RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador Londres. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Londres. Mostrar todas as postagens

2/16/2019

Acasalamento malsucedido provoca morte de tigre em Londres

Ai que dó...... são os animais mais lindos do mundo.....
-------------------
Tigres coabitaram durante 10 dias antes do primeiro contato físico que resultou na morte de Melati

O encontro entre dois tigres do zoológico de Londres teve um desfecho trágico na semana passada. Segundo comunicado do

12/26/2017

O mistério do assassinato em série de animais em Londres

A matéria diz que a policia admite que é um psicopata e que está difícil pegar o bandido assassino.... O que nos alivia em parte é que vão encontra-lo e a justiça inglesa vai puni-lo... questão de tempo...
------------
Examinar o corpo sem vida de um gato virou uma rotina macabra para Tony Jenkins, uma vez que um possível assassino em série de animais está à solta no sul de Londres.

Ninguém parece se surpreender quando este cofundador da pequena associação de proteção aos animais Snarl se dirige a uma clínica veterinária em uma fria tarde de outono.

Tony entra em uma sala, coloca as luvas e tira de uma sacola plástica um gato preto com patas brancas.

A assistente do veterinário dá um passo para trás. A cabeça e o rabo do animal fora cortados com uma precisão cirúrgica. Inclusive Tony acusa o golpe. “Safado”, diz entre dentes.

“É claramente uma vítima” do assassino, afirma à AFP, referindo-se aos gatos “com as mesmas características” encontrados “em todo o tipo de local” em Londres, Brighton (sul) e Northampton (centro).

Em um espaço de dois anos, a associação Snarl registrou 400 vítimas, muitas delas gatos, mas também raposas e coelhos. Para Tony, tudo começou em setembro de 2015.


Intrigados por uma sucessão de mortes suspeitas, ele e Boudicca Rising, cofundadora da Snarl, contactaram veterinários e donos de animais, e fizeram uma cartografia das vítimas.

“Nesse momento nos demos conta de que alguma coisa estava acontecendo”, conta Boudicca.

O assunto chegou aos ouvidos da Scotland Yard, que abriu uma investigação, assim como a Sociedade Real de Proteção dos Animais (RSPCA).

A imprensa repercutiu a notícia e começou a circular a hipótese de que pudesse ser obra de um psicopata.

No Facebook, a página da Snarl faz uma lista das vítimas do “Croydon Cat Ripper”, como apelidam em referência à cidade do sul de Londres onde costuma atacar.

“Descanse em paz”, escreve a internauta Kate Norton ao lado de uma fotografia do gato “Pepper”. “Sobre esse lixo maléfico e doente que fez isso: tomara que apodreça no inferno!”.

Tony e Boudicca se transformaram em investigadores e descobriram, pasmos, cadáveres decapitados, colocados perto de uma escola ou de um parque, e inclusive ao lado das janelas dos donos dos animais.

Em certo momento, chegaram a pensar que os gatos eram vítimas de outros animais, mas agora descartaram a possibilidade.

“A Polícia acredita que uma pessoa, ou um grupo de pessoas (…), seja a responsável pelas mortes e mutilações”, disse à AFP a Scotland Yard, que não quer comentar a tese de “assassino em série”.

O caso chama a atenção e mobiliza meios incomuns nesse tipo de crime. A Agência Nacional de Luta contra o Crime (NCA) o investiga, e duas organizações, entre elas a PETA, oferecem uma recompensa a quem quer que ajude a capturar o assassino.


– Os humanos, a próxima etapa? –
Tony tenta desmascará-lo com seus meios. “Mas é difícil”, declara. “Às vezes gostaria que fosse (…) como nas séries em que os crimes são resolvidos com métodos científicos”.

Os indícios o levaram até um vendedor de crânios de animais. Era uma pista falsa. “É raro se dedicar a isso, mas não é ilegal. Os importava da China”.

A investigação permitiu fazer um retrato falado do assassino: um homem branco, de cerca de 40 anos anos, em torno de 1,80 m de altura, que “aparentemente foi criado em Croydon”.

Um misterioso criminoso com muito talento de “dissecador” e para fugir da vigilância, aponta Vincent Egan, criminalista que dá aulas na Universidade de Nottingham. “Deve ser capaz de atrair o animal, matá-lo sem esfolar, dissecá-lo e colocar o corpo em um local visível. E tudo isso discretamente”.

A lista das vítimas não para de aumentar e surge a inevitável pergunta: os gatos são só uma etapa?

“Sabe-se que existe um vínculo entre os assassinos em série e casos de violência contra animais”, afirmou recentemente a Sky News Andy Collin, responsável pela investigação policial.

“A hipótese é que esse assassino obtenha certa satisfação (matando gatos). O medo é que acabe a perdendo e que então se vire contra humanos, sobretudo mulheres”.

FONTE: istoe

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪