RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador abrigo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador abrigo. Mostrar todas as postagens

1/24/2018

Cãodomínio abriga cachorros abandonados no Litoral Norte - RS

Paulinho é um dos nossos, sem dúvida, mas, este tipo de matéria costuma trazer mais problemas do que soluções, concordam? Pobre Paulinho.... tomara que não e ele tenha apoio de gente bacana por lá....
-------------
Sítio tem 141 animais, que dispõem de guarda-sol e até de "espaço gourmet"
Paulo Giglio, o Paulinho da Filler, é o dono do sítio às margens da RS-407
 As casas, em sua maioria, seguem um padrão: pintadas de verde, com ampla área arborizada e "espaço gourmet" individual para cada morador. O serviço de limpeza é diário.
"Que acharam? Não tem segunda impressão aqui. Para mim, a primeira é a que fica. Então, gostaram?" indaga, ansioso, o representante comercial aposentado Paulo Roberto Giglio, às vésperas de completar 65 anos.

Paulinho da Filler, como Giglio ficou conhecido no Litoral Norte  — o apelido faz referência à empresa de alimentos para a qual trabalhou por anos  —, é o feliz proprietário do Cãodomínio, um pequeno sítio às margens da RS-407 que abriga 141 cães, muitos com alguma deficiência ou sequela de doença grave. São animais abandonados, alguns em plena rodovia, uma das mais movimentadas da região, outros nas praias de Xangri-lá, Capão da Canoa, Imbé e arredores.

À beira da estrada que poderia ser o caminho sem volta desses bichos, Paulinho organizou o acolhimento. São gastos cerca de R$ 8 mil mensais em cem quilos de ração por dia, além de medicamentos e consultas ao veterinário. O trabalho já foi alvo de críticas, mas, ao longo dos anos, ganhou apoio e, hoje, o aposentado conta com a ajuda (pouca, porém, valiosa) de doações e parcerias que viabilizam a assistência aos cães. — Não, não estão para doação, nem para a venda. São meus filhos e sou feliz em cuidá-los. Um bom pai não dá, não vende nem abandona seus filhos — adianta Paulinho.

Na área, a matilha se divide entre os que ficam soltos no pátio enorme e os que ficam amarrados na área externa, nas casinhas verdes que se enxerga da pista. Onde não há sombra suficiente para aplacar o sol escaldante, Paulinho colocou guarda-sóis. Tudo é diariamente higienizado para evitar odores desagradáveis, parasitas e reclamações dos vizinhos. Os visitantes podem comprovar o resultado dessa dedicação.

Paulinho conta que em outros tempos havia mais abandono na RS-407. Carros paravam e, sem dó nem piedade, abriam as portas e deixavam, ao deus-dará, cães de todas as raças e idades. Muitos morriam por ali mesmo, atropelados, se não tivessem a sorte de serem avistados pelo cuidador. A época de veraneio, conta ele, é a mais dramática, porque muita gente deixa os bichos para trás.— Já foi pior, acho que o pessoal está mais consciente. Vez ou outra ainda encontro animais na estrada — diz.

Paulinho preocupa-se com o destino dos animais. Não quer ampliar o grupo, mas se dedicar aos que lá estão. Há cinco anos, ele sofreu um infarto; pouco tempo atrás, ficou viúvo. Sozinho, percebe que a idade começa a apresentar suas contas, tanto para ele quanto para os próprios cachorros, que vão se fragilizando com o passar dos anos. Alugou um cantinho em Capão da Canoa e deixou o sítio para os animais. Na agropecuária Casa da Lavoura, ele busca a ração quase que diariamente, porque estocá-la no sítio não é seguro. Já furtaram doações inteiras do lugar. Paulinho vira-se como pode, com o dinheiro da aposentadoria e a colaboração de quem acredita no trabalho. Muita gente vai à agropecuária e deixa pago um tanto de alimentos para os bichos ou remédios. Tudo espontaneamente.
— Não sou pedinte. Nunca faltou e nunca vai faltar.

Para ajudar
Contatos com Paulinho pelo fone (51) 99791-2606. 
A Casa da Lavoura, em Capão da Canoa, também recebe doações, informações pelo fone (51) 3665-4153.

Fonte: Gaucha ZH

1/08/2018

Cão se assusta com fogos e procura abrigo em viatura da PM em Barra Bonita

A notícia já tem uns dias, mas, é bom registrar para nossos leitores. Agora, o que dá pena é que o pobrezinho ficou perdido, provavelmente.... A nojentada humana só se preocupou com as fotos ao invés de recolher o cachorro e tentar ver se achava o dono.... 
-----------
Animal ficou cerca de 30 minutos no banco traseiro do veículo durante os rojões. 'Ficamos com dó porque eles não têm o treinamento para aguentar tanto barulho', diz sargento.

Uma visita inusitada chamou a atenção de policiais militares durante a queima de fogos da virada do Ano Novo em Barra Bonita (SP). Assustado com o barulho dos rojões, um cachorro procurou abrigo em uma viatura da PM na avenida Sabino Bolla.

Em entrevista ao G1 nesta quarta-feira (3), o sargento da PM João Leonei Montai Messias conta que a viatura estava estacionada na avenida, onde foram montados dois palcos para apresentação de bandas regionais na festa de Réveillon.

No momento em que começaram os fogos, à 0h, o cachorro se assustou e correu para a viatura. “A viatura estava com as portas abertas porque os dois policiais estavam fiscalizando a área. Na hora dos rojões, ele entrou no banco traseiro, se encolheu e ficou bem quietinho.”

Ainda segundo o sargento, o cachorro, um vira-lata macho de porte médio, permaneceu por aproximadamente 30 minutos na viatura até se acalmar.

“Ele ficou assustado e bastante ofegante, mas depois que se acalmou também saiu e foi curtir a festa. Apesar de ele estar com uma coleira, acredito que não tenha dono porque na avenida só tem alguns comércios”, afirma Leonel.

Durante o tempo que ficou na viatura, o animal virou atração de pessoas que acompanham a festa para tirar foto e também chamou a atenção dos policiais no veículo.

“A gente fica com dó porque esses cães não têm o treinamento que os cachorros e cavalos da PM, que acabam acostumados com esse tipo de barulho. Além disso, os policiais também gostam muito de animais, então foi muito legal acolher e acalmar esse cão por alguns minutos.”

FONTE: G1

12/26/2017

Cenas emocionantes depois que um cão reconhece seu dono

Como é bom ver coisas assim, não? chorei pacas pela felicidade da criaturinha....
---------
Cão se encontra com seu dono e o reconhece lentamente depois de anos em um abrigo. No começo, esse cão não percebeu que esse cara era o seu último dono, mas, uma vez reconhecido é emocionante  o que ele faz..... 


Fonte: The Dodo

Diretor de abrigo finge morte de cachorro para não devolvê-lo a família

Acho que todos os protetores deveriam ficar a favor do diretor do abrigo.... Eu faria o mesmo.... Já mandei meu apoio à ele pelo face da ONG que destaquei no texto...
--------------- 
O cão Mack foi alvo de uma longa batalha judicial nos Estados Unidos; diretor alega negligência de família adotiva
O cachorro fugiu de casa diversas vezes e o diretor do abrigo entendeu que o pet não gostava da família que o havia adotado
Um cão que foi alvo de uma batalha judicial de dois anos e de uma morte falsa está de volta à sua família adotiva no Estado do Missouri, nos Estados Unidos. 

A emissora KSDK-TV reporta que Jamie Patterson e seus sete filhos adotaram Mack, uma mistura das raças boxer e mastiff de uma associação que resgata animais, a Rough Road Rescue, em 2015.

Mas acontece que Mack se mostrou um grande profissional na arte da fuga. Na última vez em que ele fugiu de casa, o diretor da associação, Steve Svehla, o encontrou e decidiu ficar com ele, acusando Jamie de negligência. Começou então uma batalha de dois anos na Justiça e os tribunais votaram em favor de Jamie.

Mas, em vez de devolver o cachorro à 'mãe' adotiva, o diretor da associação a entregou uma caixa de cinzas e afirmou que o cão havia morrido, o que era mentira. Depois de uma investigação, Svehla confessou que o cão estava vivo e o entregou à dona. Agora, ele enfrenta acusação de roubo por não ter devolvido o cão imediatamente depois de o caso ser encerrado. Ele ainda mantém a alegação de negligência por parte da família.

Fonte: Estadão

Cachorro ou urso? Abrigo acolhe 'milagre da natureza'

Gente, eu adoraria  conhecer esta criaturinha....
---------
Um animal estranho apareceu em um abrigo para animais na cidade russa de Chelyabinsk, tendo a sua aparência surpreendente gerado um debate nas redes sociais.

O abrigo para animais Nash Dom ("Nossa Casa", em russo), localizado na cidade russa de Chelyabinsk, na fronteira entre os Urais e a Sibéria, bem como na encruzilhada entre a Europa e a Ásia, hospedou um estranho "milagre da natureza" que confundiu os usuários da Internet.

Enquanto muitos destacaram sua semelhança com um urso, outros preferiram apelidá-lo de "urso-cachorro" ou "cachurso". O abrigo para animais pôs fim ao debate e esclareceu que Potapych (o nome com que os funcionários o batizaram, um nome típico de urso nos contos populares russos) é, na realidade, um cachorro.


Os voluntários que trabalham no abrigo esclareceram ao canal de TV local Pervy Oblastnoi que o animal, apesar de parecer um urso, é um cachorro da raça chow-chow.

Por enquanto, ele permanece no abrigo de Chelyabinsk, uma vez que ainda não se adaptou à vida entre os humanos e pode mostrar algum comportamento antissocial e, até, ser um pouco agressivo.

Nesta sexta-feira (15), o abrigo informou na sua página da rede social russa VK que não será possível adotar Potapych nos próximos meses e pediu ajuda financeira àqueles que não são indiferentes ao destino do cachorro.

"Muitas pessoas mostraram interesse pelo nosso pequeno urso-cachorro Potapych mas, por algum motivo, ninguém tem se interessado em descobrir se ele está com fome ou precisa de vacinação, ou se calhar oferecer-lhe uma coleira", escreveram os representantes do Nash Dom.

FONTE: sputniknews

12/17/2017

Abrigo de animais em Maceió precisa de doações

Temos acompanhado os vários pedidos de ajuda feita por abrigos e santuários de proteção aos animais. Infelizmente, esta fórmula já esgotou. Todos tem que ousar. É preciso criar fontes próprias de sustentação do tipo entrar de sócio para uma empresa, montar seu comércio de vendas ou de serviços, etc.... Depender de doações é uma fórmula falida... Reinventar é preciso, pelos
animais!
---------
O Centro de Recuperação Animal Esperança (CRAE) precisa da doação de voluntários para conseguir manter o atendimento a animais. A instituição que existe desde 2014 e não possui fins lucrativos passa por diversas dificuldades financeiras devido ao desemprego da fundadora, Mary Vânia Nogueira Ferreira.

Em entrevista ao CadaMinuto, Mary contou que o Centro surgiu por iniciativa própria, quando ela decidiu alugar um local onde pudesse acolher animais que foram abandonados nas ruas.

Segundo Mary, as dificuldades para manter o abrigo sempre existiram, mas esse ano ela ficou desempregada, fato que acentuou a situação precária do local. “Necessitamos com urgência de doações de ração para cães e gatos, medicamentos, materiais de limpeza e de construção, além de arrecadar quantia para o pagamento do aluguel da chácara” comentou.

O CRAE está localizado em uma chácara no bairro Village Campestre, parte alta de Maceió. Para quem quiser ajudar, doações em espécie podem ser depositadas em duas contas distintas, ambas em nome de Dayana Maria Jardim da Silva:

Banco do Brasil
AG: 4287-0
CONTA: 26.122-x ou 0

Caixa Econômica Federal
AG: 0840
OP: 013
CONTA: 00103761-6

Para efetuar outras doações, a população pode entrar em contato com as proprietárias, para que elas busquem o material: Mary 82 99930- 0761 e Marisa 82 98857-6929.

FONTE: cadaminuto

12/11/2017

Ativistas chineses resgatam raposas do mercado de peles

O site "Direitos dos Animais" publicou em setembro deste ano sobre um Milionário chinês gasta toda sua fortuna para salvar cães do mercado de carne na China e daí fui me atualizar sobre ele. O nome dele é Wang Yan (não deixem de ler). Fiquei sabendo muita coisa super legal e identifiquei vários ativistas chineses que lutam pelos animais. Convido para conhecerem o Facebook China's Forgotten Rescues. Muito forte.... muito real... e, sinceramente, é preciso muita coragem e perseverança. A última ação deles foi o resgate de 1000 raposas em 09/12/17:
-----------
(Localização: Changli, hebei)
Do mercado de peles de Changli, Wang Yan & TEAM SALVOU 1,000 raposas hoje.
O caminhão das raposas deixou o mercado para o abrigo. A descarga de raposas em abrigo será publicada mais tarde. Se você deseja contribuir para o resgate, envie suas doações para o Paypal direto de wang yan ou compartilhe a publicação amplamente. Obrigado! IMAGENS FORTES


Para ser exato, Wang + TEAM SALVOU 753 raposas + 231 guaxinins ontem (2017-12-09), não 1,000 raposas. Todos os 984 animais de pele foram alojados no abrigo de jz7 esta manhã. Como o número resgatado é grande, wang yan alugou um espaço grande para manter e cuidar desses bebês de peles até que ele tenha um espaço construído em seu próprio abrigo para raposas e guaxinins. A viagem do mercado de peles de changli para jz7, jilin levou horas, os animais chegaram ao abrigo apenas esta manhã. O resgate continua hoje.
Se você deseja contribuir para o resgate, envie suas doações para o Paypal direto de wang yan ou compartilhe a publicação amplamente. Obrigado!



12/07/2017

Abrigo clandestino com mais de vinte animais causa transtornos na Cidade Universitária, em Maceió

Bem, os moradores agem como se a culpa fosse da protetora.... Na verdade, todos aqueles que reclamam são coniventes com o abandono... Deveriam sim, criar recursos e ajudar na solução.... A protetora está fazendo o que a sociedade civil e autoridade ignora e se omite....
-----------
Moradores denunciam que espaço provoca mau cheiro e traz
risco de doenças. Comissão da OAB vai notificar mulher responsável por levar os animais para o local.

Um abrigo clandestino com mais de vinte animais, no bairro Cidade Universitária, parte alta de Maceió, tem causado transtornos para os moradores da região. Eles denunciam que o espaço, montado e improvisado em uma calçada, preocupa por conta do mau cheiro e de doenças provocadas pelos bichos.

Há três anos, a costureira Valdirene Cândido teve a ideia de levar os animais para o local e construir o abrigo. Atualmente, dez cães e quinze gatos vivem amontoados.

“Eu sempre gostei de bicho, entendeu? Eu fico muito triste quando vejo um bicho jogado por aí. Se eu andar por aí e ver um cachorro nos matos, parece que aquela coisa me chama. Quando eu vejo, eu trago”, explica a costureira.

Apesar da boa intenção, o mal cheiro das fezes dos animais incomoda os vizinhos, como o autônomo Antônio José Nascimento. “Incomoda os vizinhos. Já observei gente caminhando na rua com a camisa no nariz. Incomoda também a passagem de pedestres na calçada, fazendo com que as pessoas andem no meio da rua”, coloca.

A situação também preocupa a idosa Cícera Maria Amaro. Ela tem dois netos e diz que as crianças sofrem por causa do contato com os animais. “Os meninos ficam deitados no colchão com os cachorros doentes”, relata a moradora.

Os moradores disseram que já pediram a ajuda do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), mas nada foi feito. “Vieram aqui e fizeram a visita. Disseram que não era da área deles, mas sim de Rio Largo, e foram embora. Ficou por isso mesmo, até hoje”, diz Antônio José do Nascimento.


Maus tratos
A presidente da Comissão de Direito Animal da Ordem de Advogados do Brasil Seccional Alagoas (OAB/AL), advogada Rosana Jambo, diz que a situação do abrigo caracteriza maus tratos.

“Estão amontoados, você vê que não há espaço para todos os animais ali. A solução seria simplesmente a disseminação de várias zoonoses para os animais e consequentemente zoonoses também para os seres humanos, e é quando entra o CCZ. A partir do momento em que os animais estão enfermos, o CCZ é acionado para que faça o recolhimento dos animais e possa dar ao menos cuidados básicos”, esclarece a advogada.

Ela diz ainda que a intenção da costureira que mantêm os animais presos é boa, mas que a OAB/AL vai notificá-la. “Como está caracterizado, embora ela não tenha intenção de machucar os animais, ela vai ser notificada e vai participar de uma audiência na OAB para que ela se comprometa a modificar essa situação”.

O coordenador do CCZ, Samyr Barros, disse que desconhecia a situação, mas garantiu que nesta terça-feira (5) vai enviar uma equipe ao local para ver o que pode ser feito.

FONTE: G1

11/22/2017

Idosa cuida de aproximadamente 60 animais domésticos

As pessoas que se dedicam de alguma maneira a cuidar e defender os animais, quando envelhecem sofrem muito porque queriam ter força para continuar. E vou falar, também, por mim..... Se pudéssemos ter forças para continuar, como seriamos felizes!!!!! agora quando se perde a saúde, aí sim, ferrou geral!!!!! Enfim, se alguém puder, ajude a senhora a doar os tantos animais....
-----------



11/12/2017

Cãozinho levado para abrigo para ser sacrificado por conta de sua aparência é resgatado

O abrigo que adotou os cães é um espetáculo. Os cães vivem em cabanas com móveis para que eles tenham a ideia de casa. É uma área enorme cheia de árvores. Vale a pena dar uma olhada. Veja AQUI .
-------

Nascido em criadouro ilegal, o cão foi enviado para eutanásia depois que ninguém quis comprá-lo por ter seu focinho torcido.

Não é incomum ver casos de cães que nasceram com algum problema físico ou de saúde em criadouros ilegais. Isso porque esses lugares não dão muita atenção aos cruzamentos, já que a preocupação é apenas lucrar com os filhotes.

O cãozinho Picasso é um destes casos. Originado de um criador de quintal, ou seja, ilegal, o animal nasceu com uma perceptível deformidade facial que impediu que ele fosse comprado, como todos os seus irmãos, pois ninguém quis pagar por um filhote com o focinho torcido para o lado.


Por não ter sido vendido, Picasso foi entregue a um abrigo. Porém, a intenção era de que ele fosse sacrificado. Pouco tempo depois, o cão ganhou uma companhia, seu irmão Pablo, que tinha sido devolvido pela família que o tinha comprado e o criador resolveu levá-lo para o mesmo abrigo que Picasso. Lá, o cachorrinho foi colocado na lista de eutanásia, junto de seu irmão.

Os pequenos irmãos não tinham muito tempo para ser salvos, pois eles logo seriam sacrificados. Mas, felizmente, a organização Luvable Dog Rescue parecia saber que um animalzinho precisava de sua ajuda e entrou em contato com o abrigo onde os irmãos estavam.

Em conversa com o abrigo, Liesl Wilhardt, diretora executiva do Luvable Dog Rescue, perguntou especificamente se eles estavam com algum cão com aparência diferente ou que apresentasse alguma necessidade especial.

“[Eles] me enviaram a foto de admissão de Picasso. Ele estava enrolado em uma cama de cachorro, e parecia muito triste. Seu rosto torcido era surpreendente, mas tinha olhos suaves e gentis, e para mim foi amor à primeira vista!”, contou Liesl Wilhardt ao site The Dodo.

Ao saber que Picasso e seu irmão estavam na lista de eutanásia, Liesl rapidamente decidiu resgatar os dois animais, levá-los para o santuário e se certificar de que os dois fossem adotados juntos.

De acordo com o pessoal do Luvable Dog Rescue, os cães são extremamente doces e gentis e amam a todos que conhecem, além de terem uma ligação muito forte um com o outro.

Segundo Liesl, os cães realmente são incríveis e merecem uma família que lhes ame muito e uma casa para sempre.

FONTE: portaldodog

11/09/2017

Quase 100 cães vítimas de maus-tratos são encontrados em residência em Cidreira - RS

Minha Nossa!!!!! um dos piores casos já vistos..... Terrível!!!!!! Quero ver a fila de "interessados" em adotar um destes pobrezinhos como teve no caso da Luisa Mell que resgatou aqueles cães de raça, lembram? Pois é..... O nome da ONG que está a frente do caso é Pega Bicho e separei uns vídeos para terem uma ideia.... um horror!!!!!!!! Vão precisar de muita ajuda!!!!!
------------

Após denúncia de uma moradora do bairro Salinas, em Cidreira, no Litoral Norte, a ONG Pega Bicho chegou em uma residência com quase cem cães vítimas de maus-tratos. No interior da casa, a Polícia Civil encontrou, nesta quarta-feira (8), 15 filhotes mortos. Os animais sobreviventes apresentam quadro de saúde grave — a maioria com sarna, feridas e desnutrição. A prefeitura tenta retirar a proprietária do imóvel, uma senhora com cerca de 85 anos, para lhe dar atendimento clínico e psico- social. 

Com o mau cheiro e a falta de higiene, o Corpo de Bombeiros e a ONG só conseguiram entrar na residência utilizando luvas e máscaras. Além dos 15 filhotes mortos, chamou a atenção das autoridades o acúmulo de fezes e a insalubridade no interior da casa. Na mesma cama onde a proprietária do imóvel dormia, cães com sarna e viroses foram encontrados.


— Há três anos, tentamos oferecer ajuda para esta senhora. Ela não quis dialogar e nos expulsou. Mas a situação de maus-tratos que nos deparamos é surpreendente. Jamais imaginei que teriam quase 100 cães nesta residência. O cheiro era tão forte que tivemos dificuldade para respirar. É provável que ela seja acumuladora ou sofra de algum transtorno. Não é normal conviver com fezes, filhotes em decomposição e cães famintos — afirmou Araci Maria de Jesus, presidente da Pega Bicho. 

A prefeitura de Cidreira tenta localizar familiares da proprietária do imóvel e afirma que fará tudo que estiver ao alcance do poder público para solucionar o problema. Com a situação de penúria dos cães vítimas de maus-tratos, foi lavrado um auto de infração pela vigilância sanitária na residência por crime ambiental. 

— É algo singular. Nunca aconteceu nada parecido na cidade. Assim que soube do caso, tomei todas as providências possíveis. Unimos forças com a Polícia Civil, Secretaria Municipal do Meio Ambiente e de Saúde, Vigilância Sanitária e assistentes sociais para tentar dar todo suporte para a proprietária do imóvel e, a partir de agora, nossa luta é pela sobrevivência dos quase cem animais encontrados — explicou Pedro Teixeira, secretário de Administração de Cidreira. 

De acordo com a Pega Bicho, por falta de local para acomodar os cães na cidade, eles permanecerão em tratamento veterinário na residência e, quando curados, serão encaminhados para adoção.

Fonte: Gaucha ZH








Sérgio Mallandro resgata animais e brinca: "É mais fácil falar com eles"

A gente sabe que a promoção é maior para o artista, mas, de qualquer maneira, acho muito legal quando uma figura pública se engaja na nossa luta..... ainda mais quando é muito conhecida, como é o Sergio Malandro. Parabéns! A Ong no Facebook é Projeto Anjinhos da Rua e eles tem um site onde fala quem são. Muito legal. Não os conhecia. CLIQUE AQUI







Fonte: UOL

11/06/2017

Instituição de acolhimento de animais faz campanha para não encerrar atividades em Jaru, RO

Está ficando difícil a continuidade desta fórmula de atendimento aos animais. todo mundo está apertado e quem recolhe os bichos não pode continuar dependendo da boa vontade de um e de outro. Daí, a quantidade de ONGs e Grupos de proteção animal que estão fechando as portas.... Está muito difícil, mas, quem puder dar uma força entrem no Facebook Vitória dos Animais para dar uma força.
--------------------

Dívida com clínica veterinária ameaça continuidade dos atendimentos do instituto. Mais de 100 animais já foram recolhidos pelo grupo.

O Instituto Vitória dos Animais (IVA), que recolhe e trata cães e gatos doentes das ruas de Jaru (RO), a cerca de 290 quilômetros de Porto Velho, começou uma campanha de arrecadação de roupas, calçados e acessórios para a realização de um bazar. O IVA tem cerca de 90 membros e já recolheu mais de 100 animais doentes e debilitados das ruas. Após o tratamento, os animais são disponibilizados para adoção.

Katia Souza, presidente do instituto, lembra que a ideia de ajudar os animais começou quando ela e amigos perceberam que não havia nenhuma instituição que fazia esse trabalho na cidade. “A gente leva eles pra uma clínica, eles fazem consulta, cirurgia e depois nós levamos eles pro nosso espaço e são encaminhados pra adoção. Somos totalmente voluntários, trabalhamos com 'a cara e a coragem'”, conta.

Com os últimos atendimentos realizados, o instituto contraiu uma dívida de mais de R$ 2 mil com uma clínica veterinária e para não inviabilizar os atendimentos, será feito um bazar no mês de dezembro com o objetivo de aliviar o caixa.


Os interessados em fazer doações de roupas, calçados, acessórios e itens domésticos para o bazar podem entregá-las em uma locadora situada na Avenida Padre Adolpho Rohl, próximo a Avenida Dom Pedro I.

Além das roupas para o bazar, o instituto também recebe doações de acessórios para animais e rações. Mais informações podem ser obtidas através do telefone (69) 9 9267-2793. De acordo com a responsável pelo instituto, o endereço da casa de acolhimento não é divulgado porque no espaço usado anteriormente era comum que as pessoas jogarem caixas com cachorros e gatos no terreno durante a noite e o instituto não tem capacidade para receber esse animais.

Fonte: G1

10/31/2017

Frente da Câmara Municipal do Rio arrecada ração para a Suipa

Começaram bem!!!! Tomara que a Frente faça bons serviços sem pensar na política, né mesmo? independente, vou repetir o meu velho pedido para nossos leitores darem uma força para a SUIPA. Entrem de sócio para ajudar naquela luta diária...
------------
Uma campanha organizada pela recém-formada Frente Parlamentar em Defesa dos Animais da Câmara Municipal do Rio pretende arrecadar grandes quantidades de ração para ajudar a Sociedade União Internacional Protetora dos Animais (SUIPA). A organização, que depende basicamente de doações para alimentar e cuidar dos cerca de 4700 animais que abriga, está com falta de donativos.

Lá, somente os cães (aproximadamente 3200) consomem mais de uma tonelada de alimento por dia. Esta é a primeira ação da Frente, criada na semana passada para servir de ponte entre organizações de proteção aos animais e a prefeitura.

— O crescimento desenfreado e sem controle de cães e gatos atrelado à falta de políticas e de ajuda para as instituições que cuidam desses animais é um problema quase epidêmico na nossa cidade — diz o vereador Célio Lupparelli (DEM), que preside a Frente criada na semana passada — Com esse grupo, pretendemos visitar os equipamentos públicos e privados da nossa cidade que cuidam de animais, identificar suas demandas, unir as pessoas que defendem essa causas e, assim, apertar a prefeitura com nossas propostas.


De acordo com o vereador, a primeira reunião da Frente contou com a presença de representantes de ONGS protetoras de animais, ativistas, um representante da Subsecretaria de Promoção e Defesa dos Animais, além de empresários e donos de lojas de rações e utensílios para cães e gatos — que não deixam de ser possíveis doadores da campanha. Lupparelli disse ainda que, neste primeiro momento de conscientização, o auxílio à SUIPA chegou ao debate como algo emergencial.

— A prefeitura do Rio não dá atendimento aos milhares de animais que estão por aí. Então quando eles são abandonados ou atropelados, por exemplo, o pessoal corre para a Suipa. Estamos sobrecarregados, recebendo poucas doações e nos virando para comprar, nós mesmos, rações e remédio para os bichos — diz João Queiroz, assessor da Suipa, que conta com 150 funcionários — A gente espera que a criação dessa Frente dê mais visibilidade e traga mais ajuda para a instituição. Queremos ser recebidos pelo prefeito Marcelo Crivella, que já se encontrou com diversas ONGs nesse ano, mas até agora não recebeu a Suipa.

Segundo Queiroz, uma liminar resultante de uma vistoria do Ministério Público definiu que a Suipa tem capacidade de abrigar 3 mil animais. De acordo com o assessor, para conseguir reduzir o número de abrigados (quase 5 mil) a Sociedade aguarda pelo auxílio da Prefeitura, que deve oferecer um local alternativo para abrigar o número excedente.

Para doar qualquer tipo de ração para a Suipa, basta entrar em contato com a Sociedade através do site (www.suipa.org.br), email (presidencia@suipa.org.br) ou telefone (32978768).

Fonte: EXTRA

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪