RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador Petrópolis. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Petrópolis. Mostrar todas as postagens

10/10/2018

Petrópolis só terá charretes elétricas - RJ

A votação deu vitória a Chapa 2 que defendia o fim das charretes em Petrópolis. Mas, até eles saírem do trabalho vai demorar, penso eu, por conta da burocracia. Enfim, vamos torcer para tudo ser resolvido rapidamente.
-------------------------
As 13 'vitórias' que circulam no Centro Histórico estão

9/19/2018

Mulher desce da moto e atua como guarda ao orientar capivaras no RJ

Gente do Céu, não sabia que Petrópolis tinha tantas capivaras!!!!!! que legal!!!!! Elas passeiam pela cidade toda..... kakakaka......
-------------------
Cena aconteceu em Petrópolis, onde há uma grande população da espécie animal.
 "Eu já tinha passado, mas não aguentei e tive que voltar". Essa foi a atitude de Monique Rodrigues, que parou e desceu da moto para fazer o papel de guarda de trânsito (vídeo abaixo) enquanto um grupo de capivaras atravessava uma rua

7/15/2018

Dia da eleição, Petrópolis terá plebiscito para decidir uso de cavalos em charretes

Bem, acho que será uma boa votação porque as pessoas estarão na rua para as eleições....
-----------------
O TRE-Rio aprovou a realização de um plebiscito em Petrópolis, no dia do 1º turno das eleições dia 7 de outubro quando os eleitores também votarão para deputado estadual, deputado federal, senadores, governador e presidente.

7/01/2018

CASTRAÇÃO: Petrópolis está entre as 10 cidades do estado que receberá castramóvel

Muito bom esta iniciativa do MSaúde. Pior que tem é deputado faturando em cima..... Muita cara de pau destes camaradas!!!!!
------------
Equipamento faz parte de projeto piloto do Ministério da Saúde
Listada entre as 10 cidades do estado do Rio para participar de um projeto piloto do Ministério da Saúde para castração gratuita de animais em comunidades, Petrópolis deverá receber ainda este ano um veículo castramóvel.

A notícia foi dada ao prefeito Bernardo Rossi pela deputada federal Soraya Santos, da Frente Parlamentar da causa animal. Os projetos piloto serão implementados inicialmente em 10 cidades selecionadas dos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo.

“Fiz a indicação por Petrópolis, porque sei que o prefeito Bernardo Rossi é sensível à causa animal e por entender que a castração é um importante instrumento para o controle da população de animais. Este projeto piloto será monitorado pelo Ministério da Saúde e posteriormente o programa será estendido a outros municípios em todo Brasil”, destaca a deputada, explicando que o projeto facilita o acesso à população de baixa renda, uma vez que o veículo leva o atendimento para dentro das comunidades.

“É uma ótima notícia para a cidade. A prefeitura já vinha trabalhando para retomar o programa de castrações. Em julho, o serviço de Castração Gratuita será retomado. Mil cães e gatos do bairro de Corrêas vão ser atendidos na ação que acontece entre os dias 9 e 13, no Ciep Cecília Meireles”, o auxílio de um veículo castramóvel vai nos ajudar a ampliar este trabalho, avalia o prefeito Bernardo Rossi. No caso das mil castrações realizadas pelo município, o serviço será restrito a beneficiários do Programa Bolsa Família (PBF).

A proposta para aquisição de unidade móvel para controle de zoonoses, no valor de R$ 120 mil está aguardando a análise de mérito do Ministério da Saúde, a previsão é de que em um prazo de 60 dias, haja a aprovação e liberação do recurso. O serviço de castração gratuita foi interrompido em 2016 e retornará por meio de parceria com a Clínica Veterinária Ricardo, que vai disponibilizar até mil atendimentos nesta primeira etapa.

Parceria para escola em Pedro do Rio
Durante o encontro, deputada e prefeito conversaram sobre a possibilidade de uma parceria da prefeitura com o Colégio Cenecista de Pedro do Rio, para que a unidade – fechada desde o ano passado – volte a funcionar com aulas em dois turnos. A visita foi acompanhada pelo vereador Wanderley Taboada, que destacou a importância da reativação da escola para os moradores do distrito de Pedro do Rio.  

FONTE: diariodepetropolis

3/07/2018

Petrópolis terá plebiscito para decidir permanência das tradicionais 'vitórias', as charretes da Cidade Imperial

Sou a favor sim do fim das charretes em qualquer lugar. Agora, que fica uma pergunta no ar, fica. Para onde vão os cavalos? Não foi fácil colocar os cavalos da Ilha de Paquetá no Rio. Bem, vamos aguardar e conferir a decisão do plebiscito.  
------------
TRE definiu que votação, convocada pela Câmara de Vereadores, será realizada no primeiro turno das Eleições 2018.

Petrópolis, na Região Serrana do Rio, terá um plebiscito para votar pelo fim ou permanência das tradicionais vitórias, as famosas charretes que ficam em frente ao Museu Imperial atendendo aos turistas.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a votação será no 1º turno das eleições deste ano, que vai ocorrer no dia 7 de outubro. O plebiscito foi convocado pela Câmara de Vereadores da cidade.

O autor do projeto de lei que deu origem ao plebiscito, vereador Meireles, afirma que esta foi a maneira que encontrou para que a questão seja debatida, de forma democrática. "É um assunto polêmico, que sempre é discutido nas ruas, na internet e até na própria Câmara legislativa e que ninguém chega a nenhuma conclusão", afirma.

A notícia não agradou os charreteiros que trabalham na cidade, como João Ricardo de Oliveira, de 38 anos. Pai de três filhos menores, ele afirma que trabalha na área há 15 anos e depende do trabalho para sustentar a família. "Nós tínhamos concordado em substituir as vitórias por charretes elétricas, quando isso foi proposto em uma reunião na Câmara. Mas não é isso que está acontecendo. Querem votar o fim do nosso trabalho, sem que seja apresentada uma alternativa para quem depende desse emprego", destaca.

Já o charreteiro, Leonardo Monteiro de Souza, de 33 anos, disse que a notícia sobre o plebiscito trouxe preocupação para os trabalhadores. Ele atua há 15 anos na área e herdou a profissão do pai, que está aposentado. "A gente só sai daqui com um serviço para trabalhar! Como que vamos ficar desempregados?", questiona ele, que tem dois filhos menores.

Segundo Leonardo, não há justificativa para o fim das vitórias, uma vez que, segundo ele, os animais são bem cuidados, fazem exames a cada dois meses e têm acompanhamento de um veterinário. "Nós não queremos problema, queremos a solução. Achamos que, com fiscalização dos órgãos competentes, não precisa acabar com o serviço", disse.

Moradora de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a comerciante Luciana de Pontes, de 43 anos, e o marido Marcio de Pontes, de 42 anos, afirmam que são a favor da continuação do serviço. "Estou aqui vendo os animais e, aparentemente, não vejo nada de errado. Pelo contrário, as pessoas usam as vitórias para conhecer a cidade. Esta é a segunda vez que venho a Petrópolis e faço o passeio", disse Luciana.

ONGs questionam sobre destino dos cavalos
A protetora de animais, presidente da Ong Anima Vida, Ana Cristina Ribeiro, acredita que antes de ser proposto o fim das vitórias, deve-se pensar no destino desses animais.

"É preciso saber para onde eles serão levados porque não vai ser tarefa fácil encaminhar esses cavalos. Hoje, nós fazemos o acompanhamento deles, sabemos que têm atendimento veterinário especializado e são alimentados e vacinados corretamente, mas e depois? Para onde vão?", questiona.

Substituição
A vereadora Gilda Beatriz afirma que em 2017 foi feito um termo de intenção para substituir as vitórias por charretes elétricas. Na época, ela disse que a maioria dos charreteiros concordou e assinou o documento. "Encaminhei o termo para a Prefeitura e a ideia era de que as charretes elétricas fossem adquiridas por meio de um recurso do Ministério do Turismo que previa uma contrapartida de apenas 10% do município. Mas até o momento não teve nenhum avanço", disse Gilda. O G1 tenta contato com a Prefeitura para saber se houve algum avanço na negociação com o Ministério do Turismo.

Tradição
Para o historiador, Joaquim Eloy, acabar com as vitórias é o mesmo que rasgar a tradição da cidade. Ele lembra que os deslocamentos por charretes e cavalos já eram feitos por Petrópolis, mesmo antes da fundação do município. "Foi o primeiro meio de transporte, antes da chegada do trem e dos automóveis. Era assim que D. Pedro I chegava na cidade e depois D. Pedro II. As vitórias fazem parte da nossa história e atendem os turistas que querem conhecer o Centro Histórico. Se o problema são os cuidados com os animais, então é preciso investir na fiscalização e não no fim da atividade", destaca.

FONTE: G1

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪