RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador CCZ. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador CCZ. Mostrar todas as postagens

9/13/2018

Cães com leishmaniose são recolhidos por Centro de Zoonoses em Arapiraca, AL

Gente, olha as imagens deste vídeo..... que dó dos animais .... donos entregam os animais envolvidos pelos argumentos dos agentes sanitários..... Quem acredita que eles fazem contra-prova como o diretor do CCZ disse? Como serão mortos estes pobres sem que ninguém acompanhe nada? Deus tenha piedade deles....
--------------

6/19/2018

HEROÍSMO: Veterinária resgata um cão que caiu numa represa

Pois é..... isto é ser uma amante de animais.... isto é ser uma veterinária..... veterinária decente que usa sua profissão para cuidar dos animais ao invés de perseguir protetor como um tal veterinário aqui do Rio candidato que é a favor de rodeio, vaquejada, touradas etc., além de esculhambar o veganismo.

Todos nós que militamos na causa, sabemos da importância dos vets no cuidado da saúde animal. Considero 99.9% dos vets, gente muito boa, inclusive que agiria como esta pessoa maravilhosa..... Muito Axe para ela!!!!!

Aproveito para, daqui, mandar milhões de beijos à esta veterinária pelo seu ato.... Mãozinha deve ser daqueles cães tinhosos.... eitcha, morrendo afogado ainda vai morder o moço que foi lá resgatá-lo? ainda bem que a vet amiga estava por perto..... danadinho....  
================

Veterinária se joga em represa para salvar cachorro com problema na pata
Profissional do canil de Matão (SP) não pensou duas vezes antes de buscar animal que conhece há apenas dois meses.
O amor aos animais e a dedicação ao trabalho levou a veterinária Ana Maria Schiavetto Lazari, de 31 anos, a protagonizar um resgate que está emocionando as redes sociais. A profissional do canil de Matão (SP) se jogou em uma represa para salvar um cachorro que tem atrofia em uma das patas, na manhã de domingo (17).  

Ana Maria estava de plantão no Canil Municipal, quando uma vizinha avisou que um animal estava se afogando em uma represa que fica ao lado do local. Ela correu até a represa com outros funcionários da limpeza do canil. Um dos auxiliares tentou salvar o cachorro, mas o animal que estava muito assustado e latindo bastante, foi agressivo com o homem que voltou para buscar uma corda.

Desesperada na beira da represa, principalmente, ao descobrir que o cão era o “Mãozinha”, Ana Maria se jogou na água fria da represa para pegar o cachorro. “Eu acho que agi como meu coração, eu morreria por um animal”, afirmou.

Mãozinha
O vira-lata Mãozinha foi recolhido das ruas de Matão pelos fiscais há dois meses, após uma denúncia de que ele estava sendo vítima de maus-tratos. Ele já chegou ao canil com uma atrofia em uma das patas dianteiras e está em tratamento. Segundo Ana Maria, ele tem cerca de dois anos.

“Ele fica comigo o dia inteiro. Onde eu vou, ele vai atrás. Ele tinha um carinho maior por mim, acho que por isso ele não tentou me morder”, afirmou Ana Maria. Ela não sabe como o animal, que fica solto no canil, foi parar na represa. Ela acredita que ele possa ter se assustado com cachorros maiores que moram na região.

Perigo
A represa onde o cachorro caiu fica ao lado do canil e é um local de risco. “Na hora do desespero eu só pensei que não podia deixar ele morrer. Essa represa é muito perigosa, onde já morreu muita gente, é muito funda, tem muita pedra”, disse Ana Maria. Mesmo assim ela entrou sem pensar na água gelada.

“A água é muito fria e eu tenho pavor de água gelada, por isso que eu perguntei antes, mas no calor da emoção que eu não senti ela fria, nem um minuto”, disse. “O meu problema foi que na hora que eu peguei ele [Mãozinha], eu entrei em desespero, eu já estava sem ar, eu quase afundei e até perguntei quem ia salvar ele porque eu não ia conseguir tirar ele, eu estava sem forças”, contou.

O cachorro foi retirado pelas outras pessoas que estavam no local, assim como Ana Maria que ainda ficou segurada em um galho recuperando as forças. Enquanto isso, muito assustado, o cachorro fugiu dos seus salvadores e só voltou ao canil na manhã desta segunda-feira (18).

Fonte: G1
===================
Retirado do Facebook da veterinária Ana Maria
Quando você não mede esforços pra salvar um animal,o amor falou mais alto ! ♥️ Mãozinha chegou no canil ,e tem um problema na sua patinha ,por isso não estava conseguindo sair da represa , ele poderia morrer de Qqr forma ,menos afogado !!! Não ia deixar jamais ...(isso foi agora de manhã ,domingo no canil)

-----------------
ATUALIZAÇÃO:

3/11/2018

CCZ está em obras para iniciar castração de cães e gatos gratuita

Estou torcendo para não ser mais um daqueles que a política prevalece.... Tem vários começados aí pelo Brasil afora....
-----------
O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Rondonópolis vai iniciar um trabalho fundamental para a redução de animais de rua e abandonados na cidade, além do fortalecimento da posse responsável. Uma ala de castração com dois centros cirúrgicos já está em fase final de construção para que cães e gatos possam passar pelo procedimento da castração gratuitamente.

Como as castrações devem ter início em poucos meses, o CCZ já vem fazendo o cadastro para as pessoas que têm cães e gatos para serem castrados. Os interessados precisam comparecer ao CCZ com o animal que deve ser castrado para que este seja examinado e fazer a ficha, entrando para a fila de espera.

O gerente da Vigilância Ambiental, o médico veterinário, Kleysller Willon Silva, destaca que primeiramente serão castrados os cães e gatos que estão nas Organizações Não-governamentais (ONGs) de proteção animal, porque estas não têm condições financeiras de realizar as castrações de todos os animais que cuidam.

Na sequência serão chamadas as pessoas que já se cadastraram. O gerente alerta que o cadastro somente pode ser feito pessoalmente no CCZ, pois uma pessoa maior de idade precisa levar o animal que será castrado para anamnese e que não existe possibilidade de cadastro por telefone.

Ele explica ainda que para ser cadastrado o animal precisa estar em perfeitas condições de saúde, o que será avaliado pela equipe do CCZ, que emitirá um atestado laboratorial sobre a saúde do cão ou gato.

FONTE: agoramt

2/28/2018

Moradores denunciam animais circulando livremente nas ruas de Sepetiba, no Rio

Olha, daí não sei o que dizer o que seria melhor..... Os animais recolhidos, vão para o CCZ. Depois de uns dias, ninguém reclamando vão para um curral em Seropédica e daí são negociados e voltam para mãos de carroceiros da pior qualidade..... O que pensar, gente? Eu não sei..... Só posso afirmar que esta gestão da Prefeitura do Rio é a pior de todas....
-----------
Os moradores de Sepetiba, na Zona Oeste do Rio, reclamam de animais que circulam pelas vias públicas, sem dono, e atrapalham a circulação dos carros. Eles afirmam que é um risco para as pessoas e para os bichos, que muitas vezes são atropelados.

Na Estrada de Sepetiba não é raro observar o trânsito sendo interrompido por causa de animais de grande porte como bois, vacas e cavalos. “Ontem quase aconteceu um acidente aqui. Uma vaca passou na rua e o cara freou em cima”, contou o comerciante Adalto Rodrigues.

Os moradores já entraram em contato com a Prefeitura do Rio várias vezes. Nos protocolos de reclamação, os órgãos públicos afirmam sempre que o problema foi solucionado, mas a quantidade de animais nas vias públicas mostra que não.

O decreto municipal que regulamenta o assunto afirma que os bichos não podem ficar soltos nas vias públicas. A determinação é que eles sejam recolhidos pelo Centro de Controle de Zoonoses. Lá, os animais ficam até três dias esperando o dono. Se isso não acontecer, o animal passa a pertencer ao município. Questionada, a Prefeitura do Rio de Janeiro afirmou que os pedidos recebidos pelo sistema 1746 são enviados aos órgãos competentes.




Fonte: G1

2/15/2018

Protetores de animais denunciam CCZ de capturar cães saudáveis em rua de Manaus

Vai entender.... nesta cidade recolhem e em BH soltam nas ruas.....
---------------
Os animais, considerados comunitários, foram recolhidos do Viver Melhor 3, Zona Norte. Vídeo divulgado nas redes sociais registrou tudo

Protetores de animais da cidade de Manaus reivindicaram na manhã desta sexta-feira (9), na sede do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), na Compensa, Zona Oeste, a entrega de três cães comunitários que foram capturados por agentes da CCZ ontem, quinta-feira (8), no Residencial Viver Melhor 3, bairro Cidade de Deus, Zona Norte. Um Vídeo divulgado nas redes sociais registrou tudo.

A vereadora e protetora de animais Joana D’Arc esteve no local e afirmou que os animais comunitários foram recolhidos do habitat deles e colocados em situações precárias no Centro de Zoonose. “Recebemos essa denúncia pelas redes sociais. Quando vi o vídeo fiquei surpresa pela captura desses animais comunitários. Existe uma liminar na Vara Ambiental para que o Centro apresente os documentos da captura desses animais. Tentei pegar com a diretora essas informações, mas não quiseram repassar. Queremos levar os animais, porque estão em situações precárias”, relatou a vereadora.


Segundo Joana D’Arc, existe exigências para que animais comunitários sejam recolhidos no Estado, conforme a Lei 170 de 2013. “Para capturar os animais comunitários, deve ser verificado se existe alguém responsável por eles. No vídeo que temos acesso, do momento da captura, uma moradora afirma que é a cuidadora dos animais, e mesmo assim o Centro de Zoonose continuou com a captura”, relatou a vereadora.

Joana também destacou que caso os animais não sejam retirados do Centro de Zoonoses hoje, o grupo pretende acampar no local. “Falei com o subsecretário de Saúde e ele me pediu para esperar os procedimentos legais. Mas não tem como esses animais ficarem aqui. Estão correndo risco de contaminação. Vamos entrar em contato com o Ministério Público do Estado do Amazonas e com a Dema (Delegacia do Meio Ambiente)”, relatou.

Vídeo nas redes sociais

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostrou o momento em que cães foram capturados pelo CCZ no Residencial Viver Melhor III. Segundo a autora do vídeo, uma mulher identificada apenas como “Érica”, os animais estvam castrados, vacinados, vermifugados e pertenciam à comunidade. Isso tornaria ilegal a apreensão dos animais, conforme a Lei Estadual nº. 170 de 30 de agosto de 2013.

Tramita na Vara de Meio Ambiente da Justiça Estadual uma ação civil pública desde 2014, sobre denúncias feitas pelas ONGs Pata e Compaixão Animal sobre o que os defensores de animais chamam de “arbitrariedades” cometidas pelo Município de Manaus contra os animais. Atualmente, as ONGs podem fiscalizar as ações do CCZ por meio de uma medida liminar.

Semsa responde

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) informou que o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) atua, exclusivamente, em conformidade com as diretrizes da Lei n.1.590, de 26 de setembro de 2011, que disciplina a criação, propriedade, posse, guarda, uso e transporte de cães e gatos no município de Manaus.

Conforme o órgão, seguindo essas diretrizes, na quinta-feira, (8) uma equipe de profissionais do CCZ, após denúncias registrando transtornos à comunidade e, principalmente, aos moradores do conjunto Viver Melhor 3, Zona Norte da capital, com acusações por maus tratos a vários animais mantidos em um dos blocos do conjunto, compareceu ao local para notificação da responsável pela guarda dos animais.

De acordo com a Semsa, a equipe foi pela terceira vez ao local para orientar a moradora identificada como tutora dos animais, realizando apreensão de um dos animais, que foi encaminhado ao CCZ, para análise clinica e observação. A secretaria destacou que conforme a legislação estadual, só é feito o resgate do animal se houver denúncia de risco para a saúde pública e transtornos para a comunidade.

Ainda a Semsa completou que o CCZ, seguindo todos os procedimentos realizados em consonância com a legislação, irá permanecer com o animal em observação até finalizar o parecer técnico de boas condições de saúde. Caso o animal tenha o microchip de identificação implantado, será identificado o proprietário e o mesmo comunicado a comparecer ao CCZ para realizar o resgate do animal. Caso o proprietário não tenha interesse, o animal será encaminhado para adoção, obedecendo ao protocolo preconizado.

FONTE: acritica

2/09/2018

ESCÂNDALO: Funcionários da Zoonoses de BH são flagrados abandonando cães em Sabará.

Quando a Laura me mandou este vídeo, achei o título estranho pois como CCZ abandona cães em outros municípios?  Daí ao ver o vídeo, cai literalmente da cadeira.... juro!!!!  O diretor do CCZ de Belo Horizonte, Eduardo Viana, CONFESSA QUE O CCZ "DEVOLVE" OS CÃES PARA RUA...... Minha Nossa!!!! cadê a galera da proteção animal de BH que ainda não viu isto? Estou revoltada demais com esta fala deste diretor de CCZ...... A placa em Sabará avisa que abandonar animais é crime e ele é cometido pela prefeitura de BH?????? COMO ASSIM? 
----------------
Moradores de Sabará flagram funcionários da Zoonoses de BH abandonando cães na cidade histórica. Vídeo mostra bate-boca. Prefeitura da capital irá apurar o caso.


Fonte: R7

1/08/2018

CCZ resgata 90 gatos em situação de abandono

Misericórdia!!!! precisam urgente de um gatil e canil municipal urgente!!!!!!
----------
Sem gatil público na cidade, felinos ficam na Praça Dalcídio Jurandir, Belém

Uma equipe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), recolheu na manhã desta quarta-feira (20) os 90 gatos em situação de abandono, na Praça Dalcídio Jurandir, no antigo Forno Crematório, na Cremação. A denúncia foi publicada na edição de ontem (19) do jornal O LIBERAL. Segundo o diretor do CCZ, Altevir Lopes, constantemente animais são resgatados por veterinários do centro naquele local. Ele acredita que a falta de punição para quem descarta os gatos faz com que a situação se repita.

“Os gatos e cachorros transmitem a raiva e por isso estão com a gente. Uma vez verificado que estão bem, são liberados para adoção. Não temos espaço para todos esses animais. Para abrigar esses novos gatos, vamos ter que dar uma apertada lá no centro”.

Ontem (19), uma equipe do Centro de Controle de Zoonoses foi até a Praça Dalcídio Jurandir para fazer levantamento da situação em que os felinos se encontram. Segundo a veterinária que acompanhou a visita, há muitos gatos maltratados, magros, desnutridos, com indícios de verme.

Altevir acredita que, para mudar essa realidade em Belém, é preciso se discutir sobre a criação de um canil e gatil públicos. Assim que chegam ao CCZ, é feita uma ficha para cada animal. Em seguida, eles passam por uma avaliação com os veterinários e, depois são colocados para adoção, onde, geralmente, conseguem um novo lar.

FONTE: orm

12/17/2017

Centro de Zoonoses de Campina Grande é acusado de impedir atuação de voluntários

Que absurdo!!!! até parece que eles não precisam da ajuda dos voluntários..... Gente incompetente mesmo.... Tem que aproveitar a mão de obra da proteção animal que faz de tudo pelos animais....
-------
O diretor do Fórum de Proteção e Defesa dos Animais de Campina Grande, Rômulo Azevedo, e a Comissão de Meio Ambiente e Defesa dos Animais da OAB, representada por Raquel Batista, denunciam que os voluntários do Centro de Zoonoses da cidade estão sendo proibidos, pela atual direção, de realizarem os trabalhos com os animais.

Segundo eles, mais de 20 voluntários há anos realizam o “dia de carinho” com os animais, dando banho, levando ração e medicamento, saindo para passear… Porém, desde que o atual diretor chegou, as ações estão sendo limitadas.

O último caso aconteceu no dia 8 de dezembro. Quando os voluntários chegaram ao local, os animais estavam trancados de cadeados nas jaulas, e os funcionários informaram que era determinação da direção.

– Lamentamos o fato, porque o Centro de Zoonoses funciona de forma precária e falta muita coisa por lá. A situação só não é pior porque os voluntários vão lá semanalmente realizar o trabalho que a prefeitura deveria fazer, e agora estão sendo tolhidos disso. Como é que se recusa um grupo de voluntários que ajuda a Prefeitura? Esses animais estão confinados em um campo de concentração que é o Centro de Zoonoses de Campina – disse Rômulo.

A representante da Comissão de Meio Ambiente e Defesa dos Animais da OAB disse que já contatou a Secretaria de Saúde e informou que se a situação não for resolvida, o seguinte passo é dar entrada com uma representação judicial.

– Entramos em contato com a Secretaria de Saúde para que esse fato não acontecesse mais. Temos sempre prezado pelo diálogo para poder tentar questões relativas a esse problema, mas não havendo a promoção da solução, a OAB tem interesse de representar a Prefeitura, a Secretaria de Saúde, e o Centro de Zoonoses – disse.

FONTE: paraibaonline

11/18/2017

Ong denuncia medicamentos vencidos em CCZ de Mogi das Cruzes

Vejam isto, minha gente!!!!!!!!!!! sem palavras!!!!!!!!!!! com a cumplicidade de veterinários? não vão se justificar não? que vergonha para a classe o comportamento destes profissionais que lá trabalham...
--------------
Uma Ong de Mogi das Cruzes encontrou vários remédios com datas de validade vencidas no Centro de Controle de Zoonoses de Mogi das Cruzes. E mesmo com uma ordem judicial, a entidade também diz que foi proibida de fiscalizar toda a estrutura do local.

As fotos são todas de medicamentos para animais. Repare nas datas de validade. Todas vencidas. Um remédio, por exemplo, venceu em 2011. O estoque é CCZ de Mogi. Quem fez o registro foi a ONG de proteção aos animais Adote Já. “99% dos medicamentos que ali se encontravam dentro da sala de eutanásia e de castração, estão vencidos. Anestesias vencidas, o que é pior. Porque havia animais para serem castrados hoje. Portanto sentiram dor”, disse Ana Karina Rodrigues Pirillo.

A ong teve acesso ao local com um mandado de segurança da justiça. A autorização foi obtida depois de denuncias de várias irregularidades no CCZ.


Vídeos também foram feitos nesta sexta. Para a presidente da ong, o local que trata vários tipos de animais não oferece condições mínimas para um atendimento adequado. “O isolamento muito sujo, precáriao, fungos, úmido, os animais estressados. E nenhuma ficha era numerada. Os órgãos públicos devem adotar numeração. O animal não tem documentação, se ele dá entrada sem numeração, a gente não sabe a procedência e nem o que vai acontecer com ele.”

Além desses problemas, a ONG faz outra denuncia. A presidente procurou a delegacia do distrito de César de Souza por que alega que foi impedida de ter acesso a documentos e de fiscalizar toda a estrutura da zoonoses. “Eles obstruíram o acesso às informações, ao canil para averiguar os animais. A prefeitura tem que cumprir o mandato de segurança e deixar a ONG fiscalizar o local”

Em nota a Prefeitura de Mogi das Cruzes disse que os medicamentos vencidos estavam separados e identificados num armário específico para o descarte. A prefeitura também disse que a representante teve acesso sim a todos os documentos de eutanásia e que a sala de necrópsia que ela teve acesso tinha acabado de ser usada, por isso havia resíduos dos procedimentos já feitos.

Em contato novamente com a presidente da ONG ela disse que só teve acesso ao livro de registro das eutanásias e não às fichas com mais detalhes do procedimento. Sobre os medicamentos fora da data de validade, ela disse que, independentemente da identificação e da separação, a lei de descarte proíbe o armazenamento deles por muito tempo.

Fonte: G1 - TV Diário

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪