre quais serão as providências, a administração municipal deixou claro que a Corregedoria-Geral da Prefeitura de Sorocaba instaurou um processo para investigar essa denúncia em julho do ano passado. E o processo de apuração ainda não foi concluído, segundo consta de nota divulgada pela Secretaria de Comunicação e Eventos (Secom).

Na descrição dos vídeos e fotos, narradores informam que obtiveram as informações e as imagens em várias situações em que estiveram no zoológico, com gravação sem que as pessoas com as quais interagiam soubessem. Num dos trechos, o narrador conta que a prática de afogamento de macacos (traduzida pela expressão "dar um caldo") tinha o objetivo de causar susto nos animais para que eles não fugissem de uma ilhota, localizada no lago do zoológico, onde vivem.

O assunto também causou impacto na sequência de indignação pública provocada pelo abandono de dois cachorros, sábado passado, na rua Ministro Salgado Filho, na Vila Fiori. Nesse caso, a Comissão de Proteção Animal da OAB/Sorocaba enviou notícia-crime ao Juizado Especial Criminal (Jecrim) para que o órgão determine investigação policial com o objetivo de identificar os autores do crime de abandono dos dois animais.

"Ave indefesa" 
Gabriel Bitencourt também publicou na sua página da rede social o artigo "Os zoológicos e sua realidade invisível". no qual diz que divulgou o teor de um áudio que havia recebido e que foi gravado no interior do zoo. "Nele, um dos funcionários contava, e defendia seu ponto de vista, que "dava caldos" rápidos afogamentos em macacos para que eles não fugissem da ilhota em que habitam", ele descreveu

Também afirmou que recebeu um vídeo que confirma "uma suspeita de muitos: vários tipos de animais vivos são dados como comida para aqueles que se encontram enjaulados no zoológico. O vídeo em questão mostra um pato que foi jogado vivo na jaula de um felino." E lamentou: "Choca ver uma ave indefesa, sem qualquer perspectiva de fuga sendo abatida pelo felino."

FONTE: jornalcruzeiro
--------------
MATERIAL CITADO NO MEU COMENTÁRIO

Causa Animal Sorocaba 5 de março às 08:45 · Infelizmente foi abafado o caso de torturas em macacos dentro do Zoo Municipal de Sorocaba/SP. Mas provas da crueldade que acontece ali dentro continuam chegando. Estagiários confirmam que aves vivas são atiradas aos felinos e lobos. Há relatos absurdos de que cães de rua que viviam no entorno da portaria foram capturados e tiveram o mesmo destino. Pelo amor de Deus, vamos salvar os animais da barbárie.

Causa Animal Sorocaba 28 de fevereiro às 13:47 · Torturar animais é crime. Pior quando a tortura é praticada em locais onde supostamente a lei deveria ser respeitada. O ZOO de Sorocaba /SP foi alvo de denúncias de que macacos estariam sofrendo afogamento forçado para fins de controle de comportamento. Ao tomar conhecimento das denúncias a prefeitura está tentando de todas as maneiras abafar o caso. A prefeitura quer que a demora pela apuração enfraqueça o caso e o leve para o esquecimento. Os ativistas da causa animal são taxados de malucos. As provas são desqualificadas. Só podemos recorrer à divulgação pelas redes sociais para ajudar os bichos. COMPARTILHE, os animais estão à mercê de sádicos.

3/03/2018

Casal alimenta mais de 30 cães largados às margens do Açude do Jatobá - Paraíba

Que tristeza, meu Deus!!!! tão bom seria se alguém assumisse estes animais, né mesmo? Até quando o casal conseguirá alimentá-los?
-----------
Próximo ao balde do Açude Jatobá, em Patos, um casal alimenta mais de 30 cães abandonados no local. “As pessoas largam os cachorros aqui, onde vivem abandonados, ocultos aos olhos de todos”, disse o jardineiro Erivaldo Simões.

Erivaldo e sua esposa Celiane Araújo, residentes no bairro Nova Conquista, alimentam os animais frequentemente na área. Eles se amontoam à espera da comida quando o casal chega.



FONTE: maispatos

3/01/2018

Mercado brasileiro se rende aos 5 milhões de clientes veganos e oferece opções para este público

Uau!!!!!! jamais poderia imaginar que o mercado vegano ia vingar com esta velocidade que tem ido..... Muito bom!!!!! Acho que antes de morrer ainda vou ver muita coisa!!!!!! 
💗🐔
-----------
Pudim de abacate, suspiro sem ovo, brigadeiro sem leite de vaca, burguer de feijão, de quinoa ou de berinjela… torceu o nariz? Estas opções de doces e salgados feitos sem produtos de origem animal estão ganhando espaço por aqui. Existem hoje, no Brasil, 5 milhões de veganos e o comércio de produtos alimentícios tem se rendido a esta demanda crescente.

As sobremesas veganas estão entre as tendências mundiais do ano. Esta é uma das conclusões do Relatório Global Pinterest 100. O Pinterest, é um aplicativo que mostra o que está em alta em diversas áreas das nossas vidas, como moda e gastronomia. Segundo o relatório, o número de ideias salvas sobre os docinhos que não levam ingredientes ligados aos animais cresceu 329% em 2018. Só no nosso País, esse aumento foi de 585%, nos últimos seis meses.

Receitas como naked cake, torta de chocolate e brownie, estão entre estas tantas opções. Se antes parecia um bicho de sete cabeças encontrar uma comidinha gostosa sem esses elementos tão arraigados na nossa cultura, agora o que não faltam são receitas para fazermos a nossa versão deles. Certamente serão muito mais nutritivos que os originais e não irão causar danos nem aos animais, nem à nossa saúde.

Para ajudar os estabelecimentos a oferecer opções para este público e também para os vegetarianos e para pessoas com restrições aos ingredientes de origem animal, como o leite de vaca, a Sociedade Vegetariana Brasileira lançou em 2016 o programa Opção Vegana. A organização presta uma consultoria gratuita para os comerciantes interessados, com receitas, dicas de implementação dos novos produtos e divulgação. No site da SVB há também um guia gratuito para quem quer desenvolver, lançar e divulgar as suas opções veganas. O Programa está com 170 lojas parceiras.

A novidade é a rede Empada Brasil, que acaba de lançar uma empada de cogumelos. No ano passado, a empresa criou um pastel vegetariano, mas, segundo a diretora de marketing, Gabriela Fernandes, “Nós rapidamente percebemos que as opções ovolactovegetarianas não seriam suficientes para dar conta do que o mercado estava pedindo. Chamamos a SVB para conversar e a consultoria foi muito importante para nós acertarmos um produto vegano, que agradará não apenas os veganos, mas o público em geral”.

De acordo com a gerente de campanhas da SVB, Mônica Buava, “Uma opção vegana, quando é boa, atende bem a todos. Ter boas opções veganas no cardápio não é mais apenas uma questão de consciência e sustentabilidade, hoje é também uma questão de sobrevivência para o mercado de food service no médio e longo prazo”.

Aqui em São Paulo é cada vez mais comum encontrarmos opções veganas e vegetarianas em restaurantes e lanchonetes. Muitas hamburguerias estão se rendendo aos clientes e criando versões vegetais de seus burguers, com substitutos como feijão, cogumelos, grão de bico, quinoa e berinjela. É o caso da Basic Burguer, de acordo com o seu sócio-fundador, Alexandre Gatos, “Inauguramos em março de 2017 e temos tido muita procura, inclusive por clientes com estilo de vida vegetariano, quando ainda não tínhamos opções veggies em nosso cardápio muitos clientes perguntavam, ao acrescentarmos, pudemos ver o sucesso que faz. É claro que a demanda é muito menor do que os hambúrgueres tradicionais de carne, mas vemos que é uma tendência que está aumentando”. Lá o burguer é feito com feijão, shimeji, quinoa e alho poró.

Pioneira neste mercado, a Superbom trabalha com produtos veganos há 50 anos no Brasil, em 2017 teve um crescimento de 8% no faturamento, na comparação com 2016, e segue com um lançamento médio de 20 a 30 produtos por ano, são queijos, cream cheeses, salgadinhos e sucos integrais, entre outros. No momento, está sendo desenvolvida uma linha de proteínas veganas e ovolactovegetarianas, segundo o diretor de marketing da empresa, David Oliveira, “O mercado de alimentação para estes públicos está em franca expansão, não apenas porque cada vez mais pessoas aderem à prática, mas também porque uma dieta saudável é uma necessidade para uma parcela da população que tem restrições alimentares. A empresa se preocupa em aumentar, cada vez mais o leque de produtos para o público vegano e vegetariano, visto que na atualidade é o principal perfil do consumidor da marca”.

Não é só a nossa comida que tem ganhado novas versões, agora até os animais de estimação terão uma marca de ração vegana. Os empresários Victor Ramos e Thais Lage de Almeida criaram as marca por uma razão pessoal, “Somos vegetarianos e apaixonados por nossos animais de estimação e tínhamos uma certa dificuldade de encontrar no mercado um conceito de alimentação natural e vegetariana para eles. Foi aí que criamos a Vegpet, um e-commerce de produtos de origem vegetal, “cruelty free” (não testados em animais) e biodegradáveis. Em 3 anos de atividade da loja, percebemos um bom retorno e uma crescente demanda por alimentação vegetal. Eram pedidos de entrega em estados em que não atuávamos e por alimentos vegetais para gatos, que ainda não existiam em nossa loja. Por isso, agora em 2018, investimos em uma nova linha de ração 100% vegetal, elaborada com base em uma versão europeia e com o apoio de uma equipe nutricional e de veterinários. BichoGreen vai ser lançada agora em março e terá uma versão para cachorro e uma para gato”. As rações serão vendidas pela internet, mas a dupla tem planos de vendê-las também em lojas físicas.

FONTE: emais.estadao

2/16/2018

Ter gatos é tudo de muito bom e alimentar chitas é algo incrível!




Sinto muito não poder informar a autoria deste material. As pessoas que divulgam notícias, fotos e vídeos devem colocar a autoria, até porque é obrigatório perante a lei. Estou publicando estes dois primeiro porque são muito bons e para que, alguém que conheça, possa nos dizer a autoria para o devido crédito.


Santuário de felinos na África

2/12/2018

Alimentos feitos de insetos fazem sucesso na Suíça com apelo à sustentabilidade

Querendo ou não, esta será a alimentação de todos os humanos... os carnistas estão perto de perder seu bifinho de todo dia..... 
-----------
Comer insetos pode ser gostoso? Se depender do paladar suíço, a resposta é sim.

Produtos à base desses animais vêm se tornando um sucesso de vendas desde que foram lançados, em agosto passado.

Hambúrgueres e almôndegas produzidos com farinha de verme moído têm atraído tanta atenção dos consumidores que a procura desencadeou o desenvolvimento de novos petiscos com esse tipo de fonte proteica. Uma barrinha energética feita com grilos crocantes, passas e tâmaras é a nova moda, por exemplo.

A receita não chega a ser complicada. Insetos cultivados em criadouros higienizados na Suíça, Áustria e Bélgica são moídos e transformados em uma farinha. O pó, que é rico em proteína, é acrescentado em uma massa com outros ingredientes - como purê de grãos e temperos - e moldada no formato de uma carne de hambúrguer e almôndega.

A fabricante dos produtos à base de insetos argumenta que os alimentos são gostosos, saudáveis e sustentáveis. O supermercado que comercializa os itens está bem satisfeito com as vendas - a publicidade que os ingredientes inusitados geram que tem se mostrado muito boa para os negócios.

Defendendo o conceito de sustentabilidade no consumo, a marca mira nos jovens e capricha na aparência moderninha com uma divulgação gourmet, direcionada ao público hipster.

"O que queremos é abrir um novo mundo de possibilidades culinárias para nossos consumidores e convencê-los de que insetos são realmente deliciosos. Estamos cientes de que pode levar um tempo até as pessoas começarem a consumir insetos diariamente, mas estamos trabalhando por isso, todos os dias", afirmou Melchior Füglistaller, representante da empresa Essento, fabricante dos produtos.

"Estamos convencidos de que temos na Suíça consumidores que são amantes da boa comida, que têm uma mente aberta e provarão e gostarão dos produtos feitos com insetos. Não apenas por ser uma alternativa à carne, mas por razões culinárias mesmo", disse Andrea Bergman, representante da rede de supermercados Coop, à BBC Brasil.

Tabu e sustentabilidade
Populares na Ásia, os insetos são ainda geralmente um tabu na cozinha ocidental, apesar de serem ricos em proteínas e outros nutrientes. A vantagem de incluí-los na dieta é o fato de serem relativamente baratos em comparação às carnes de gado, suína e de frango. Boa parte do marketing de promoção desses alimentos está focado justamente no argumento de que é "verde", e portanto bacana, consumir insetos.

"O consumo de carne demanda muitos recursos", afirma Melchior Füglistaller, representante da empresa Essento, fabricante dos produtos. "Por exemplo, para se produzir um quilo de carne são necessários 15 mil litros de água e dez vezes mais ração do que seria necessário para alimentar insetos que produzissem a mesma quantidade de proteínas", argumenta.

Certamente o peso da carne no bolso influenciará a decisão dos suíços. Se um quilo de carne bovina moída e temperada para hambúrguer sai por 58 francos (R$ 190), no mesmo supermercado a apenas um corredor de distância é possível comprar o hambúrguer de inseto já embalado em porções de 170 gramas pelo preço de 52,60 francos (R$ 170) o quilo. Ou seja, o consumo de "carne de inseto" se traduz em uma economia de cerca de 11% para o bolso do consumidor.

Peso no bolso
Os hambúrgueres alternativos são também uma resposta ao padrão de consumo alto e "insustentável" dos suíços. A nação dos Alpes é uma das maiores consumidoras de carnes per capita no território da Europa. De acordo com um ranking organizado pela empresa de consultoria americana de alimentação Caterwings, a Suíça é o mercado onde a carne é a mais cara do mundo.

O preço médio do quilo de carne bovina está avaliado em US$ 49,68 (R$ 160). De acordo com dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o padrão de consumo dos suíços é insustentável.

Em um relatório publicado em novembro, o secretário geral da organização, Angel Gurría, criticou os hábitos dos consumidores. "A Suíça tem uma enorme pegada de carbono associada ao seu padrão insustentável de consumo. O consumo suíço está impondo significativa pressão (no meio ambiente) para muito além de suas fronteiras", escreveu.

O próprio país reconhece isso. Um relatório publicado pelo governo em junho passado apontou que os suíços precisam mudar seus hábitos alimentares em relação às carnes. "Carnes: Nós consumimos 3 vezes mais que o necessário", afirma o documento assinado pelo líder Alain Berset.

Os suíços consomem na média 150 gramas de proteínas de diversas fontes a cada dia. A consumidora Danielle Heer considera boa a ideia de promover a sustentabilidade, mas não deu uma nota alta ao sabor dos produtos à base de insetos. "Achei as barrinhas um pouco secas", avaliou.

FONTE: BBC

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪